Panda

Veja as funções do ‘se’ como conjunção e partícula expletiva.

Este texto é a continuação de outro, no qual expliquei as funções do ‘se’ como pronome. Vale a leitura!

Este post tem como objetivo descrever as funções do ‘se’ como conjunção e partícula expletiva.

Conjunção

Como conjunção subordinativa, o ‘se’ tem as seguintes classificações:

a) Conjunção causal

Ocorre quando podemos substitui por ‘visto que’, ‘porque’ ou ‘já que’. É utilizada quando a oração subordinada apresenta uma causa da oração principal.

ex: Se não chegou, tivemos que jantar sem você.

VEJA: Visto que não chegou, tivemos que jantar sem você.

b) Conjunção condicional

Apresenta uma condição da oração principal.

ex¹: Se você não guardar dinheiro, não conseguirá se aposentar.

ex²: Se chover, teremos que cancelar a festa de formatura. Se não, o planejamento deve ser seguido normalmente.

c) Conjunção integrante

Situa-se entre dois verbos, complementando o sentido de algum deles.

ex¹: Pergunte se chegou e verá que ele está mais uma vez atrasado.

ex²: Veja se está na hora de fazer uma pergunta dessas.

Partícula expletiva ou de realce

Como já diz o nome, é utilizada para dar destaque a algo, como um artificio estilístico. Nesse caso, a retirada do ‘se’ não altera o sentido da frase.

ex: Foi-se embora o último representante legítimo do povo.

VEJA: Foi embora o último representante legítimo do povo – não altera o sentido.

ex²: Acabou-se o mundo

VEJA: Acabou o mundo – o sentido se mantem inalterado.

Veja também:

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Matricule-se agora no nosso curso “Português para produtores de conteúdo”   – http://onovomercado.com.br/cursos/portugues 

 

Compartilhe este texto: