Concordância verbal é a adequada flexão em número e pessoa do verbo para que ele possa concordar com o núcleo do sujeito da oração. Observe alguns exemplos:

A estudante de economia gosta de livros sobre investimentos. 

Sujeito: A estudante de economia

Núcleo do sujeito: estudante (terceira pessoa do singular)

Verbo: gosta (conjugado na terceira pessoa do singular)

As estudantes de economia gostam de livros sobre investimentos.

Sujeito: As estudantes de economia

Núcleo do sujeito: estudantes (terceira pessoa do plural)

Verbo: gostam (conjugado na terceira pessoa do plural)

Dessa forma, temos a seguinte regra geral de concordância verbal: se núcleo do sujeito está na primeira, segunda ou terceira pessoa do singular, o verbo também deve estar; se o núcleo do sujeito está na primeira, segunda ou terceira pessoa do plural, o verbo também deve estar.

Contudo, temos alguns casos especiais de concordância verbal. Acompanhe os principais a seguir.

Concordância verbal com sujeito simples

1. Sujeito com sentido coletivo

O verbo concorda com o núcleo do sujeito.

– A caravana passou fazendo barulho.

– Os grupos reuniram-se pela manhã.

2. Sujeito com coletivo partitivo + nome no plural

O verbo pode ficar no singular (para concordar com a expressão partitiva) ou no plural (para concordar com o nome que vier no plural):

Grande parte dos alunos fez uma preparação intensa.

– Grande parte dos alunos fizeram uma preparação intensa.

São coletivos partitivos:

– metade de, a maior parte de, a maioria de, uma porção de, uma parte de, uma turba de, o resto de, um grupo de, um bando de, o grosso de, um grande número de, um bom número de…

3. Sujeito formado por milhão, bilhão, trilhão etc.

O verbo pode ficar no singular (para concordar com o numeral) ou no plural (para concordar com o nome que vier no plural):

– Mais de um milhão de brasileiros foi às ruas protestar.

– Mais de um milhão de brasileiros foram às ruas protestar.

4. Sujeito formado de número percentual ou fracionário

a) O verbo pode concordar com o numerador (n° antes da barra da fração), com o número inteiro (n° antes da vírgula na porcentagem) ou com o nome:

Segundo a pesquisa, 1/4 das mulheres diz não querer casar.

– Segundo a pesquisa, 1/4 das mulheres dizem não querer casar.

30% da população daquela cidade estão sem emprego.

– 30% da população daquela cidade está sem emprego.

b) O verbo concordará somente com o numeral quando este vier precedido de determinante:

Os 30% da população daquela cidade estão sem emprego.

5. Sujeito construído com substantivos empregados sempre no plural

a) Se o substantivo for empregado sem artigo ou com artigo no singular, o verbo permanecerá no singular:

Buenos Aires exporta muita carne.

Férias é tão bom!

b) Se o substantivo for empregado com artigo no plural, o verbo irá para o plural:

Os Estados Unidos entraram no conflito.

Os parabéns dela foram animadores!

6. Sujeito formado pelas expressões: cerca de, perto de, menos de, mais de um, coisa de, obra de, etc.

O verbo concorda com o numeral.

– Cerca de dez alunos ficaram de recuperação.

– Mais de uma pessoa ganhou o sorteio.

Importante: Quando a expressão mais de um aparece repetida ou se associa a um verbo que indica reciprocidade, esse verbo vai para o plural.

Mais de um advogado, mais de um engenheiro estavam no treinamento.

– Mais de um fã se abraçaram no palco.

7. Sujeito com pronome interrogativo, demonstrativo ou indefinido plural + de nós ou de vós

O verbo concorda com o pronome no plural ou com nós/vós.

Quais de nós encontrarão a resposta?

– Quais de nós encontraremos a resposta?

Se os pronomes estiverem no singular, o verbo também ficará no singular:

Nenhum de vós conseguirá terminar esta lição.

8. O sujeito é o pronome relativo que

Quando o sujeito é o pronome que, o verbo que vem logo após concorda com o antecedente do relativo.

– As pessoas que estudam evoluem na vida.

– Falaram mal de mim, que sempre estou disposto a ajudar.

9. O sujeito é o pronome relativo “quem”

O verbo fica na 3ª pessoa do singular.

– Somos nós quem paga as contas.

– Fui eu quem desistiu do trabalho.

10. O sujeito é um pronome de tratamento

Os pronomes de tratamento sempre conjugam verbos na terceira pessoa.

Vossa Excelência está muito exaltada.

Você foi imbatível no debate.

Concordância verbal com sujeito composto

Regra geral

O verbo concorda em número e pessoa com os núcleos do sujeito.

– A menina e o menino brincaram o dia inteiro.

Dançaram durante toda a festa o homem e a mulher.

Outros casos com sujeito composto:

1. Sujeito constituído de pessoas gramaticais diferentes

a) Se uma das pessoas gramaticais for a primeira do singular (eu) ou do plural (nós), o verbo ficará na primeira pessoa do plural.

Eu e ele visitaremos a Casa Rosada. (Eu e ele = nós) 

b) Se não houver a primeira pessoa do singular (eu) ou do plural (nós), o verbo poderá ficar tanto na segunda quanto na terceira pessoa do plural.

Tu e ela viajareis para a Bahia? (Tu e ela = vós)

Tu e ela viajarão para a Bahia? (Tu e ela = vocês)

2. Os núcleos do sujeito são sinônimos e estão no singular

O verbo pode ficar no singular ou no plural.

– A dor e a tristeza consumia o seu ser.

– A dor e a tristeza consumiam o seu ser.

3. Os núcleos do sujeito são antônimos e estão no singular

O verbo fica no plural.

– A felicidade e a tristeza nos acompanham por toda a vida.

4. Núcleos do sujeito no infinitivo

O verbo fica no singular.

Beber e dirigir é infração gravíssima!

Nadar e malhar faz bem à saúde.

Outros casos de concordância verbal

1. Sujeito oracional

O verbo deve ficar na terceira pessoa do singular.

Sabe-se que metade da turma passou na prova.

É necessário que haja leis mais eficazes.

2. Sujeito em voz passiva sintética

O verbo concorda com o sujeito paciente.

Vendem-se casas mobiliadas.

Criou-se muita expectativa para a festa.

3. Concordância de verbos impessoais

Os verbos impessoais sempre ficam na terceira pessoa do singular.

sérios problemas naquela cidade.

Faz três meses que estou morando sozinha.

4. Verbo ser indicando tempo ou distância

O verbo concorda com o predicativo do sujeito.

– De Vitória até o Rio de Janeiro, é uma hora de avião.

– Amanhã será 05 de agosto. (palavra “dia” subentendida após o verbo)

– Amanhã serão 05 de agosto. (concordância do verbo ser com o numeral)

*

Gostou do artigo? Então, leia também: