Mulher em dúvida

Entenda a função do QUE como conjunção

Este texto é a continuação de outro, no qual falei das funções do QUE como substantivo, interjeição, partícula expletiva, pronome, preposição e advérbio. Recomendo a leitura!

O QUE, dentre outras funções, pode ocupar o papel de conjunção coordenativa ou subordinativa. Nos dois casos, ele conectará duas ou mais orações. Vamos entender melhor!

Conjunção coordenativa

Vejamos abaixo os casos de uso do “que” como conjunção coordenativa.

Aditiva

Pode ser substituída por E.

ex: Come que come e nunca está satisfeito.

VEJA: Come e come e nunca está satisfeito.

Alternativa

Indica uma ideia de opções.

ex: Que venha ou que não venha, o importante é que ele nos avise com antecedência.

Adversativa

Apresenta uma condição oposta a outra.

ex: Ele pode reclamar que não mudarei de opinião.

Explicativa

Nesse caso, o QUE substitui o PORQUE.

ex: Vocês precisam estudar, que é muito importante.

Conjunção subordinativa

Agora, vamos conferir os casos de uso do “que” como conjunção subordinativa.

Integrante

Introduz uma oração subordinada substantiva e não tem função sintática.

ex: É fundamental que vocês cheguem cedo.

Comparativa

Inicia uma oração subordinada adverbial comparativa.

ex: Não há dor maior para um pai que perde um filho.

Causal

Dá início a uma oração subordinada adverbial causal.

ex: Tome cuidado, que o chão está molhado.

Consecutiva

Mostra um encadeamento de acontecimentos.

ex: É tanta confusão que acabei me esquecendo do presente de Natal.

Veja mais: