A forma mais indicada é e-mail, com hífen. Contudo, a palavra email, sem hífen, aparece em vários dicionários de língua inglesa e, por isso, também é aceita por alguns estudiosos da língua portuguesa.

Neste artigo, vamos explicar melhor essa situação. Vejamos!

E-mail x Email

No caso da palavra aqui em análise, temos um estrangeirismo sem aportuguesamento. Contudo, tivemos uma mudança sutil na grafia.

De acordo com o Vocabulário Oficial da Língua Portuguesa (Volp), enquanto, na língua inglesa, a forma mais utilizada é email, por aqui a forma reconhecida pela Academia Brasileira de Letras é e-mail.

Vale ressaltar, no entanto, que a forma email é muito difundida entre os falantes e é aceita por alguns estudiosos da língua portuguesa.

Estrangeirismo

Como visto acima, e-mail (ou email) é um estrangeirismo, ou seja, trata-se de uma palavra estrangeira que se integrou ao nosso idioma. Para ser mais exato, nesse caso, estamos diante de um anglicismo, que é a aparição de um termo em inglês.

As palavras estrangeiras podem ser introduzidas na língua de duas formas:

  • Com aportuguesamento — quando a palavra se adapta ao estilo de grafia da língua portuguesa.

ex: futebol, estresse

  • Sem aportuguesamento — quando o vocábulo mantém a grafia de sua língua de origem.

ex: layout, on-line.