Conheça sete formas eficientes para fugir da repetição de palavras.

A repetição de palavras é um problema que empobrece seu texto.  Além de tornar a escrita desinteressante, também indica pobreza vocabular do redator. Por isso, neste artigo, você vai conhecer sete técnicas para não repetir vocábulos. Vamos lá!

1) Sinonímia

Essa é uma das mais conhecidas ferramentas para combater a duplicação dos termos. Trata-se do processo de substituir determinada palavra por um sinônimo.

ex: O policial saiu correndo atrás do bandido e um menino decidiu acompanhar o policial.

Veja agora usando a sinonímia:

ex: O policial saiu correndo atrás do bandido e um menino decidiu acompanhar o oficial.

Um outro recurso seria substituir o substantivo “policial” por um pronome. Essa estratégia, porém, criaria uma ambiguidade. Veja:

ex: O policial saiu correndo atrás do bandido e um menino decidiu acompanhá-lo.

Note que não fica claro se o pronome se refere ao policial ou ao bandido.

DICA: recomendo muito o dicionário de sinônimos – uma ferramenta muito útil para redatores e jornalistas.

2) Hiperonímia

Nós já falamos aqui sobre os hipônimos e hiperônimos. A hiperonímia consiste em usar palavras que possuem um significado mais amplo do o da substituída.

ex: Maria tomou um remédio que não lhe fez muito bem. Parece que a medicação estava vencida.

Note que “remédio” é um tipo de medicação. Este termo abrange mais itens do que aquele.

3) Hiponímia

A hiponímia é o contrário da hiperonímia. Ela consiste em trocar um termo mais abrangente por outro mais específico.

ex: Rui estava muito nervoso e precisou de um remédio. Depois de tomar o calmante, porém, ele se acalmou.

Perceba que o elemento “calmante” é apenas um dos que compõe a classe dos remédios.

4) Metonímia

Na metonímia, substitui-se um vocábulo por outro que lhe seja semanticamente próximo.

ex: Há livros que são muito melhores que outros. Quem já leu um Machado de Assis pode confirmar essa premissa.

A expressão “um Machado de Assis” refere-se a “um livro de Machado de Assis”.

Fique comigo que as próximas três estratégias dão muita elegância para seu texto. Vamos ver!

5) Elipse e zeugma

Essas duas figuras de sintaxe consistem não na substituição, mas sim na supressão ou ausência de um nome.

Um caso clássico de elipse é a omissão do sujeito.

ex: Chegamos hoje cedo.

Perceba que temos aqui a omissão do pronome reto nós, que fica representado pela conjugação do verbo chegar na primeira pessoa do plural do pretérito perfeito do indicativo.

Já o zeugma é um tipo de elipse que funciona com a retirada de um termo anteriormente mencionado.

ex: Paulo trabalhava no setor de vendas. Márcia, no de logística.

Vê-se ali a supressão do termo “trabalhava”.

É importante destacar que, nessa situação, há uma regra específica sobre o uso da vírgula, como você pode conferir no vídeo:

6) Nominalização

Essa estratégia configura a substituição de um verbo por um substantivo que deriva dele.

ex: Os trabalhadores decidiram paralisar os trabalhos. Segundo o líder, a paralisação continuará até que a diretoria apresente novas propostas.

Veja que a palavra “paralisação” nasce do verbo “paralisar”. Trata-se aqui de uma derivação sufixal (paralisa -ção).

7) Expressões ou grupos nominais definidos

O último recurso para evitar a repetição de palavras talvez seja o mais sofisticado de todos. Esse caso ocorre quando determinadas expressões exercem a retomada de termos por meio de piedade ou características dele. 

ex: Donald Trump sempre causa polêmicas. O presidente americano é conhecido pela língua afiada.

Repare que a expressão “presidente americano” é uma característica de Donald Trump. É isso que faz desse recurso algo especial: ele depende do contexto e do conhecimento de mundo do leitor. Se o receptor não conhecesse Trump, seria incapaz de ligá-lo ao fato de ele ser o mandatário dos Estados Unidos.

Vale ressaltar que, quando a substituição qualifica uma pessoa ou coisa específica, recebe o nome de epíteto.

ex: Pelé, o atleta do século ou Paris, a cidade luz.

Uso inteligente

Agora, você já possui um arsenal de recursos para lidar com o problema da repetição das palavras. Você, inclusive, pode lançar mão de mais de uma das estratégias listadas aqui. Isso, com certeza, tornará seu texto muito mais atraente para o leitor.

Antes de ir, queria deixar duas sugestões. A primeira é o artigo no qual falo sobre cinco ferramentas online e gratuitas que vão te ajudar a escrever melhor. A segunda é o vídeo abaixo, no qual explico que repetir palavras nem sempre é um problema:

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
– https://clubedoportugues.com.br/clube/

Matricule-se agora no nosso curso “Português para produtores de conteúdo”   – http://onovomercado.com.br/cursos/portugues

Compartilhe este texto: