Clube do Português

Língua portuguesa para produtores de conteúdo

Category: Conjunção

Conjunções subordinativas – entenda todas as classificações

conjunção-conectivo

Entenda as classificações

Conjunções subordinativas são aquelas que ligam orações ou termos, dos quais um completa ou determina o sentido do outro. Neste artigo, iremos detalhar as classificações desses conectivos e quais suas funções.

PAUSA: Antes de terminar de ler este texto, vale a pena você dar uma olhada neste outro que explica o que é uma conjunção. Vá lá e volte aqui. Com certeza, você vai entender muito melhor o tema.

Por que estudar este tema?

É importante você entender que cada conjunção possui uma carga semântica. No caso das subordinativas, essa essência vai se refletir em toda a oração que a segue. Então, conhecer as diferentes classificações vai te ajudar a se expressar de uma forma mais precisa.

Dito isso, vamos ao tema central do artigo. As conjunções subordinativas dividem-se em: causais, concessivas, condicionais, finais, temporais, consecutivas, comparativas, integrantes, conformativas e proporcionais.

Causais

Introduzem uma oração subordinada que denota causa.

ex: porque, já que, pois que, visto que, uma vez que etc.

ex: O pai estava preocupado, porque o filho não havia chegado em casa ainda.

Concessivas

Inicia uma oração subordinada que apresenta um fato contrário à oração principal – faz uma concessão -, mas que não é capaz de contradizê-la.

ex: posto que, embora, conquanto, ainda que, mesmo que, por mais que, apesar de, etc.

ex: O jogo ocorreu normalmente, embora tenha chovido.

PAUSA: Recomendamos muito a leitura deste outro texto que fala sobre a diferença entre orações concessivas e adversativas. Será um belo complemento ao seu estudo.

Continue reading

Compartilhe este texto:

Conjunções – o que são e como utilizar?

Conjunções coordenativas e subordinativas

Entenda melhor as conjunções.

As conjunções são elementos gramaticais muito importantes para construção de textos. Neste artigo, vamos detalhar o que é e quando e como utilizar a conjunção. Vejamos!

Definição

Conjunções são vocábulos gramaticas que têm o papel de conectar orações ou termos semelhantes em uma oração. Elas dividem-se em coordenativas e subordinativas.

PAUSA: Antes de continuar lendo este artigo, vale você dar uma olhada no texto que fizemos sobre a diferença entre orações coordenadas e subordinadas. Leia e volte para terminar este post. Você vai ter um entendimento muito mais completo.

Conjunção coordenativa

As conjunções coordenativas ligam orações ou termos que possuem função gramatical idêntica. Observe:

ex¹: João e Maria foram para a floresta.

ex²: Ele dormiu tarde, mas acordou cedo.

Note que nos dois casos não há uma hierarquia entre as orações ou termos ligados pelas conjunções. Em outras palavras, elas estabelecem uma relação de coordenação.

VEJA MAIS: Neste outro texto, explicamos as classificações das conjunções coordenativas. Vale a leitura!

Conjunção subordinativa

As  subordinativas ligam orações ou termos, dos quais um completa ou determina o sentido do outro. Veja:

ex¹: Estabeleceram que chegasse todo dia às sete da manhã.

ex²: O pai cozinhava, quando a filha chegou.

Perceba que nos dois casos, há uma relação de complementariedade de um elemento sobre outro. Ou seja, a conjunção estabelece uma relação de subordinação.

***

Matricule-se agora no nosso curso “Português para produtores de conteúdo”   – http://onovomercado.com.br/cursos/portugues

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
– http://clubedoportugues.com.br/clube/

Compartilhe este texto:

Classificação das conjunções coordenativas

coordenação

Veja as classificações das conjunções coordenativas

As conjunções dividem-se em coordenativas e subordinativas. Elas têm o papel de ligar termos e orações. Neste artigo, vamos mostrar como o primeiro grupo é classificado. Vejamos!

PAUSA: Antes de ler este texto, vale muito a pena você conferir o artigo que fizemos sobre como utilizar as conjunções. Leia e volte para este post. Com certeza, seu entendimento será mais completo.

Definição

As conjunções coordenativas têm a função de ligar termos ou orações com funções gramaticais idênticas. Elas dividem-se em aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas e explicativas.

Aditivas

Ligam dois termos e orações, expressando a ideia de adição ou acrescentamento.

ex: e, nem, e não.

ex: Ela saiu e ele entrou.

ex: Rui não foi à igreja nem ao churrasco.

Adversativas

Conferem uma ideia de contraste entre termos ou orações.

ex: mas, porém, todavia, contudo, no entanto, entretanto.

ex: O jogo ia começar às 16h, mas a chuva fez com que fosse adiado.

ex: Joana deveria ter ido ao restaurante. Contudo, decidiu ir ao parque.

PAUSA: Para complementar seu estudo, vale a pena você parar um pouco a leitura deste texto e ler este outro artigo sobre a diferença entre conjunções adversativas e concessivas. Vai te ajudar muito!

Alternativas

Expressam uma ideia de alternância ou escolha. Se um fato acontecer, o outro não ocorrerá. Normalmente, a conjunção se repete.

ex: ora, quer, seja, nem, ou.

ex: Ora dormia cedo e acordava tarde ora dormia tarde e acordava cedo.

ex: Ou você respeita as regras ou não é honesto.

Conclusivas

Exprimem uma ideia de conclusão ou de consequência.

ex: logo, pois, portanto, por conseguinte, por isso, assim.

ex: Adriana trabalhava o dia inteiro. Portanto, chegava cansada em casa.

ex: Manuel perdeu as chaves do carro. Por isso, teve que ir de ônibus para trabalho.

Explicativas

Ligam termos e orações dos quais um justifica ou explica o outro.

ex: que, porque, pois, porquanto.

ex: Ele foi ao clube, porque o dia estava ensolarado.

ex: Ela não poderia ser responsável pelo projeto, pois já tinha outras atribuições.

VEJA MAIS: Recomendamos você ler também o texto que fizemos sobre quando utilizar a vírgula antes de MAS.

***

Matricule-se agora no nosso curso “Português para produtores de conteúdo”   – http://onovomercado.com.br/cursos/portugues

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
– http://clubedoportugues.com.br/clube/

Compartilhe este texto:

MAS x MAIS – quando utilizar cada um?

conjunção-advérbio

Quando utilizar cada um?

Há, na língua portuguesa, palavras com grafia bem parecida que possuem significados e funções totalmente diferentes. Um dos casos mais clássicos é o da dupla: mais e mas. Vejamos quando utilizar cada um.

MAS

Mas é uma conjunção coordenativa adversativa. Ela expressa a ideia de contraste ou compensação.

ex¹: Eu ia jogar bola hoje, mas a chuva fez o jogo ser cancelado.

ex²: Ele é muito inteligente, mas é preguiçoso.

Se você quiser saber mais sobre as conjunções adversativas, vale ler este outro texto AQUI.

Mas, quando utilizado junto com as palavras também e ainda, exerce a função de conjunção coordenativa aditiva.

ex¹: Ele não só acordou cedo, mas também limpou toda a casa.

Perceba que ele fez as duas coisas: acordou cedo e limpou a casa.

ex²: Ele não só chegou atraso, mas ainda interrompeu a reunião.

Novamente, veja que as duas ações foram realizadas: chegar atrasado + interromper a reunião.

Continue reading

Compartilhe este texto:

Funções do ‘que’ (parte 2)

Mulher em dúvida

Entenda a função do QUE como conjunção

Este texto é a continuação de outro, no qual falei das funções do QUE como substantivo, interjeição, partícula expletiva, pronome, preposição e advérbio. Recomendo a leitura!

O QUE, dentre outras funções, pode ocupar o papel de conjunção coordenativa ou subordinativa. Nos dois casos, ele conectará duas ou mais orações. Vamos entender melhor!

Conjunção coordenativa

Aditiva

Pode ser substituída por E.

ex: Come que come e nunca está satisfeito.

VEJA: Come e come e nunca está satisfeito.

Alternativa

Indica uma ideia de opções.

ex: Que venha ou que não venha, o importante é que ele nos avise com antecedência.

Adversativa

Apresenta uma condição oposta a outra.

ex: Ele pode reclamar que não mudarei de opinião.

Explicativa

Nesse caso, o QUE substitui o PORQUE.

ex: Vocês precisam estudar, que é muito importante.

Conjunção subordinativa

Continue reading
Compartilhe este texto:

Funções do ‘que’ (parte 1)

menino negro

Veja algumas funções da palavra QUE

É impossível escrever sem utilizar a palavra “que”. Ela tem uma variedade de funções na língua portuguesa e, nesse texto, vou falar sobre elas. Vamos lá!

Substantivo

O que é substantivo quando está acompanhado de um artigo. Nesse caso, ele sempre será acentuado.

ex: Ela tem um quê de cozinheira.

Pronome adjetivo

Nessa situação, ele pode ser interrogativo, exclamativo ou indefinido.

ex¹: Que horas ela chega? (interrogativo).

ex²: Que beleza de cidade é Brasília. (exclamativo).

ex³: Que situação complicada estamos vivendo. (indefinido).

Leia mais sobre a classificação dos pronomes AQUI.

Pronome relativo

Já falamos muito do pronome relativo aqui no Clube do Português. O que exerce essa função, quando retoma um termo citado na oração anterior. Nesse sentido, ele introduz uma oração adjetiva restritiva ou explicativa.

ex¹: Esses são os jogadores que vão a campo hoje. (restritiva).

VEJA: Esses são os jogadores. Os jogadores vão a campo hoje.

ex²: A executiva, que estava licenciada, voltou ao trabalho para salvar a empresa. (explicativa).

VEJA: A executiva estava licenciada.

Preposição

O ocorre quando o QUE substitui o DE entre verbos.

ex: Tenho que sair amanhã bem cedo, porque tenho uma reunião.

VEJA: Tenho de sair amanhã bem cedo…

Continue reading

Compartilhe este texto:

Todas as funções do ‘se’ (parte 2)

Panda

Veja as funções do ‘se’ como conjunção e partícula expletiva.

Este texto é a continuação de outro, no qual expliquei as funções do ‘se’ como pronome. Vale a leitura!

Este post tem como objetivo descrever as funções do ‘se’ como conjunção e partícula expletiva.

Conjunção

Como conjunção subordinativa, o ‘se’ tem as seguintes classificações:

a) Conjunção causal

Ocorre quando podemos substitui por ‘visto que’, ‘porque’ ou ‘já que’. É utilizada quando a oração subordinada apresenta uma causa da oração principal.

ex: Se não chegou, tivemos que jantar sem você.

VEJA: Visto que não chegou, tivemos que jantar sem você.

b) Conjunção condicional

Apresenta uma condição da oração principal.

ex¹: Se você não guardar dinheiro, não conseguirá se aposentar.

ex²: Se chover, teremos que cancelar a festa de formatura. Se não, o planejamento deve ser seguido normalmente.

Continue reading

Compartilhe este texto:

Todas as funções do ‘se’ (parte 1)

Veja as funções do pronome 'se'

Entenda as funções do ‘se’ como pronome.

A partícula ‘se’ é um elemento muito importante na língua portuguesa. Ela pode ocupar diferentes funções em um texto. Este post tem o objetivo de apresentar um guia completo sobre o ‘se’. Vamos lá.

Pronome

Como pronome, o ‘se’ pode ser:

a) Pronome pessoal reflexivo

Nessa situação, ele pode ser substituído pela expressão “a si mesmo”.

ex: Naquele churrasco, João cortou-se com a faca.

VEJA: Naquele churrasco, João cortou a si mesmo com a faca.

b) Pronome pessoal recíproco

É quando uma situação envolve duas pessoas que praticam a mesma ação um em relação ao outro.

ex¹: Para atravessar a rua com segurança, mãe e filha deram-se a mãos.

ex²: Romeu e Julieta se amavam profundamente.

c) Pronome apassivador

Também conhecido como partícula apassivadora, é utilizado para formar a voz passiva sintética. Nesse caso, o sujeito sofrerá a ação do verbo – o chamado sujeito paciente.

ex¹: Vendem-se carros usados.

VEJA: Carros são vendidos.

Atenção: O pronome apassivador só pode ser utilizado com verbos transitivos diretos.

Continue reading

Compartilhe este texto:

Senão x se não

senão-x-se-não

Na língua portuguesa, há expressões que têm sons similares e grafias distintas. Nesse sentido, elas devem ser utilizadas em contextos diferentes. É o caso do par senão e se não.

Senão – caso contrário, de outro modo;

Ex: É melhor estudar, senão não passará no vestibular.

Nesse caso, temos uma conjunção.

Continue reading

Compartilhe este texto:

Conjunções adversativas x concessivas – como identificar qual é qual?

Conjunções

Cada uma tem uma função específica.

As conjunções adversativas e concessivas são usadas com o mesmo propósito: ligar enunciados com orientação argumentativa contrária. Contudo, elas possuem funções diferentes e, por isso, é fundamental saber diferenciá-las para entender qual delas utilizar em cada contexto.

Conjunção adversativa

Nas adversativas, o argumento mais forte é aquele que acompanha a conjunção. Veja:

ex: Ele é inteligente, mas é preguiçoso.

Nesse caso, o fato de ser preguiçoso é mais relevante do que o de ser inteligente. Como bem destacam os professores Francisco Savioli e José Fiorin, a estratégia discursiva é a de indicar uma conclusão e, imediatamente, apresentar um argumento para anulá-la.

A conjunção adversativa é usada para coordenação de orações e introduz uma oração coordenada sindética adversativa. Por isso, a ordem das orações não pode ser invertida. Veja:

ex: Ele é inteligente, mas é preguiçoso. CORRETO

ex²: Mas é preguiçoso, ele é inteligente. INCORRETO

Exemplos de conjunções adversativas: mas, contudo, entretanto, todavia.

Continue reading

Compartilhe este texto: