Por Pedro Valadares

Tag: coesão

Anáfora – o que é isso?

Afinal de contas, o que é uma anáfora? O termo pode indicar uma figura de linguagem ou um processo de coesão. Neste artigo, vamos explicar o que é e quando utilizar cada um dos casos. Vejamos!

Figura de linguagem

A anáfora é a repetição de vocábulos ou expressões no início de cada frase ou verso. O professor Fernando Pestana traz dois exemplos do uso desse recurso estilístico:

ex1: Quando não tinha nada, eu quis/ Quando tudo era ausência, esperei/ Quando tive frio, tremi… (Chico César).

ex2: Era uma estrela tão alta!/ Era uma estrela tão fria! / Era uma estrela sozinha… (Manuel Bandeira).

3C – fórmula para escrever bons textos

3C

Um bom texto é aquele que possui ideias claras e expostas de maneira harmoniosa, com um encadeamento lógico entre os parágrafos. Para isso, uma boa escrita deve conter os 3 Cs: coesão, coerência e consistência.

Coesão

Trata-se do uso adequado dos conectivos, que garantem unicidade à redação e criam uma ligação fluida entre as frases e parágrafos.

Os principais elementos de coesão são as preposições (a, de, para, com), as conjunções (que, porém, entretanto, todavia), os pronomes (este, cujo, o qual, ele, ela, lhe, la), os advérbios (aqui, à direita, lá, acolá) e as palavras denotativas (então, apenas, inclusive).

Coerência

Trata-se da garantia do significado lógico do texto, que evita contradições e quebras de sentido. Deve-se buscar a não contradição entre as ideias apresentadas na escrita. Veja o exemplo abaixo:

Continue reading

Hiponímia e hiperonímia – o que é isso?

HIPÔNIMO-X-HIPERÔNIMO

Hiponímia e hiperonímia são relações entre termos mais amplos e outros mais específicos. Elas se caracterizam por um correlação do tipo contém/está contido. Veja a frase a seguir:

ex: Minha mãe adora flores, principalmente, rosas, margaridas e bromélias.

Veja que as palavras rosas, margaridas e bromélias são categorias dentro do grupo mais amplo – flores. Nesse sentido, dizemos que flores é um hiperônimo de rosas, margaridas e bromélias, enquanto estas são hipônimos daquela. Esquematizando:

Hiperônimo – termo que caracteriza um grupo mais amplo em relação a um mais específico.

ex: Flores

Hipônimo – termo que indica uma categoria específica dentro de um grupo mais amplo.

ex: Rosas, margaridas e bromélias.

Vale destacar que a hiponímia e a hiperonímia se constroem na inter-relação entre as palavras e não com termos isolados. Como bem destaca Evanildo Bechara, “a oposição é um princípio fundamental para determinação da existência dos signos linguísticos”.  Nessa interação entre os termos, flores pode, por exemplo, em casos distintos, ocupar a função de hipônimo.

ex: A flora brasileira é composta por uma variedade de flores, árvores e outros tipos de vida vegetal.

Perceba que nesse caso flores é hipônimo de flora. Ou seja, uma categoria específica dentro de outra mais ampla.

Por fim, vale destacar que o uso de hipônimos e hiperônimos é um excelente ferramenta de coesão, pois ajuda a evitar a repetição de palavras.

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Veja mais no nosso canal do Youtubehttps://goo.gl/VhBR7o

Envie suas dúvidas — https://clubedoportugues.com.br/tire-suas-duvidas-2

Veja mais:

© 2020 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑