oração sem sujeito x Sujeito indeterminado

Qual a diferença entre sujeito indeterminado e oração sem sujeito? Neste artigo, vamos mostrar como diferenciar esses dois conceitos. Vejamos!

Oração sem sujeito

A oração sem sujeito, ou com sujeito inexistente, é aquela em que não é possível identificar um sujeito, porque ele simplesmente não está lá, não existe mesmo. Ela ocorre nos seguintes casos:

1) Com verbos ou expressões que denotam fenômenos da natureza:

ex: Fez frio na semana passada.

2) Com verbo haver no sentido de existir:

ex: Na casa, havia seis quartos.

3) Com os verbos fazer, haver e ir quando indicam tempo decorrido:

ex: Faz três anos que não visito Maceió.

4) Com verbo ser na indicação de tempo em geral:

ex: Era primavera, quando os ipês floresceram.

Sujeito indeterminado

Em contrapartida, a oração com sujeito indeterminado possui sim sujeito, porém não é possível ou não há o desejo de determiná-lo. Ela ocorre em três situações:

1) Com verbos na 3ª pessoa do plural:

Ex: Mudaram a mesa de lugar.

2) Com verbos na 3ª pessoa do singular + “se”:

Ex: Vive-se bem naquela cidade.

Nessa situação, a partícula “se” é chamada de índice de indeterminação do sujeito.

3) Com verbos no infinitivo impessoal:

O infinitivo pessoal é aquele que apresenta um sentido genérico e não se relaciona com nenhuma pessoa específica.

Ex: É fácil gostar de quem nos trata bem.

Resumo

  • Oração com sujeito indeterminado – existe um sujeito que pratica a ação, mas não é possível determiná-lo.
  • Oração sem sujeito – o sujeito é inexistente, não há algo ou alguém que pratique a ação.

Gostou do texto? Então, vale a pena assistir ao vídeo que fizemos sobre o conceito de derivação imprópria:

Leia também: