Como e quando utilizar os quatro porquês? Essa é uma dúvida recorrente na língua portuguesa. Por isso, neste artigo, vamos mostrar em quais situações usar cada um dos termos e qual é a diferença dos porquês. Vejamos.

“Por que” separado

Essa forma é utilizada em duas situações. A primeira é quando temos o encontro da preposição “por” com o pronome interrogativo “que”. Nesse caso, a expressão terá o mesmo sentido de “por qual razão” ou “por qual motivo”.

Ex1: Por que você não foi à festa ontem?

Ex2: Gostaria de saber por que você não foi a festa ontem.

A segunda situação ocorre quando temos a junção da preposição “por” com o pronome relativo “que”. Aqui a expressão é sinônima de “pelo qual”.

Ex3: Esse é o caminho por que passei ontem à noite.

“Porque” junto

Porque é uma conjunção – termo que une dois termos ou duas orações. Ele pode indica explicação, causa, justificativa ou motivo.

A palavra tem o mesmo significado das expressões: visto que, dado que, pois, uma vez que, pelo de motivo de. Além disso, vale lembrar que o termo deve vir antecedido de vírgula.

Ex4: Ele não foi à festa ontem, porque estava doente.

“Por quê” separado e com acento

Essa forma é utilizada quando o termo vier antes de um ponto (final, de interrogação ou de exclamação). O significado é o mesmo do “por que”, ou seja, a expressão é sinônima de “por qual motivo”.

Nesse caso, temos o encontro da preposição “por” com o pronome interrogativo tônico “quê”.

Ex5: Você não foi à festa por quê?

“Porquê” junto e com acento

Porquê é um substantivo que é sinônimo de “motivo”, “razão” ou “causa”. Nesse formato, o termo virá normalmente acompanhado de um determinante (artigo definido, artigo indefinido, numeral ou pronome).

Ex6: Gostaria de saber o porquê de você não ter ido à festa.

Vale ressaltar que, quando exerce a função de substantivo, o porquê com acento pode ir para o plural.

Ex7: Este artigo trata dos quatro porquês.

Dicas para o uso dos porquês

Existem algumas dicas para saber como usar os porquês de forma rápida e fácil. Vamos começar falando do porque junto. Sempre que for possível trocar o termo por “pois” em uma frase, seu uso será correto. Já o “por quê” sempre deve ser utilizado no final da frase, nunca no começo, como o “por que” é utilizado.

Outra dica bastante difundida é que os usos dos “porquês” juntos e separados são diferentes. Normalmente, as versões separadas são utilizadas para fazer perguntas. Já o “porque” é mais utilizado em afirmações. Por fim, o “porquê” é usado em perguntas indiretas.

Resumo

No vídeo abaixo, preparamos um rápido resumo (com menos de um minuto) do uso do por que, porque, por quê ou porquê para você fixar o conteúdo.

Também preparamos um infográfico com os principais pontos tratados no artigo para poder utilizar com material de consulta: