O hífen (-) é um sinal gráfico utilizado, normalmente, para unir palavras compostas, unir prefixos ou falsos prefixos a radicais, unir verbos a pronomes, separar sílabas e fazer translineação.

Com o Novo Acordo Ortográfico, esse sinal passou por algumas mudanças nas suas regras. Vejamos todas a seguir.

Índice do artigo:

O hífen e as palavras compostas

1. Palavras compostas por justaposição:

Separam-se por hífen as palavras compostas por justaposição que não contêm elementos de ligação.

– decreto-lei, tio-avô, luso-brasileiro, obra-prima, guarda-chuva, primeiro-ministro, conta-gotas, afro-brasileiro, arco-íris, sul-africano…

Exceções consagradas pelo uso: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, ao deus-dará, à queima-roupa…

No entanto, não haverá hífen quando se tiver perdido a noção de composição:

– aguardente, girassol, mandachuva, madressilva, pontapé, paraquedas, paraquedista…

2. Topônimos:

Usa-se hífen com os topônimos:

a) iniciados por Grã ou Grão: Grã-Bretanha, Grão-Pará

b) iniciados por verbo: Passa-Quatro, Trinca-Fortes

c) com elementos ligados por artigo: Baía de Todos-os-Santos, Entre-os-Rios, Trás-os-Montes…

Exceções: Guiné-Bissau (com hífen), América do Sul e Belo Horizonte (sem hífen).

3. Nomes de quaisquer espécies botânicas ou zoológicas:

– couve-flor, erva-doce, bem-me-quer, cobra-d’água, mico-leão, gavião-de-penacho…

4. Palavras compostas com os advérbios mal e bem:

Mal + palavra iniciada com H: mal-humorado.

Mal + palavra iniciada com L: mal-limpo.

Mal + palavra iniciada com vogal: mal-afortunado, mal-estar, mal-intencionado…

Bem + palavra iniciada com vogal: bem-aventurado, bem-estar, bem-intencionado…

Bem + palavra iniciada com qualquer consoante: bem-conceituado, bem-humorado, bem-criado, bem-visto, bem-vindo…

Exceções: bendito, bendizer, benfeitor, benfeitoria, benquerença, benquisto.

5. Encadeamentos vocabulares:

ponte Rio-Niterói, voo Tóquio-Rio de Janeiro, percurso Lisboa-Coimbra-Porto

O hífen e os prefixos (ou falsos prefixos)

Entende-se por prefixo a partícula que se acrescenta ao início de um radical, enquanto falso prefixo é um radical que assume posição de prefixo em algumas palavras.

São prefixos citados pelo Acordo Ortográfico: ante-, anti-, circum-, co-, contra-, entre-, extra-, hiper-, infra-, intra-, pós-, pré-, pró-, sobre-, sub-, super-, supra-, ultra-, etc.

São falsos prefixos citados pelo Acordo Ortográfico: aero-, agro-, arqui-, auto-, bio-, eletro-, geo-, hidro-, inter-, macro-, maxi-, micro-, mini-, multi-, neo-, pan-, pluri-, proto-, pseudo-, retro-, semi-, tele-, etc.

Regras gerais:

São duas as regras gerais para o uso do hífen com prefixos e falsos prefixos:

1. Usa-se sempre o hífen diante de palavra iniciada por H:

– anti-higiênico, pré-história, mal-humorado, super-homem, sobre-humano, geo-história, mini-hotel, pan-helenismo…

Exceções: Com os prefixos bi-, des-, ex-, in- e re-, não haverá hífen quando o segundo elemento começar por H, pois esse H inicial deve ser suprimido. Exemplos:

– biebdomadário, desarmonia, exaurir, inábil, reabilitar…

2. Usa-se sempre o hífen quando as letras no fim do prefixo (ou falso prefixo) e no início da palavra forem iguais:

– anti-inflamatório, auto-observação, contra-atacar, micro-ondas, hiper-requintado, inter-regional, super-resistente, super-romântico…

Exceção: Com o prefixo co-, não se usa hífen mesmo quando o segundo elemento começa com a letra O. Exemplos:

coobrigar, coobrigação, coocupação, coordenar, cooperação, coóspede, etc.

Demais casos

Serão sempre separados por hífen do segundo elemento:

a) os prefixos ex- (com sentido de anterior), sota-, soto-, vicee vizo-:

– ex-presidente, ex-namorado, sota-piloto, sota-mestre, soto-capitão, vice-presidente, vizo-rei…

b) os prefixos tônicos acentuados pós-, pré– e pró-

– pós-graduação, pós-tônico, pré-história, pré-escolar, pró-labore, pró-ativo…

Observação: Quando esses prefixos não recebem acento (são átonos), não há hífen. Exemplos: pospor, pressupor e prolóquio.

c) os prefixos além-, aquém-, recém- e sem-:

– além-mar, aquém-fronteiras, recém-casado, sem-vergonha…

d) os prefixos circum- e pan-, quando o segundo elemento começa por vogal, H, M ou N:

– circum-escolar, circum-hospitalar, circum-murado, circum-navegação, pan-americano, pan-helênico, pan-mágico, pan-negritude…

e) o prefixo sub- diante de palavra iniciada por B, H ou R:

– sub-base, sub-bibliotecário, sub-hepático, sub-humano, sub-ramo, sub-região…

Importante: Com o prefixo sub- antes de palavra iniciada por H, é facultativa a supressão desse H inicial. Dessa forma, admite-se dupla grafia, exemplos: sub-hepático ou subepático, sub-humano ou subumano, sub-híspido ou subíspido, sub-hidroclorato ou subidroclorato, etc.

O hífen e os sufixos

Deve-se usar o hífen com os sufixos de origem tupi-guarani –açu, -guaçu e -mirim, os quais formam adjetivos:

– amoré-guaçu, anajá-mirim, andá-açu, capim-açu…

Prefixo terminado em vogal antes de palavra iniciada com R ou S:

Não se usa hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com R ou S. Nesse caso, essas letras devem ser duplicadas. Exemplos:

– antissocial, biorritmo, contrarreforma, contrassenso, minissaia, neorrealismo…

O hífen na colocação pronominal

Usa-se o hífen na criação das ênclises e das mesóclises.

Exemplos de ênclise:

  • Acredita-se;
  • Sabe-se;
  • Entende-se.

Exemplos de mesóclise:

  • Dar-te-ei;
  • Falar-nos-ão;
  • Esforçar-me-ei.

O hífen na separação silábica e na translineação

Utilizamos, ainda, o hífen para marcar a separação silábica de uma palavra:

  • Sau-da-de
  • Prin-ce-sa
  • In-gla-ter-ra
  • Pa-ra-le-le-pí-pe-do

E para realizar a translineação em um texto:

Sauda-

de…

Inglater-

ra…

Se no final da linha a partição de uma palavra ou combinação de palavras coincidir com o hífen, ele deve ser repetido na linha seguinte. Exemplos:

A moça esbarrou no ex-

-namorado.

No trabalho, sabe-

-se que ela não é confiável.

*

Gostou do texto? Então, leia também: