Clube do Português

Língua portuguesa para produtores de conteúdo

Month: junho 2016 (page 2 of 3)

Implicar – veja a forma correta de utilizar o verbo

Veja como usar o verbo

Às vezes um erro se repete tanto, que algumas pessoas passam a achar que ele é um acerto. É o caso do verbo implicar.

Ele pode ser transitivo direto ou indireto. No primeiro caso, ele não exige o uso da preposição e é sinônimo de acarretar. Então, o certo é dizer:”aumento da inflação implica aumento de preços” e não “implica em aumento de preços”.

Já como transitivo indireto,  o verbo é sinônimo de pirraçar ou perturbar.

ex: A sogra implica com o genro.

Resumo

  • Implicar = acarretar

ex¹: Comer doces implica engordar.

ex²: Em cidades sem planejamento, chuvas implicam inundações.

  • Implicar com = perturbar, pirraçar.

ex¹: O técnico implicava com o atacante baladeiro.

ex²: O menino implicou com o amigo.

  • Implicar em = Essa regência verbal NÃO EXISTE!

Matricule-se agora no nosso curso “Português para produtores de conteúdo”   – http://onovomercado.com.br/cursos/portugues

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

 

Compartilhe este texto:

“De 19h a 22h” x “das 19h às 22h”

Pergunta do leitor: Pedro, tenho dúvidas em relação às horas. De 19h às 22h ou das 19h às 22h. Quando tem crase? E qual a melhor forma de escrever expressões sobre intervalos de tempos como estes?

O segredo aqui é manter o paralelismo. Se você utilizar o “de”, então não haverá crase no “a” e ele também não poderá estar no plural. Nesse caso, o “a” é apenas uma preposição.

ex: De 19h a 22h.

Agora, se vocês utilizar “das”, que é a contratação da preposição “de” com o artigo “as”, você deve repetir o mesmo processo adiante e também usar a combinação da preposição “a” com o artigo “as” (a + as = às).

ex: Das 19h às 22h.

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Curta nossa página no Facebookhttps://www.facebook.com/portuguesdicas/

Envie suas dúvidas – http://clubedoportugues.com.br/tire-suas-duvidas-2/

Compartilhe este texto:

Socioeconômico x sócio-econômico

Pergunta do leitorComo é a grafia correta da palavra “Socioeconômico”?

Resposta:
Até 15 de janeiro deste ano, duas grafias eram possíveis. Tanto “sócio-econômico” quanto “socioeconômico” estavam corretos.

Contudo, com a entrada em vigor, definitivamente, do novo acordo ortográfico, no dia 16/01/2016, apenas “socioeconômico” passou a ser considerado certo.

Todas as palavras formadas pelo prefixo “sócio” devem ser escritas sem hífen, com exceção das começadas com “o” e com “h”.

Ex: sócio-humanitário ou sócio-ontológico.

ATENÇÃO: A regra não se aplica quando a palavra “sócio” não for prefixo.

Ex: Sócio-fundador.

Nesse caso, trata-se de um substantivo.

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Curta nossa página no Facebookhttps://www.facebook.com/portuguesdicas/

Envie suas dúvidas – http://clubedoportugues.com.br/tire-suas-duvidas-2/

Compartilhe este texto:

Erro “em anexo”

Um erro muito comum e que tem se proliferado com o aumento da troca de e-mails é a expressão “em anexo”.

Ex: Envio em anexo a cópia do contrato.

A palavra “anexo” pode ter duas funções: adjetivo e substantivo.

Como substantivo, não há preposição antecedente.

Ex: O Anexo quatro é ao lado da Câmara dos Deputados.

Quando empregada como adjetivo, a palavra “anexo” também não pede preposição e concorda com o substantivo, pois tem sentido de “junto”. Logo, o correto é “Envio anexa a cópia do contrato”.

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Curta nossa página no Facebookhttps://www.facebook.com/portuguesdicas/

Envie suas dúvidas – http://clubedoportugues.com.br/tire-suas-duvidas-2/

Compartilhe este texto:

5 erros bobos de português que te farão pagar mico

A era da comunicação digital deixou tudo mais dinâmico. Contudo, muitas vezes, vacilamos na escrita e acabamos fazendo papel de bobo. Listamos aqui 5 erros recorrentes que você deve evitar de qualquer maneira.

1) Confundir “mas” com “mais”

Mas = porém, contudo, entretanto, todavia.

Ex: Eu queria ir à festa, mas estou sem dinheiro.

Mais = oposto de menos.

Ex: Hoje está mais frio que ontem.

2) Escrever “de repente” junto

Nunca, mas NUNCA mesmo, escreva “derrepente”.

“Repente” significa algo que acontece de súbito, inesperadamente. Então, a locução adverbial é formada pela preposição “de” + o substantivo “repente” => De repente.

Ex: De repente, o carro atravessou a pista e bateu no muro.

3) Confundir “a gente” com “agente”

A gente = locução pronominal.

Ex: A gente foi ao mercado comprar os ingredientes do bolo.

Agente = substantivo comum.

Ex: O agente de polícia prendeu o bandido.

4) Escrever “seje” e “esteje”

Atenção!

A primeira e a terceira pessoa do presente do subjuntivo e a terceira do imperativo dos verbos “ser” e “estar” sempre terminam com a letra “a”.

Ex¹: Espero que você esteja bem.

Ex²: Seja feliz, porque você merece.

5) Usar “meia” no lugar de “meio”

Meio = mais ou menos

Ex: Estou meio cansada.

Meia = metade ou peça de vestuário

Ex¹: No café da manhã, comi meia maça.

Ex²: Como está muito frio, vou dormir de meia.

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Curta nossa página no Facebookhttps://www.facebook.com/portuguesdicas/

Envie suas dúvidas – http://clubedoportugues.com.br/tire-suas-duvidas-2/

Compartilhe este texto:

Descomplicando o pronome relativo

Pessoal, mais uma dica simples, mas que ajuda bastante na hora da análise morfossintática. Pronome relativo sempre virá depois de  um substantivo ou termo substantivado (por exemplo, oração subordinada subjetiva).

Exemplificando:

1 – Dizem que faz mal.

O “que” vem depois de um verbo, então não pode ser pronome relativo. Nesse caso, é uma conjunção integrante.

2 – Este estudo, que fala sobre direitos humanos, é revelador.

“Que” vem antecedido por um substantivo (“estudo”). Então, é pronome relativo.

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Curta nossa página no Facebookhttps://www.facebook.com/portuguesdicas/

Envie suas dúvidas – http://clubedoportugues.com.br/tire-suas-duvidas-2/

Compartilhe este texto:

10 dicas para uma redação nota mil

O texto de hoje é para o leitor Dantas Daniel, que pediu lá no Facebook para falarmos sobre dicas para redação. Então, listamos aqui 10 pontos para quem quer escrever melhor:

1) Prefira a ordem direta – Sujeito – Verbo – Complemento

Claro que, em alguns casos, pode haver uma inversão dessa ordem para fins estilísticos. Contudo, o ideal é dar preferência à ordem direta, que facilita o entendimento da mensagem.

2) Uma frase, uma ideia

Tentar falar tudo em uma frase só é um problema sério, pois se corre o risco de perder a linha discursiva e de confundir o leitor. Então, opte, na maior parte das vezes, por orações e frases mais sucintas.

3) Parágrafos de no máximo cinco linhas

Essa dica segue a mesma linha da anterior. Parágrafos muito longos passam a imagem de que o autor é prolixo. Além disso, é mais cansativo, visualmente, para o leitor ver blocos imensos de textos.

4) Evite repetição de palavras

Grande parte dos vocábulos da língua portuguesa possuem sinônimos. Então, a não ser que seja uma expressão muito específica, evite repetir palavras. Isso passa a impressão de falta de vocabulário e de capacidade de argumentação.

5) Evite gírias e palavras não dicionarizadas 

Essa é outra situação que demonstra falta de extensão vocabular. Em alguns assuntos mais contemporâneos, é possível abrir uma exceção a essa recomendação, mas sempre com muito cuidado e de forma bem moderada. Vale sempre dar uma olhada no VOLP – Vocabulário da Língua Portuguesa – da Academia Brasileira de Letras para ver se a palavra já foi oficialmente integrada.

6) Faça um roteiro prévio

Planejar o que se quer dizer ajuda a não perder o fio da meada e a garantir o encadeamento lógico das ideias. Então, gaste um tempinho construindo um roteiro simplificado antes de começar a escrever sua redação.

7) Leia bastante e preste atenção nas estratégias narrativas de cada autor

A leitura é um instrumento indispensável para quem quer escrever bem. A melhor estratégia é ler grandes autores e observar como eles constroem suas narrativas. Existem muitas técnicas por trás da escrita e aprender sobre elas é fundamental.

8) Evite o uso de pronomes possessivos 

O sentido dos pronomes possessivos varia de acordo com a referência. Logo, eles podem acabar gerando ambiguidade.

Ex: André pediu a Pedro seu lápis.

De quem é o lápis? De André ou de Pedro?

9) Evite o uso demasiado de adjetivos

Adjetivos carregam um alto grau de subjetividade. Dessa forma, é melhor restringir o uso.

Ex1: Este carro é muito bom.

Ex2: Este carro possui mais durabilidade que os demais no mercado, o preço não é alto quando comparado com outros da mesma linha e ele faz um média de 15 quilômetros por litro.

Perceba que o exemplo 1 apresenta pura e simplesmente uma opinião. Já o exemplo 2 traz fatos que permitem ao leitor verificar a qualidade do automóvel.

10) Escreva sempre

A prática leva à perfeição. Malcolm Gladwell explica que, para se tornar um especialista em determinado campo, são necessárias 10 mil horas de prática. Então, o ideal é escrever o máximo possível.

11) Acompanhe sempre o Dicas de Português 😛

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Curta nossa página no Facebookhttps://www.facebook.com/portuguesdicas/

Envie suas dúvidas – http://clubedoportugues.com.br/tire-suas-duvidas-2/

Compartilhe este texto:

Sujeito composto com “ou”

Hoje, bateu-me uma dúvida recorrente. Quando aprece um sujeito composto ligado pela preposição “ou” o verbo deve ficar no plural ou no singular?

Vamos à regra:

1- Se os dois núcleos não forem opostos, o verbo vai para plural.

ex.: Assassinato ou roubo são crimes que levam à prisão.

2 – Se os núcleos forem excludentes ou opostos, o verbo fica no singular.

ex.: Pequim ou Nova Iorque sediará a próxima etapa do torneio.

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Curta nossa página no Facebookhttps://www.facebook.com/portuguesdicas/

Envie suas dúvidas – http://clubedoportugues.com.br/tire-suas-duvidas-2/

Compartilhe este texto:

O que é partícula expletiva?

Entenda o que é partícula expletiva.

Pergunta do leitor: Qual o correto: são durante os meses de janeiro e fevereiro que mais se viaja ou é durante os meses de janeiro e fevereiro que mais se viaja?

Resposta:

Esse caso é bem interessante. Antes de respondê-lo, vale fazer uma breve explicação. No exemplo que o leitor citou, a expressão “é…que” é chamada de partícula expletiva. Ou seja, não tem valor sintático é apenas um artifício de estilo. Se você retirá-la da frase, o sentido continua o mesmo.

Veja: É durante os meses de janeiro e fevereiro que mais se viaja.

Agora sem a partícula expletiva: Durante os meses de janeiro e fevereiro, viaja-se mais.

Dito isso, a forma mais correta é no singular (É durante os meses de janeiro e fevereiro que mais se viaja).

Vírgula

Atenção! Quando se retira a partícula expletiva da frase, é necessário utilizar a vírgula. Veja:

Durante os meses de janeiro e fevereiro, viaja-se mais.

Isso ocorre, porque há o deslocamento do adjunto adverbial “durante os meses de janeiro e fevereiro”, configurando uma inversão da ordem direta (Sujeito – Verbo – Complemento verbal).

Quer saber mais? Então, leia nosso guia completo da vírgula:

Guia completo de quando utilizar a VÍRGULA

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Matricule-se agora no nosso curso “Português para produtores de conteúdo”   – http://onovomercado.com.br/cursos/portugues 

Compartilhe este texto:

Crase entre palavras iguais

Preste atenção nas palavras repetidas.

Dia a dia, ano a ano, segundo a segundo, mês a mês. Uma regra fundamental da crase é que ela não deve ser utilizada entre palavras repetidas.

Isso ocorre, porque ali não há um encontro entre uma preposição e um artigo feminino. Lembrando que:

À = A + A

O que ocorre é somente o uso da preposição ‘a’.

ex¹: No dia a dia, é difícil refletirmos sobre tudo o que estamos fazendo.

ex²: Ano a ano, essa situação vem se repetindo.

ex³: Quando estamos com pressa, contamos o tempo segundo a segundo.

Gostou dessa dica? Então leia mais!

6 dicas sobre a CRASE

Veja também os casos de crase facultativa:

 

Faça parte do clube do português gratuitamente e receba dicas para te deixar ninja na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Conheça meu curso  “Português para produtores de conteúdo”   – http://onovomercado.com.br/cursos/portugues 

Compartilhe este texto:
Older posts Newer posts