Língua Portuguesa e Literatura

Tag: dicas

3 dicas para melhorar seu texto imediatamente

Neste artigo, darei três dicas práticas e imediatamente aplicáveis para você melhorar seu texto. Vamos lá!

1) Evite parágrafos com mais de cinco linhas

Em parágrafos muito longos, você corre o risco de ser prolixo e também de cometer mais erros.

Além disso, esteticamente, é desagradável para o leitor ler um bloco enorme de texto. O ideal é um parágrafo para cada ideia ou argumento.

2) Evite começar frases com ‘mas’ e ‘e’

As conjunções mas e são utilizadas para conectar frases. Assim, não é recomendável que elas iniciem as orações.

Isso não é uma regra absoluta. Há sim casos nos quais é possível que esses dois elementos venham no início da sentença. Se você tiver concluído a frase anterior e tiver iniciando um novo argumento, você pode sim utilizar mas e logo de cara.

Contudo, isso não é lá muito comum e, na norma culta, o ideal é que se evite esse artifício.

No caso do mas, você pode optar por outras conjunções como contudo, porém e todavia.

Continue reading

Conselhos para quem quer escrever melhor

Três dicas para escrever

Três dicas para escrever

Se eu pudesse dar 3 conselhos para quem quer escrever bem, seriam:

1) Não use as palavras aleatoriamente. Cada vocábulo tem um significado específico. Não existe sinônimo perfeito. Então, pense bem na hora de escrever para ver se a palavra que você escolheu é mesmo a mais adequada. Por exemplo, amar e adorar são sinônimas, mas têm sentidos distintos e carga semântica diferente.

2) Seja econômico. Nada é pior do que ler um texto de um autor prolixo. Se você pode dizer algo com duas palavras, não use três.

3) Acredite no seu potencial, desenvolva seu próprio estilo e preze pela qualidade. Escrever corretamente não é um capricho. É uma ferramenta de potencialização da credibilidade do seu texto.

Repetir palavras é bom ou ruim?

O senso comum diz que repetir palavras empobrece texto. Isso é uma meia verdade, que se aplica quando esse artifício é utilizado por conta de pobreza vocabular, ou seja, porque a pessoa não consegue encontrar sinônimos para determinada palavra.

Contudo, há casos em que a repetição é intencional e tem como objetivo gerar um efeito estilístico. É a chamada anáfora. Por exemplo, a música cantada por Elza Soares diz: “a carne mais barata do mercado é a carne negra”. A repetição da palavra “carne” tem um objetivo semântico de associar a expressão “carne negra” ao racismo.

O segredo, como eu disse, é não utilizar as palavras aleatoriamente. Se você escolher de forma criteriosa os vocábulos, o leitor entenderá que a repetição não foi uma falha vocabular, mas sim uma estratégia argumentativa.

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua
http://eepurl.com/b5exUr

Veja mais no nosso canal do Youtubehttps://goo.gl/VhBR7o

Envie suas dúvidas — https://clubedoportugues.com.br/tire-suas-duvidas-2

Crase e acento grave são coisas diferentes

Crase-acento-grave

Muita gente pensa que que acento grave é sinônimo de crase. Porém, isso não está correto. Então, sem mais delongas, vamos desfazer essa confusão.

O que é crase?

A crase, segundo Celso Luft, é o encontro e a fusão de vogais idênticas. A palavra vem do grego krásis, que significa combinação, fusão, mistura.

Já o acento grave é uma sinal gráfico que indica que há uma crase (encontro do artigo feminino “a” com a preposição “a” ou encontro da preposição “a” com os pronomes demonstrativos “aquele, aquela, aqueles e aquelas”).

Ex¹: Ele foi à festa ontem.

Ex²: Refiro-me àquela casa que fica perto da igreja matriz.

Continue reading

10 dicas para uma redação nota mil

O texto de hoje é para o leitor Dantas Daniel, que pediu para falarmos sobre dicas para redação. Então, listamos aqui 10 pontos para quem quer escrever melhor:

1) Prefira a ordem direta – Sujeito – Verbo – Complemento

Claro que, em alguns casos, pode haver uma inversão dessa ordem para fins estilísticos. Contudo, o ideal é dar preferência à ordem direta, porque facilita o entendimento da mensagem.

2) Uma frase, uma ideia

Tentar falar tudo em uma frase só é um problema sério, pois se corre o risco de perder a linha discursiva e de confundir o leitor. Então, opte, na maior parte das vezes, por orações e frases mais sucintas.

Além disso, evite a todo custo o chamado parágrafo frasal, aquele que é formado por apenas um período. Além de complicar a compreensão do leitor, esse tipo de construção prejudica a coesão e a coerência do texto.

3) Parágrafos de, no máximo, sete linhas

Essa dica segue a mesma linha da anterior. Parágrafos muito longos passam a imagem de que o autor é prolixo. Além disso, é mais cansativo, visualmente, para o leitor ver blocos imensos de textos.

Lembre-se também de escrever pelo menos três períodos por parágrafo.

Continue reading