Correlação verbal é a uniformidade entre tempos e modos verbais num período composto por subordinação. Seu objetivo é evitar incoerências na estruturação de frases, como ocorre no exemplo a seguir:

– Se eu fosse rico, compro uma casa.

Perceba que o primeiro verbo está no pretérito imperfeito do subjuntivo – o que indica uma hipótese –, e o segundo está no presente do indicativo – o que indica certeza.

Essa mistura entre hipótese e certeza numa mesma sentença acaba por fugir da lógica esperada na afirmativa.

Portanto, a correlação de tempos e modos verbais trata dessa necessidade de uma lógica na semântica entre os verbos de uma oração.

Lista de correlações verbais

Vejamos, então, algumas possibilidades de articulação correta entre os tempos e modos verbais numa frase.

1) Correlação verbal quando a oração principal está no tempo presente:

a) presente do indicativo + presente do indicativo:

– Eu sei que você come muito durante as festas. 

b) presente do indicativo + futuro do presente do indicativo:

– Eu sei que você comerá muito durante as festas.

c) presente do indicativo + pretérito perfeito composto do subjuntivo:

Espero que ele tenha trazido um presente para mim.

d) presente do indicativo + presente do subjuntivo:

Espero que ele traga um presente para mim.

2) Correlação verbal quando a oração principal está no tempo pretérito:

a) pretérito perfeito do indicativo + pretérito imperfeito do subjuntivo:

Solicitei a minha mãe que fizesse um bolo.

b) pretérito perfeito do indicativo + pretérito imperfeito do indicativo:

Percebi que você ia colar na prova naquela hora.

c) pretérito perfeito do indicativo + pretérito mais-que-perfeito do indicativo:

Passou na prova final de tanto que estudara.

d) pretérito perfeito do indicativo + futuro do pretérito do indicativo:

Disseram que seria uma apresentação rápida.

e) pretérito imperfeito do indicativo + pretérito mais-que-perfeito composto do subjuntivo:

Queria que ele tivesse falado a verdade.

f) pretérito imperfeito do subjuntivo + futuro do pretérito do indicativo:

– Se você estudasse, saberia as respostas.

g) pretérito mais-que-perfeito composto do subjuntivo + futuro do pretérito composto do indicativo:

– Se ele tivesse feito a compra do mês, a esposa não teria ficado brava.

3) Quando a oração principal está no tempo futuro:

a) futuro do pretérito do indicativo + pretérito imperfeito do subjuntivo:

Gostaria que namorasse aquela moça, meu filho.

b) futuro do presente do indicativo + pretérito perfeito do indicativo:

– Nós teremos aquilo que nos prometeram.

c) futuro do subjuntivo + futuro do presente do indicativo:

– Quando eu passar por lá, avisarei a você.

*

Gostou do artigo? Então, leia também: