Língua Portuguesa e Literatura

Categoria: Dúvidas de Português (Page 1 of 13)

Limpo x Limpado – qual o particípio correto?

Tanto limpo quanto limpado estão corretos, mas devem ser utilizados em contextos diferentes. Neste artigo, vamos explicar quando usar cada um. Vejamos!

Verbo abundante

Para começar, é preciso dizer que limpar é um verbo abundante. Nas palavras de Celso Cunha e Lindley Cintra, “são chamados de abundantes os verbos que possuem duas ou mais formas equivalentes. […] Na quase totalidade dos casos, essa abundância ocorre apenas no particípio”.

Dito de outra maneira, nesse caso, o verbo tem dois particípios: um regular (limpado) e outro irregular (limpo).

Continue reading

Golfinho tem diminutivo?

Apesar de terminar em -inho, que é um sufixo que normalmente indica diminutivo, a palavra golfinho tem sua própria forma diminutiva. É sobre isso que vamos falar neste artigo. Vejamos.

Diminutivo

O diminutivo de golfinho é golfinhozinho. Vejamos alguns exemplos de uso desse termo:

  • Ontem nasceu um golfinhozinho no aquário da cidade.
  • Vi vários golfinhozinhos perto da praia.
  • Aquele golfinhozinho nada muito rápido.

Vale ressaltar que há autores que reconhecem outros diminutivos, como golfinhozito, golfinhinho e golfinhito.

Continue reading

Exijo x Exigo – qual a forma correta?

A grafia correta é exijo, com “j”. A forma exigo não existe na língua portuguesa e, por isso, não deve ser utilizada. Neste artigo, vamos fazer uma análise do termo. Vejamos!

Exijo

Exijo é a conjugação do verbo exigir na primeira pessoa do singular do presente do indicativo:

  • Eu exijo;
  • Tu exiges;
  • Ele exige;
  • Nós exigimos;
  • Vós exigis;
  • Eles exigem.

De acordo com o dicionário Aulete, exigir possui cinco significados distintos:

  1. Requerer (algo) em função de direito fundado ou suposto; REIVINDICAR.
  2. Impor (algo) a (alguém), usando autoridade ou direito; IMPOR; ORDENAR.
  3. Estipular por meio de regras, normas; ESTABELECER; PRECEITUAR.
  4. Ter necessidade de; PRECISAR; REQUERER.
  5. Solicitar de modo exigente, autoritário; ORDENAR.
Continue reading

Carrocel x Carrossel – qual a forma correta?

A grafia correta é carrossel, com -ss. A palavra carrocel, com “c”, está errada e, por isso, não deve ser utilizada em língua portuguesa. Neste artigo, vamos fazer uma análise do termo. Vejamos!

Carrossel

A palavra carrossel é um substantivo masculino que dá nome a um brinquedo típico de parques de diversão e feiras.

Trata-se de um aparelho que consiste num eixo vertical em torno do qual gira uma estrutura circular onde se fixam assentos em forma de cavalinhos, aviões, pequenos veículos, etc.

Vale destacar ainda que o termo vem do italiano carosello.

Continue reading

Aceito x Aceitado – qual o particípio correto?

Tanto aceito quanto aceitado estão corretos, mas devem ser utilizados em situações diferentes. Neste artigo, vamos explicar quando usar cada termo. Vejamos!

Verbo abundante

Primeiramente, é preciso destacar que aceitar é um verbo abundante. De acordo com os gramáticos Celso Cunha e Lindley Cintra, “são chamados de abundantes os verbos que possuem duas ou mais formas equivalentes. […] Na quase totalidade dos casos, essa abundância ocorre apenas no particípio”.

Trocando em miúdos, isso significa que o verbo tem dois particípios: um regular (aceitado) e outro irregular (aceito).

Continue reading

Eleito x Elegido – qual o particípio correto?

Tanto eleito quanto elegido estão corretos, mas devem ser utilizados em situações distintas. Neste artigo, vamos explicar quando usar cada um. Vejamos!

Particípio abundante

Eleger é um verbo abundante. Segundo os gramáticos Celso Cunha e Lindley Cintra, “são chamados de abundantes os verbos que possuem duas ou mais formas equivalentes. […] Na quase totalidade dos casos, essa abundância ocorre apenas no particípio”.

Em outras palavras, nesse caso, o verbo tem dois particípios: um regular (elegido) e outro irregular (eleito).

Continue reading

É correto dizer “vou ir”?

A locução “vou ir” está correta e pode ser utilizada para indicar uma ação no futuro. Neste artigo, vamos explicar por que não há erro algum nesse tipo de expressão. Vejamos!

Locução verbal

Na construção “vou ir”, o termo “vou” funciona como verbo auxiliar da locução verbal indicativa de futuro. Nesse sentido, ele pode ser usado com diversos outros verbos no infinitivo. Vejamos alguns exemplos:

  • Eu vou ir ao teatro amanhã.
  • Eu vou correr no parque hoje à tarde.
  • Se não chover, eu vou sair para caminhar.
Continue reading

Cu ou Cú – tem acento?

A palavra cu, por ser um monossílabo terminado em “u”, não deve ser acentuada. Neste artigo, vamos mostrar qual regra é utilizada neste caso. Vejamos!

Monossílabos tônicos

Na língua portuguesa, são acentuados todos os monossílabos tônicos terminados em “e”, “a” e “o”, seguidos ou não de “s”.

ex: pá, fé, dó, chás, pés, nós, etc.

Nesse contexto, os monossílabos terminados com “i” e “u” não devem receber acento.

ex: cri, cu, vi, tu, etc.

Continue reading

Colherzinha x Colherinha – qual a forma correta?

Afinal, qual a forma correta: colherzinha ou colherinha? Neste artigo, vamos tirar essa dúvida e fazer uma análise da palavra. Vejamos!

Qual o diminutivo de colher?

O substantivo colher possui duas formas de diminutivo: colherzinha e colherinha. É isso mesmo: as duas maneiras de escrever a palavra são gramaticalmente aceitas.

Vejamos alguns exemplos de uso desses termos:

  • Ele comeu o sorvete com uma colherzinha.
  • A mãe comprou uma colherinha para alimentar o bebê.
  • Para comer este doce, vou precisar de uma colherinha.
  • Aquela colherzinha caiu no chão. É melhor lavá-la antes de usar novamente.

É importante ressaltar que a forma colherzinha é a mais aceita e, por isso, é recomendável usá-la em lugar de colherinha.

Continue reading

Feito ou Fazido – qual a forma correta?

A forma correta é feito. A palavra fazido não existe na língua portuguesa e, por isso, não deve ser utilizada. Neste artigo, vamos explicar por que só a primeira forma está certa. Vejamos!

Particípio

Antes de avançarmos, vamos revisar o que é o particípio. Trata-se de uma das formas nominais do verbo. Ele indica uma ação já terminada e apresenta, em geral, terminação “-ado” ou “-ido”.

ex: comprado, marcado, pagado, passado, partido, morrido, etc.

Em determinadas situações, o particípio pode exercer a função de adjetivo ou advérbio. 

Particípio regular x Particípio irregular

Os verbos podem ter um de dois tipos de particípio: regular e irregular. Eles também podem ser verbos abundantes (possuem os dois tipos de particípio).

Por um lado, o particípio regular é terminado em “-ado” ou “-ido”. A maior parte dos verbos apresenta esse tipo de particípio, como vimos acima.

Por outro lado, o particípio irregular, na maior parte das vezes, é formado pelo radical do verbo e pelos sufixos “-to” e “-so”.

ex: escrito, pago, visto, feito, coberto.

Já os verbos abundantes são aqueles que têm ambos os tipos de particípio.

ex: impresso x imprimido, morrido x morto, salvado x salvo, pago x pagado.

Feito

Nesse contexto, destaca-se que fazer não é um verbo abundante, ou seja, ele tem só uma forma de particípio, que é o particípio irregular feito. Assim, vejamos alguns exemplos de uso desse termo:

  • Ele já tinha feito todo o trabalho quando chegamos.
  • Isso deveria ter sido feito ontem à noite.
  • Você já deveria ter feito seu dever de casa.

Gênero

Para finalizar, vale ressaltar que o particípio pode ser usado como adjetivo ou substantivo. Nesse sentido, ele pode apresentar flexão de gênero e de número:

  • As tarefas já foram todas feitas.
  • Feita a fundação, podemos começar a construir a casa.
  • Todos os trabalhos precisam ser feitos ainda esta semana.

*

Gostou do texto e quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.

« Older posts

© 2022 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑