A imagem mostra Leonardo da Vinci. Ao lado, está escrito:
Leonardo da Vinci foi o polímata mais famoso da história.

Hoje vamos falar de duas palavras incomuns que se referem ao conhecimento, mas que têm significados bem distintos. Você vai entender quando usar cada um dos vocábulos. Vamos lá!

Polímata

Trata-se de uma palavra que vem do grego polymathēs e significa aquele que aprendeu demais.

Um polímata é alguém que tem conhecimento aprofundado em várias áreas. Um bom exemplo é Leonardo da Vinci. O famoso pintor italiano também era um especialista em outros campos, como matemática, física e escultura.

Vale dizer ainda que este é um substantivo comum de dois gêneros, ou seja, pode ser usado tanto para o feminino quanto para o masculino.

A diferenciação é feita pelo uso do artigo em um dos gêneros.

ex1: Da Vinci era um polímata.

ex2: Cleopátra era uma polímata.

Diletante

Em contrapartida, um diletante é alguém que se interessa por muitos temas, mas não se aprofunda em nenhum deles.

O termo também indica aquele que pesquisa determinados tópicos apenas por prazer, mas sem um olhar profissional.

A palavra vem do latim delectare, que significa “deliciar-se com”. O vocábulo é igualmente uma expressão de dois gêneros.

ex1: Júlio é um diletante.

ex2: Maria é uma diletante.

*

Gostou do texto? Então, recomendo a assistir ao vídeo que fizemos sobre a palavra RECRUDESCER:

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua (link para um nova página do site) .