Língua Portuguesa e Literatura

Tag: conjunção (Page 1 of 2)

Vírgula com conjunções – quando usar?

O uso da vírgula é fundamental para a compreensão de um texto, entretanto, ainda existem muitas dúvidas acerca do emprego correto desse sinal gráfico. E hoje vamos tratar de uma questão recorrente: quando usar vírgula com conjunções? Neste artigo, vamos explicar todos os casos. Vejamos!

Quando usar vírgula com conjunções?

Vírgulas inseridas corretamente garantem a interpretação precisa de um texto e, quando acompanhadas por conjunções, é preciso atentar-se às regras.

1) Conjunções adversativas

Antes das conjunções adversativas (mas, contudo, porém, entretanto, etc.), devemos sempre utilizar a vírgula:

  • Sei que vocês estão brigados, mas tentem manter a calma.
  • Saímos bem cedo de casa, porém chegamos atrasados.
  • Eles foram bem educados, contudo percebemos a irritação.
  • Ela tinha acabado de sair, entretanto deixou as luzes acesas.
Continue reading

Vírgula com “porém” – quando usar?

De acordo com a regra gramatical, utilizamos a vírgula sempre antes das conjunções adversativas. Entretanto, o uso da vírgula com “porém”, ainda gera muitos questionamentos. 

Para sanar de vez suas dúvidas, neste artigo, vamos esclarecer melhor essa questão.  Vejamos!

Quando usar vírgula com “porém”?

As conjunções adversativas indicam oposição e requerem obrigatoriamente o uso da vírgula. São elas: no entanto, contudo, todavia, mas, porém, etc.

Exemplos

  • A festa foi marcada, porém o casal não irá comparecer.
  • Ela estava bem vestida, porém não se maquiou.
  • Eles foram atrás das evidências, porém não encontraram nada;
  • Pareciam pai e filho, porém nem se conheciam.

Nota-se que, em todos os exemplos destacados acima, a vírgula foi utilizada antes da palavra “porém”, entretanto, em alguns casos, a vírgula deve ser precedida de forma intercalada. Veja a seguir:

  • Discordo, porém, da pauta de hoje.
  • Queria ir embora ir embora; acontece, porém, que fiquei até mais tarde.
  • Pode me enviar uma nova emenda, a publicação, porém, ficará atrasada.
  • Não gosto da forma como se planejam; ocorreu, porém, de precisar me juntar a eles.

Nos exemplos citados acima, a vírgula com “porém” foi aplicada no meio da oração. Isso acontece quando o conectivo está deslocado na frase. Dessa forma, a conjunção adversativa “porém” aparecerá sempre entre vírgulas. 

Continue reading

Vírgula com “nem” – quando usar e quando não usar?

Devemos utilizar vírgula com “nem”? Neste artigo, vamos mostrar os casos em que o uso da pontuação é proibido e quando é permitido e obrigatório. Vejamos!

Quando não usar vírgula com “nem”?

“Nem” é a conjunção usada como acréscimo em uma frase, por esse motivo, o emprego da vírgula não é adequado na maioria dos casos. 

A vírgula é dispensável quando “nem” liga pequenas palavras e expressões. Por exemplo:

  • ela não queria sair e nem ver ninguém;
  • não visitei São Paulo nem Rio de Janeiro;
  • não comi bolo nem pão.

Em outras palavras, quando a oração apresenta pequena extensão, não se coloca a vírgula. 

Continue reading

Pôs x Pois – quando utilizar cada um?

Por conta da proximidade da pronúncia, muitas pessoas confundem os termos pôs e pois. Por isso, neste artigo, vamos mostrar quando utilizar cada um. Vejamos!

Quando utilizar “pôs”?

Pôs é a conjugação do verbo por na terceira pessoa do singular no pretérito perfeito. Vejamos alguns exemplos de uso dessa palavra:

  • Maria pôs o leite para ferver antes de preparar o lanche.
  • Ele pôs a chave em cima da mesa quando chegou.
  • Para preservar a pintura, Rui pôs uma capa de proteção no carro.

Vale acrescentar que por é um verbo irregular. Isso quer dizer que, quando conjugado, sofre alteração em seu radical.

Quando utilizar “pois”?

Pois pode exercer três funções distintas: conjunção explicativa, conjunção conclusiva e conjunção adversativa. Vamos ver cada um desses casos.

Conjunção explicativa

Nesse caso, pois é sinônimo de porque, visto que, dado que, etc.:

  • Não poderei ir a sua festa, pois tenho que estudar.
  • Marquei a consulta com o cardiologista, pois que fazer um check-up.

Conjunção conclusiva

Nessa situação, pois é utilizado no lugar de logo, portanto, dessa forma, etc.:

  • Já que não chegamos a uma conclusão, devemos, pois, marcar uma nova reunião para discutir esse tema.
  • Essa pessoa cometeu um crime. Ele deve, pois, ser condenada.

Ressalta-se que, quando funciona como conjunção conclusiva, o pois deve vir sempre após o verbo e entre vírgulas.

Conjunção adversativa

Nessa função, pois transmite uma ideia de oposição e é sinônimo de porém, mas, contudo, etc.:

  • Você acha que manda em mim? Pois eu sou uma pessoa livre.
  • Você está esperando o ônibus? Pois a empresa está em greve.

Resumo

  • Pôs – conjugação do verbo por;
  • Pois – conjunção.

*


Quer aprofundar seus conhecimentos sobre a língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.

As 10 classes gramaticais

Devido a uma semelhança morfológica, as palavras de nossa língua são divididas em dez classes gramaticais, também chamadas de classes de palavras.

Essas classes são: substantivo, artigo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição, conjunção e interjeição. Vejamos uma por uma a seguir.

Flexão das palavras

Quanto à flexão, as dez classes gramaticais se dividem em variáveis e invariáveis:

  1. Variáveis – são as palavras que variam em:
  • gênero e número: substantivo, adjetivo, artigo e numeral;
  • pessoa, gênero e número: pronome;
  • pessoa, número, modo, tempo e voz: verbo.
  1. Invariáveis – são as palavras que não apresentam flexões: advérbio, preposição, conjunção e interjeição.

1. Substantivo

O substantivo é a palavra que nomeia tudo o que existe ou o que imaginamos existir. 

Quanto à forma, pode ser classificado em:

a) primitivo: pedra, motor, trovão.

b) derivado: pedreira, motorista, trovoada.

c) simples: fruta, pão, granjeiro, chuva, pedra.

d) composto: fruta-pão, hortifrutigranjeiro, chuva-de-pedra.

Quanto à significação, pode ser classificado em:

a) comum: homem, mulher, rio, remédio, cidade.

b) próprio: Jonas, Vanessa, São Francisco, Neosaldina, São Paulo.

c) abstrato: ódio, amor, beijo, toque, fé.

d) concreto: chuva, relógio, luz, Deus, Diabo.

e) coletivo: boiada, rebanho, tropa, vara, horda.

Quanto à flexão, pode apresentar:

a) Flexão em gênero: o substantivo pode ser masculino ou feminino. Exemplos: 

– gato, gata / homem, mulher / o jacaré macho, o jacaré fêmea.

b) Flexão em número: o substantivo pode ser singular ou plural. Exemplos:

– gato, gatos / homem, homens / mulher, mulheres.

Quanto à variação em grau, pode apresentar:

a) grau aumentativo: homem grande, homenzarrão, casa gigante, casarão.

b) grau diminutivo: homem miúdo, homenzinho, casa pequena, casinha.

Continue reading

Com certeza x Concerteza – como se escreve?

ortografia-locução-adverbial

Podemos ter uma certa dúvida sobre o seguinte tema: é certo escrever com certeza é junto ou separado

A questão entre os termos com certeza ou concerteza ainda confunde muitos falantes da língua portuguesa. Porém, não podemos nos esquecer que a forma correta é com certeza. A palavra concerteza não existe na língua portuguesa e, por isso, está errada. Neste artigo, vamos falar um pouco mais sobre essa expressão. Vejamos!

Com certeza é uma locução adverbial de afirmação, formada pela preposição com  e pelo substantivo certeza.

A expressão indica uma ideia da qual não se tem dúvida, que é indiscutível.

Exemplos de com certeza

  • Com certeza, depois desta dica, eu nunca mais escreverei concerteza.
  • Mauro, com certeza, vai arrumar um novo emprego em breve.
  • Você vai ter sucesso na vida com certeza.

Sinônimos de com certeza

A expressão com certeza pode ser substituída pelos seguintes termos sinônimos:

  • Certamente;
  • Sem dúvida;
  • Por suposto;
  • Claro;
  • Indubitavelmente;
  • Decerto;
  • De maneira evidente;
  • Evidentemente.

Antônimos de com certeza

Para negar o sentido da locução com certeza, podemos lançar mão das seguintes expressões:

  • Imprecisamente;
  • De jeito nenhum;
  • De modo algum;
  • De forma alguma;
  • Discutivelmente;
  • Equivocadamente.
  • Nem sempre é locução

Outros usos de com certeza

Vale destacar, contudo, que essa locução também pode ser utilizada com um significado diferente da ideia de certeza. Ela também serve para expressar uma probabilidade alta. Nesse caso, ela funciona como sinônimo de “provavelmente” ou “possivelmente”.

  • Não se preocupe. Com certeza, ele recebeu sua mensagem.
  • Com certeza, os resultados do exame sairão em breve.

Nem sempre é locução

Vale destacar que nem sempre o encontro da preposição “com” como o substantivo “certeza” irá configurar uma locução adverbial.

Em alguns casos, essa combinação pode também funcionar como predicativo do sujeito.

ex: Maria estava com certeza de que tudo daria certo naquele dia.

ex: Eu estava com certeza de que nada aconteceria com os inocentes.

Vírgula com a locução “com certeza”

Por ser composta de apenas dois vocábulos, a expressão com certeza configura uma locução adverbial de curta extensão.

Nesse caso, segundo a Academia Brasileira de Letras, o uso da vírgula é facultativo – independentemente da locução estar ou não deslocada de sua posição natural na frase. Entenda com os seguintes exemplos:

  • Com certeza, você poderá ir para casa quando tudo estiver em seu devido lugar.
  • Com certeza você poderá ir para casa quando tudo estiver em seu devido lugar.

MAS x MAIS – quando utilizar cada um?

conjunção-advérbio

Quando utilizar cada um?

Há, na língua portuguesa, palavras com grafia bem parecida que possuem significados e funções totalmente diferentes. Um dos casos mais clássicos é o da dupla: mais e mas. Vejamos quando utilizar cada um.

Mas

Mas é uma conjunção coordenativa adversativa. Ela expressa a ideia de contraste ou compensação.

ex¹: Eu ia jogar bola hoje, mas a chuva fez o jogo ser cancelado.

ex²: Ele é muito inteligente, mas é preguiçoso.

Se você quiser saber mais sobre as conjunções adversativas, vale ler este outro texto AQUI.

Mas, quando utilizado junto com as palavras também e ainda, exerce a função de conjunção coordenativa aditiva.

ex¹: Ele não só acordou cedo, mas também limpou toda a casa.

Perceba que ele fez as duas coisas: acordou cedo e limpou a casa.

ex²: Ele não só chegou atraso, mas ainda interrompeu a reunião.

Novamente, veja que as duas ações foram realizadas: chegar atrasado + interromper a reunião.

Continue reading

3C – fórmula para escrever bons textos

3C

Um bom texto é aquele que possui ideias claras e expostas de maneira harmoniosa, com um encadeamento lógico entre os parágrafos. Para isso, uma boa escrita deve conter os 3 Cs: coesão, coerência e consistência.

Coesão

Trata-se do uso adequado dos conectivos, que garantem unicidade à redação e criam uma ligação fluida entre as frases e parágrafos.

Os principais elementos de coesão são as preposições (a, de, para, com), as conjunções (que, porém, entretanto, todavia), os pronomes (este, cujo, o qual, ele, ela, lhe, la), os advérbios (aqui, à direita, lá, acolá) e as palavras denotativas (então, apenas, inclusive).

Coerência

Trata-se da garantia do significado lógico do texto, que evita contradições e quebras de sentido. Deve-se buscar a não contradição entre as ideias apresentadas na escrita. Veja o exemplo abaixo:

Continue reading

Análise sintática na prática!

Análise sintática na prática

O objetivo deste texto é mostrar o passo a passo de uma análise sintática. Vamos lá!

PERÍODO: As redes estaduais poderão fazer adaptações preliminares, já que o Ministério da Educação condiciona a implementação de pontos da reforma à conclusão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

1º PASSO: Identificar o número de orações

Para fazer isso, é necessário encontrar os verbos.

As redes estaduais poderão fazer adaptações preliminares, já que o Ministério da Educação condiciona a implementação de pontos da reforma à conclusão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Identificamos dois verbos. Ou melhor, uma locução verbal (poderão fazer) e um verbo (condiciona).

2º PASSO: Analisar cada oração separadamente

Continue reading

Senão x se não

senão-x-se-não

Na língua portuguesa, há expressões que têm sons similares e grafias distintas. Nesse sentido, elas devem ser utilizadas em contextos diferentes. É o caso do par senão e se não.

Senão – caso contrário, de outro modo;

Ex: É melhor estudar, senão não passará no vestibular.

Nesse caso, temos uma conjunção.

Continue reading

« Older posts