pronome-relativo

Pronome relativo é aquele que substitui nomes já mencionados anteriormente na frase. Neste artigo, vamos detalhar quando e como utilizar esse termo. Vejamos!

Classificação

Segundo o gramático Napoleão Mendes de Almeida,  o pronome relativo é a palavra que, vindo numa oração, refere-se a termo de outra.

Ele funciona como um elemento de coesão dentro dos períodos e ajuda a evitar a repetição de palavras. Ele funciona como ligação entre duas sentenças e sempre vão introduz orações subordinadas adjetivas restritivas ou explicativas.

Os principais  pronomes relativos são: cujo, o qual, que, quem, onde e quanto.

Vamos ver quando e como utilizar cada um deles.

1) Que, o qual e variações

Esses termos têm como meta, de acordo com Mendes de Almeida, pôr em relação termos iguais, ou seja, unir um termo antecedente a outro termo consequente. Eles podem se referir a pessoas ou coisas.

ex: O funcionário o qual contratei trabalhou muito bem hoje. (o qual = funcionário)

ex: A casa que comprei é excelente. (que = casa)

ex: As mulheres das quais falei chegaram ontem à noite. (das quais = das mulheres)

ex: Esses são os relatórios nos quais me baseei.  (nos quais = nos relatórios)

2) Quem

O pronome relativo quem deve sempre se referir a uma pessoa ou a uma coisa personificada.

ex: Fui eu quem escrevi o livro. (quem = eu)

ex: Esses são os alunos a quem me referi. (a quem = aos alunos)

Vale destacar que, com esse pronome, há duas concordâncias possíveis:

  1. Concordando com o pronome  que antecede o pronome relativo (ex: Fui eu quem fiz);
  2. Concordando com o pronome quem na terceira pessoa do singular (ex: Fui eu quem fez).

3) Cujo

O pronome relativo cujo em geral indica uma relação de posse. Ele apresenta três particularidades:

a) Aparece entre termos substantivados:

ex: Li os relatórios cujos autores são muito competentes (perceba que o pronome aparece entre os substantivos “relatórios” e “autores”).

b) Concorda com o termo subsequente:

ex: Li os relatórios cujos autores são muito competentes.

ex: Li os relatórios cujas autoras são muito competentes.

c) Não é acompanhado por artigo:

ex: Li os relatórios cujos autores são muito competentes. (CORRETO)

ex: Li os relatórios cujos os autores são muito competentes. (ERRADO).

4) Onde

O pronome relativo onde sempre e somente se refere a lugares.

ex: A cidade onde moro é muito agradável.

De acordo com a norma culta, onde não pode ser usado fora da relação com lugar.

ex: A situação onde país se encontra não é boa. (ERRADO)

ex: A situação na qual o país se encontra não é boa. (CERTO)

ex: A situação em que o país se encontra não é boa. (CERTO)

5) Quanto

O pronome relativo quanto será sempre antecedido por um pronome indefinido (tudo, tanto, todo, etc.).

ex: Joana fez tudo quanto pôde para evitar o pior.

ex: Rafael trabalha tanto quanto Severina.

6) Outros pronomes relativos

Em determinadas situações, os pronomes quando e como podem funcionar como pronomes relativos.

ex: Naquele sábado, quando choveu, nós ficamos em casa. (quando = naquele sábado)

Com quando, o termo antecedente em geral trará uma ideia de tempo (ex: dias da semana, épocas do ano, estações do ano, etc.).

ex: A maneira como você fala às vezes é muito agressiva. (como = maneira).

Com como, o termo antecedente trará uma ideia de jeito, maneira ou forma de realizar determinado ato.

Variáveis e invariáveis

Para concluir, é importante ressaltar que os pronomes relativos se dividem em dois grupos:

  • Variáveis:  possuem flexão de número e gênero:
    • O qual: a qual, os quais, quais;
    • Cujo: cujas, cujos, cuja;
    • Quanto: quanta, quantos, quantas.
  • Invariáveis: não possuem flexão de gênero nem de número:
    • Onde;
    • Quem;
    • Que;
    • Quando;
    • Como.

*

Gostou do texto? Então, inscreva-se para fazer parte do Clube de Português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua.