Reticências é um tipo de pontuação representada graficamente por uma sequência de três pontos (…). De modo geral, marcam a interrupção de um enunciado.

Neste artigo, vamos mostrar 7 situações em que esse sinal de pontuação pode ser utilizado. Vejamos!

1. Indicar uma interrupção de pensamento ou de fala

“— A instrução é indispensável, a instrução é uma chave, a senhora não concorda, dona Madalena?

— Quem se habitua aos livros…

— É não habituar-se, interrompi.”

(Graciliano Ramos)

“— Moro na rua…

— Não quero saber onde mora, atalhou Quincas Borba”

(Machado de Assis)

2. Indicar partes suprimidas de uma citação

Isto acontece normalmente com trechos longos, dos quais omitimos o que não interessa. Podem ser utilizadas no início e no final do trecho.

“… galgos… e toda a demais cainçalha patrulhavam… por morros…”

(Rui Barbosa – Adaptado)

Usadas no início, indicam que o trecho transcrito pertence a um texto que não foi copiado desde o seu início, por isso começa-se com letra minúscula. Usadas no fim, indicam que o termo da citação não coincide com o fim da frase original.

3. Indicar a intenção de deixar a continuação da frase ser preenchida pela imaginação do leitor

“Duas horas te esperei.

Duas mais te esperaria.

Se gostas de mim não sei…

Algum dia há de ser dia…”

(Fernando Pessoa)

4. Transmitir certas reações físicas e emocionais do locutor, tais como: hesitação, surpresa, dúvida, timidez, alegria, tristeza, cólera, sarcasmo, etc.

— Eu… eu… queria… um agasalho — respondeu soluçando a miserável.”

(Graça Aranha)

“Mágoa de o ter perdido, amor ainda.

Ódio por ele? Não… não vale a pena…”

(Florbela Espanca)

5. Realçar uma palavra ou expressão

“E as Pedras… essas… pisa-as toda a gente!…”

(Florbela Espanca)

“E teve um fim que nunca se soube… Pobrezinho…

Andaria nos doze anos. Filho único.”

(Simões Lopes Neto)

6. Sugerir o prolongamento da fala

— Ela é linda…! (lê-se assim: Ela é lindaaaaa…)

— Você nem imagina o quanto estou feliz…! (lê-se assim: feliiiiiz…)

7. Indicar uma interpelação

“— Seu Pilar… murmurou ele daí a alguns minutos.

— Que é?”

(Machado de Assis)

5 cuidados no uso das reticências

  1. Quando são postas no fim da frase, dispensam o ponto final.
  1. Antes e depois de um ponto de interrogação ou exclamação, podemos empregar as reticências normalmente, como nos exemplos 5 e 6.
  1. Não devem ser utilizadas logo após “etc.” Numa sentença com uma enumeração inacabada, usa-se um ou outro, mas nunca os dois juntos:

— Comprei um atlas, livros didáticos, gramáticas, dicionários, etc.

OU

— Comprei um atlas, livros didáticos, gramáticas, dicionários…

  1. Não se coloca espaço entre a palavra e as reticências.

Errado:

— Levantou cedo, respirou o ar puro da manhã, fez ginástica …

Certo:

— Levantou cedo, respirou o ar puro da manhã, fez ginástica…

  1. Usa-se letra maiúscula após as reticências apenas se a ideia que se iniciou antes delas terminar antes também, caso contrário, devemos continuar o texto com letras minúsculas.

“— Sei que você fez promessa… mas uma promessa assim… não sei…

Creio que, bem pensado… Você que acha, prima Justina?”

(Machado de Assis)

*

Gostou do texto? Então, inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e para receber dicas para te deixar afiado na língua (link para uma nova página do site).