A palavra literatura deriva do latim litteratura, que, segundo o Dicionário Caldas Aulete, significa “arte que usa a linguagem escrita como meio de expressão”. Portanto, na maioria das vezes em que falamos de literatura, estamos fazendo referência a obras de arte escritas.

Porém, esse termo também é muito utilizado para referenciar um conjunto qualquer de textos, mesmo não havendo viés artístico. Por isso é muito comum escutarmos as expressões “literatura médica”, “literatura jurídica”, “literatura química” etc. 

Aqui, contudo, o nosso foco será a literatura artística.

A literatura como manifestação artística

A literatura, assim como a pintura, a arquitetura, a música, a dança e a escultura, é uma dentre as várias formas de manifestação da arte.

Por essência, a arte possibilita ao artista a recriação da realidade. Dessa forma, o artista pode moldar a realidade de acordo com suas convicções, seus ideais, sua vivência.

Cada uma dessas manifestações tem seus principais meios de expressão. O pintor expressa-se por meio das cores e das formas; o escultor dá vida à pedra, ao metal, à madeira etc.; o músico explora os sons; a dança utiliza os movimentos corporais acompanhados da música; a arquitetura projeta espaços e edificações; e a literatura tem como principal matéria-prima a linguagem.

Texto literário x texto não literário

A principal forma de diferenciar um texto literário de um texto não literário é pela análise de sua linguagem. 

A linguagem literária apresenta recursos expressivos que chamam atenção para o plano da expressão, ou seja, evidencia a função poética da linguagem e apresenta uma clara intenção estética, motivo pelo qual o texto é considerado literário.

A linguagem não literária, também chamada de linguagem utilitária, é objetiva, impessoal e voltada inteiramente para a realidade. Sua função de linguagem predominante é a referencial.

Dessa forma, temos:

1. Linguagem literária:

– É pessoal, contaminada pelas emoções e valores de seu emissor;

– É plurissignificativa, conotativa;

– Recria a realidade;

– Tem intenção estética;

– Enfatiza a expressão (função poética);

– Apresenta-se em prosa ou em verso.

Exemplos de gêneros textuais em que predominam a linguagem literária:

– poema, crônica, romance, conto, piada, fábula, novela, lenda, parábola…

2. Linguagem utilitária:

– É impessoal, objetiva, informativa;

– Tende à denotação;

– Informa sobre a realidade como ela de fato é;

– Enfatiza a informação, o conteúdo (função referencial);

– Apresenta-se, normalmente, em prosa ou em tópicos.

Exemplos de gêneros textuais em que predominam a linguagem utilitária:

– notícia, reportagem, artigo científico, bula de remédio, receita culinária, e-mail, bilhete, anúncio, currículo, cardápio…

Exemplo de texto literário:

Receita da vovó

Açúcar, manteiga, gemas,

bater até esbranquiçar.

Mexer de leve a farinha

mais o leite (com o fermento)

pra fazer a massa inchar.

Por fim, a clara em fumaça

— clara-nuvem, clara-neve.

Forno quente feito ninho,

pois em calor de carinho

o bolo assa sorrindo,

fica fofo como o beijo

que a doceira quer no gosto

de prender namoradinho.

(Elza Beatriz. Caderno de segredos. 6. ed. São Paulo: FTD. 1997, p. 46)

Exemplo de texto não literário:

Receita de bolinho de chuva

Ingredientes:

– 2 xícaras de chá de farinho de trigo

– 1 ovo (grande)

– 2 colheres de sopa de açúcar

– 1 colher pequena de fermento em pó

– 1/2 copo de leite

– Canela em pó

Modo de preparo:

1. Coloque em um recipiente o açúcar, o ovo inteiro, o trigo e o leite.

2. Bata até obter uma massa homogênea.

3. Frite e polvilhe com açúcar e canela.

(Fonte: www.tudogostoso.com.br)

Gêneros literários

Gênero literário é a divisão dos textos literários em categorias de acordo com as semelhanças que apresentam no conteúdo e na estrutura. Tradicionalmente, temos três gêneros literários: o lírico, o épico (ou narrativo) e o dramático.

1. Gênero lírico: poemas com predomínio dos sentimentos, das emoções, e das mais variadas reflexões e concepções de mundo. A poesia, em geral, pertence a esse gênero.

2. Gênero épico (ou narrativo): são geralmente longos e costumam narrar histórias de um povo ou de uma nação. Apresenta os elementos da narrativa: narrador, personagens, tempo, espaço etc.

3. Gênero dramático: é constituído de textos feitos para a representação teatral. Isso significa que os fatos são apresentados diretamente ao espectador, sem intermediação de um narrador.

*

Gostou do artigo? Então, continue seus estudos com o nosso Guia da Literatura.