A concordância nominal é uma área da gramática que estuda concordância de gênero e número entre substantivos e demais termos da oração (adjetivos, artigos, pronomes, etc.). Ela garante que aquilo que queremos dizer faça sentido.

No artigo de hoje, vamos entender quando utilizar as palavras “mesmo” e “próprio”, pois elas variam conforme o contexto.

Pronome e substantivo

Quando “mesmo” e “próprio” são usados como pronomes demonstrativos de reforço, com o objetivo de enfatizar, eles concordam com o termo ao qual se referem. A mesma regra se aplica quando esses termo funcionam como substantivo. Sendo assim, o foco está no elemento da oração:

a) Mesmo, próprio (masculino, singular)

  • Ele não parava de falar de si mesmo (próprio).
  • Ele mesmo (próprio) reconheceu que errou.
  • Eu mesmo (próprio) que fiz.

b) Mesmos, próprios (masculino, plural)

  • Eles mesmos (próprios) tomaram essa decisão.
  • Eles mesmos (próprios) se questionavam.
  • Demorou para que eles mesmos (próprios) assumissem a culpa.

c) Mesma, própria (feminino, singular)

  • Sim, sou eu mesma (própria)!
  • Deixa que eu mesma (própria) me encarrego disso.
  • Eu mesma (própria) pedi.

d) Mesmas, próprias (feminino, plural)

  • Elas mesmas (próprias) se assustaram.
  • Foram elas mesmas (próprias) as responsáveis por isto!
  • As irmãs adoravam elogiar elas mesmas (próprias). 

Conjunção e advérbio

Quando “mesmo” e “próprio” exercem as funções de conjunção ou de advérbio, a regra de concordância se altera. Observe: 

a) Como advérbio, invariável 

  • Eu nem queria mesmo. (sentido de desprezo)
  • Se você quisesse mesmo, eu iria. (sentido de “realmente”)
  • Você fez mesmo toda a lição de casa? (sentido de “de fato”)

b) Como conjunção, também invariável

  • Você precisa comparecer, mesmo sem vontade. (sentido de “embora”)
  • Mesmo não sendo o ideal, é o que temos agora. (sentido de “embora”)
  • Mesmo que chova, irei à reunião. (sentido de “ainda que”)

Em resumo: as palavras “mesmo” e “próprio” concordam e se flexionam quando empregadas como substantivo ou pronome. Quando acompanhadas por verbos, transformam-se em advérbio e conjunção, logo, não há flexão. 

E aí, ainda restou alguma dúvida? Deixe nos comentários.

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.