O adjunto adnominal é um termo acessório da oração que especifica, explica ou determina um substantivo. Essa função sintática pode ser exercida por um adjetivo, por uma locução adjetiva, por um artigo, por um numeral ou por um pronome.

Neste artigo, vamos detalhar cada uma dessas situações. Também vamos mostrar como diferenciar o adjunto adnominal do complemento nominal, do adjunto adverbial e do predicativo do objeto. Vejamos!

Exemplos de adjunto adnominal representado por adjetivo

  • Eu comprei uma casa antiga.
  • Mário é um rapaz animado.
  • Nessa longa estrada da vida, vou andando e não posso parar.

Exemplos de adjunto adnominal representado por locução adjetiva

  • Dias de inverno são ótimos para lermos livros.
  • O carro do Jonatas quebrou no meio da estrada.
  • A casa de madeira é mais frágil que a de cimento.

Exemplos de adjunto adnominal representado por artigo

  • A janela fica ao lado da porta.
  • O homem entrou na sala correndo.
  • Os dias estão mais quentes ultimamente.

Exemplos de adjunto adnominal representado por numeral

  • A empresa contratou quatro funcionários neste mês.
  • O primeiro beijo a gente nunca esquece.
  • Duas horas depois, Rui chegou.

Exemplos de adjunto adnominal representado por pronome

  • Meu avô era um grande fazendeiro.
  • Aquela loja está sempre em promoção.
  • O livro dele é um dos melhores que já li.

Adjunto adnominal x Complemento nominal

É muito comum as pessoas confundirem o adjunto adnominal representado por uma locução adjetiva com o complemento nominal. Para acabar com essa dúvida, vamos ver as principais diferenças entre essas duas classificações.

Adjunto adnominal

  • Só acompanha substantivos;
  • Indica agente, posse ou espécie;
  • Tem valor ativo (ex: Quando falo “o carro do Pedro”, quero dizer que Pedro tem um carro, ou seja, o adjunto adnominal exerce uma influência sobre o substantivo);
  • É um termo dispensável. Sua retirada da oração não prejudica o sentido geral. Por isso, é chamado de termo acessório da oração.

Complemento nominal

  • Pode acompanhar substantivos, adjetivos ou advérbios;
  • É sempre precedido por uma preposição;
  • Tem valor passivo (ex: Quando falo “o ataque ao Iraque” quero dizer que o Iraque foi atacado, ou seja, o complemento nominal é regido pelo termo que o acompanha);
  • É um termo obrigatório. Sua ausência prejudica o entendimento da oração. Por isso, é chamado de termo integrante.

Adjunto adnominal x Adjunto adverbial

Para não confundir os dois termos, basta entender que o adjunto adnominal acompanha um substantivo (um nome).

Já o adjunto adverbial atribui uma determinada característica ou circunstância a um verbo, a um advérbio ou a um adjetivo.

ex: A casa velha caiu rapidamente.

Nessa oração, o adjetivo “velha” exerce a função de adjunto adnominal e o advérbio “rapidamente”, a de adjunto adverbial.

Adjunto adnominal x Predicativo do objeto

Outra dúvida recorrente envolve a diferenciação entre o adjunto e o predicativo do objeto.

O adjunto é parte de um termo sintático que tem como núcleo um substantivo.

Já o predicativo do objeto é um termo adjetivo que se liga ao substantivo por meio de um verbo.

Ex: A atitude intempestiva deixou os colegas irritados.

Nessa frase, o adjetivo “intempestiva” exerce a função de adjunto e o adjetivo “irritados”, a de predicativo do objeto.

Substituição do adjunto adnominal por pronome

Quando substituímos um substantivo por um pronome, todos os adjuntos desaparecem.

ex: O homem idoso saiu de casa cedo. (Ele saiu de casa cedo.)

ex: A casa nova está toda reformada. (Ela está toda reformada.)

Gostou do texto? Então, vale a pena assistir ao vídeo com 5 dicas para escrever um bom texto:

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua (link para um nova página do site) .