Língua Portuguesa, Literatura e Alfabetização

Tag: dígrafo

Divisão silábica: como separar sílabas?

Saber dividir as palavras da língua portuguesa é importante, principalmente quando pensamos na comunicação escrita.

Há algumas regras aplicadas à divisão silábica que podem impactar a escrita de uma boa redação. 

Por isso, no artigo de hoje, você entenderá como separar as sílabas, também chamadas trechos de palavras, e como essa divisão é aplicada na translineação (ato de passar de uma linha para outra, na escrita, quando uma palavra não cabe toda na mesma linha).

As principais regras da divisão silábica

Uma sílaba é um fonema pronunciado por uma única emissão de voz, e sua base é sempre uma vogal. Na língua portuguesa, entende-se vogal como o núcleo da sílaba, logo, não há sílabas sem vogais.

Dito isso, temos que:

Se separam:

a) Hiatos (duas vogais juntas, mas que pertencem a sílabas diferentes)

  • saúde: sa-ú-de 
  • moeda: mo-e-da
  • dia: di-a

b) Dígrafos (consoantes que formam o mesmo som, como rr, ss, sc, sç, xc, xs)

  • exceção: ex-ce-ção
  • torre: tor-re
  • piscina: pis-ci-na

c) Encontros consonantais disjuntos (quando as consoantes de separam, permanecendo em sílabas diferentes)

  • alface: al-fa-ce
  • objeto: ob-je-to
  • afta: af-ta
Continue reading

Quando usar S, SS, SC, SÇ e Ç?

Uma das maiores dúvidas ortográficas da língua portuguesa é saber quando usar s, ss, sc, sç e ç. Por isso, neste artigo, reunimos todas as regras que você precisa conhecer para escrever com segurança, sem medo de errar. Vejamos!

Ortografia é estudar a forma correta de escrita das palavras de uma língua. Quantas vezes você já não se confundiu na hora de escrever “quiser”, “autossabotagem”, “disciplina”, “deo”, “torção”, entre muitas outras? 

O uso do S 

  • Nos sufixos -oso e -osa, quando formarem adjetivos. Exemplos: teimoso, medrosa, impiedoso, maravilhosa, bondoso;
  • Nos sufixos -esa e -isa, quando formarem palavras femininas. Exemplos: princesa, papisa, duquesa, poetisa, sacerdotisa;
  • Após ditongos. Exemplos: coisa, lousa, causa; 
  • Na conjugação dos verbos “pôr”, “querer” e “usar”. Exemplos: ela s, ele quis, eles usam;
  • Em palavras terminadas em -ase, -ese, -ise, -ose. Exemplos: frase, maionese, crise, esclerose;
  • ​​​​No caso dos sufixos de naturalidade. Exemplos: paranaense, piauiense, amazonense;
  • Em palavras derivadas de verbos terminados em “nder”, “ndir”, “erter” e “ertir”. Exemplos: pretender, pretensão; confundir, confusão; converter, conversão; divertir, diversão.
Continue reading

Carrocel x Carrossel – qual a forma correta?

A grafia correta é carrossel, com -ss. A palavra carrocel, com “c”, está errada e, por isso, não deve ser utilizada em língua portuguesa. Neste artigo, vamos fazer uma análise do termo. Vejamos!

Carrossel

A palavra carrossel é um substantivo masculino que dá nome a um brinquedo típico de parques de diversão e feiras.

Trata-se de um aparelho que consiste num eixo vertical em torno do qual gira uma estrutura circular onde se fixam assentos em forma de cavalinhos, aviões, pequenos veículos, etc.

Vale destacar ainda que o termo vem do italiano carosello.

Continue reading

Dígrafo – o que é e como identificar?

O dígrafo define-se como uma sequência de duas letras que representam um só fonema, ou seja, um só som. É o que ocorre na palavra chave, por exemplo, em que a sequência ch é um dígrafo, pois essas duas letras representam um único som, o que nos leva a pronunciar a palavra como se tivesse x: xávi.

Por isso, toda palavra com dígrafo terá o número de letras maior que o número de fonemas. Veja a seguir:

  • chá (3 letras e 2 fonemas)
  • campo (5 letras e 4 fonemas)
  • malha (5 letras e 4 fonemas)
  • queda (5 letras e 4 fonemas)
  • arrastão (8 letras e 7 fonemas)
Continue reading

Encontro consonantal – o que é, como identificar e exemplos

Um encontro consonantal é a sequência de dois ou mais fonemas consonantais numa palavra. Exemplos:

creme (cr)

– regra (gr)

– ritmo ™

tcheco (tch)

psicologia (ps)

Classificação

Podemos classificar os encontros consonantais em perfeitos e imperfeitos.

1) Encontro consonantal perfeito: também chamado de grupo consonantal, é inseparável, pois os fonemas consonantais pertencem a uma mesma sílaba.

Os mais comuns são os que têm como segunda consoante as letras L ou R:

bloco (blo-co), clima (cli-ma), flores (flo-res), glória (gló-ria), duplo (du-plo), atlas (a-tlas)

branco (bran-co), lacrar (la-crar), sofrer (so-frer), grande (gran-de), prato (pra-to), letra (le-tra)

No entanto, há outros encontros perfeitos não muito incidentes nas palavras, mas que também merecem atenção. São eles: gn, mn, pn, ps, pt, tm, cz.

gnomo (gno-mo), mnemônico (mne-mô-ni-co), pneu (pneu), psicótico (psi-có-ti-co), ptialina (pti-a-li-na), czar (czar).

2) Encontro consonantal imperfeito: também chamado de encontro consonantal disjunto, é separável, pois cada fonema consonantal pertence a uma sílaba.

– absoluto (ab-so-lu-to), convião (con-vic-ção), pacto (pac-to), advento (ad-ven-to), nafta (naf-ta), ritmo (rit-mo), apto (ap-to).

Continue reading

© 2022 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑