Morfologia é a parte da gramática que estuda a forma dos vocábulos.  Para isso, ela ocupa-se da estrutura e do processo de formação das palavras, além de dividi-las em dez classes de palavras (ou classes gramaticais) conforme as semelhanças morfológicas que apresentam.

Uma análise morfológica, portanto, é aquela que analisa a palavra de forma isolada, sem que haja, necessariamente, um contexto.

Estrutura das palavras

As palavras são formadas por vários elementos denominados morfemas, que são a menor parte significativa que constitui uma palavra. Esse é um dos campos da morfologia.

Os morfemas se dividem em:

1. Radical: elemento que contém o sentido básico da palavra. Não pode ser decomposto em unidades menores e é responsável pela formação de novas palavras.

Exemplo: o radical ferr– forma as palavras: ferro, ferreiro, ferrugem, ferragem, ferroso, etc.

2. Afixo: elemento que se une ao radical para formar novas palavras. Os afixos são:

a) prefixo: é o afixo que vem antes do radical. Exemplos:

anti-: antibiótico, anti-higiênico, antitérmico…

contra-: contra-ataque, contradizer…

b) sufixo: é o afixo que vem após o radical. Exemplos:

-inho: copinho, amiguinho, filminho

-ote: filhote, serrote, velhote

3. Desinência: elemento que se une ao radical para indicar as flexões gramaticais.

a) desinência nominal: indicam as flexões de gênero e número nos nomes. As desinências nominais são:

-o (masculino): aluno, menino, gato

-a (feminino): aluna, menina, gata

-s (plural): alunos, alunas, meninos, meninas, gatos, gatas

b) verbal:  indicam as flexões de modo, tempo, número e pessoa nos verbos. As desinências verbais são:

– desinências modo-temporais: marcam os modos indicativo, subjuntivo e imperativo; marcam os tempos presente, pretérito e futuro.

– desinências número-pessoais: marcam as pessoas do discurso no singular e no plural.

Exemplos:

– falo (presente do indicativo e primeira pessoa do singular);

– falassem (pretérito imperfeito do subjuntivo e terceira pessoa do plural);

– falávamos (pretérito imperfeito do indicativo e primeira pessoa do plural).

4. Vogal temática: elemento que une o radical às desinências ou aos sufixos.

a) vogal temática nominal: vem após o radical dos nomes sem indicar gênero.

b) vogal temática verbal: vem após o radical para caracterizar as três conjugações verbais.

-a- (1ª conjugação): cant-a-r, cant-a-rei, cant-a-mos…

-e- (2ª conjugação): prend-e-r, prend-e-sse, prend-e-mos…

-i- (3ª conjugação): part-i-r, part-i-mos, part-i-remos…

Letra de ligação: elemento cujo objetivo é tornar a palavra mais eufônica. Não é morfema, pois não carrega sentido algum. Exemplos:

– silv-í-cola

– gas-ô-metro

– saci-z-inho

Processo de formação de palavras

Esta é a parte da morfologia que trata dos diversos modos como as palavras se formam. Os processos de formação de palavras são:

1. Derivação: é o processo que acrescenta afixos ao radical. Os tipos de derivação são:

a) prefixal: junção de um prefixo ao radical.

Exemplo: super- + homem = super-homem

b) sufixal: junção de um sufixo ao radical.

Exemplo: pincel + -ada = pincelada

c) parassintética: junção de um prefixo e um sufixo ao radical.

Exemplo: a + noite + ecer = anoitecer

d) regressiva: quando um verbo que indica ação serve de base para a formação de um substantivo abstrato.

Exemplo: atrasar > atraso

e) imprópria: quando a palavra muda sua classe gramatical ao mudar de contexto.

Exemplo: Desafio monstro. (substantivo convertido em adjetivo)

2. Composição: é o processo constituído por dois ou mais radicais. Os tipos de composição são:

a) por justaposição: não há perda de elementos estruturais e fonéticos nos radicais.

Exemplo: roda+pé = rodapé

b) por aglutinação: há perda de pelo menos um dos elementos estruturais e fonéticos nos radicais.

Exemplo: plano + alto = planalto

3. Hibridismo: é o processo que une morfemas de línguas diferentes.

Exemplo: socio (latim) + logia (grego) = sociologia

4. Onomatopeia: é o processo que forma palavras que reproduzem sons de pessoas, animais ou objetos.

Exemplo: zum-zum (som de um zumbido)

5. Sigla: é o processo que utiliza as letras iniciais de uma palavra para denominar um título, uma organização, associação etc.

Exemplo: ONU (Organização das Nações Unidas)

6. Abreviação vocabular ou redução: é o processo que utiliza parte de uma palavra no lugar de sua totalidade.

Exemplo: fotografia > foto

Classes de palavras

As palavras da língua portuguesa se agrupam em classes de palavras (ou classes gramaticais) conforme suas formas e funções. A morfologia também tem como função estudar essa temática.

As classes de palavras são dez:

1. Substantivo: é a palavra que nomeia tudo o que existe ou o que imaginamos existir. 

2. Adjetivo: é a palavra que caracteriza um substantivo (normalmente), pronome, numeral ou oração substantiva.

3. Artigo: é a palavra que antecede o substantivo para o definir ou indefinir, particularizando-o de alguma forma.

4. Numeral: é a palavra que acompanha ou substitui o substantivo, dando a ele noção de quantidade absoluta, fração, multiplicação ou ordem.

5. Pronome: é uma palavra que acompanha ou substitui o substantivo e possui vários sentidos, dentre eles: posse, indefinição, questionamento, apontamento, afetividade etc.

6. Verbo: é a palavra que situa no tempo ações (correr, trabalhar), estados (ser, estar), mudanças de estado (tornar, ficar, virar) ou fenômenos da natureza (ventar, chover, trovejar).

7. Advérbio: é um modificador de sentido do verbo, do adjetivo, de outro advérbio ou de uma oração inteira.

8. Preposição: é um conectivo exigido pela sentença devido à regência nominal ou verbal.

9. Conjunção: é um conectivo que tem por função ligar elementos de mesma natureza em uma sentença.

10. Interjeição: é uma palavra ou grupo de palavras que expressa um estado emotivo momentâneo.

Quanto à flexão, as classes de palavras se dividem em variáveis e invariáveis:

a) Variáveis – são as palavras que variam em:

  1. gênero e número: substantivo, adjetivo, artigo e numeral;
  2. pessoa, gênero e número: pronome;
  3. pessoa, número, modo, tempo e voz: verbo.

b) Invariáveis – são as palavras que não apresentam flexões: advérbio, preposição, conjunção e interjeição.