Língua Portuguesa e Literatura

Tag: diminutivo

Aumentativo e diminutivo: conheça todos os tipos

A língua portuguesa é móvel: prova disso são os substantivos que podem ser utilizados tanto no aumentativo quanto no diminutivo.

Dependendo da nossa escolha, o uso poderá ocasionar os mais variados significados. Isso é o que chamamos flexão em grau. Já se sabe que os substantivos podem variar em gênero, número e grau. É o que vamos aprender hoje.

Graus do substantivo

Substantivo é uma classe gramatical que nomeia seres e ações em geral. Quando se trata de flexão em grau, os substantivos podem experimentar três tamanhos: normal, diminutivo e aumentativo.

O grau normal do substantivo indica o tamanho normal de um objeto ou ser, com proporções normais e conhecidas, como nos exemplos: porta, boca, mulher, homem, nariz, tesoura, povo, livro, casa, voz.

O grau diminutivo do substantivo indica o tamanho diminuído de um objeto ou ser, com proporções menores que o normal, como nos exemplos: portinha, boquinha, mulherzinha, homenzinho, narizinho, tesourinha, povinho, livrinho, casinha, vozinha.

O grau aumentativo do substantivo indica o tamanho aumentado de um objeto ou ser, com proporções maiores que o normal, como nos exemplos: portão, bocarra, mulherão, homenzarrão, narigão, tesourão, povão, livrão, casarão, vozeirão.

Agora, a dúvida é: quando e como usar? O mais interessante é que a resposta será a clássica “depende”. Isto porque, além da noção de tamanho, o grau também pode indicar tom depreciativo e afetivo, conforme o contexto.

Quando usar o diminutivo?

O grau diminutivo pode indicar:

1) Tamanho ou dimensão

  • Na minha casinha, não cabe nem um sofá (refere-se a uma casa pouco espaçosa).
  • Ele trouxe um gatinho pra casa (refere-se a um filhote).
  • A criança usou a tesourinha (refere-se a uma tesoura pequena).

2) Tom pejorativo ou depreciativo

  • Que povinho! (não significa necessariamente que o povo é pequeno; logo, refere-se à personalidade);
  • Eu não quero um empreguinho qualquer (significa que quero um emprego decente e não um emprego pequeno);
  • Ela tem uma vozinha irritante (não é uma voz pequena; é uma forma de expressão sobre o timbre da voz);

3) Tom afetivo ou valorativo

  • Por que você tá tristinha? (indica uma fala mansa, amorosa);
  • Ele é tão bonitinho (indica apreciação);
  • Meu filho gosta de brincar e conversar com carrinhos (indica meiguice).  

Quando usar o aumentativo?

Agora, passemos ao grau aumentativo, que pode indicar:

1) Tamanho ou dimensão

  • No meu casarão, cabe mais de um sofá (refere-se a uma casa espaçosa).
  • Ele trouxe um gatão pra casa (refere-se a um gato adulto).
  • A criança usou um tesourão (refere-se a uma tesoura grande).

2) Tom pejorativo ou depreciativo

  • Que povão! (não significa necessariamente que o povo é uma multidão; logo, refere-se à personalidade);
  • Eu não quero um empregão qualquer (significa que quero um emprego decente e não um emprego grande);
  • Ela tem um cabeção (nesse caso, pode se referir a uma pessoa difícil de lidar, teimosa);

3) Tom afetivo ou valorativo

  • Por que você tá tristão? (indica uma fala mansa, amorosa);
  • Ele é tão bonitão (indica apreciação);
  • Ela tem um vozeirão (indica admiração).

Se ainda restou alguma dúvida, deixe nos comentários.

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática on-line do Clube do Português.

Golfinho tem diminutivo?

Apesar de terminar em -inho, que é um sufixo que normalmente indica diminutivo, a palavra golfinho tem sua própria forma diminutiva. É sobre isso que vamos falar neste artigo. Vejamos.

Diminutivo

O diminutivo de golfinho é golfinhozinho. Vejamos alguns exemplos de uso desse termo:

  • Ontem nasceu um golfinhozinho no aquário da cidade.
  • Vi vários golfinhozinhos perto da praia.
  • Aquele golfinhozinho nada muito rápido.

Vale ressaltar que há autores que reconhecem outros diminutivos, como golfinhozito, golfinhinho e golfinhito.

Continue reading

Colherzinha x Colherinha – qual a forma correta?

Afinal, qual a forma correta: colherzinha ou colherinha? Neste artigo, vamos tirar essa dúvida e fazer uma análise da palavra. Vejamos!

Qual o diminutivo de colher?

O substantivo colher possui duas formas de diminutivo: colherzinha e colherinha. É isso mesmo: as duas maneiras de escrever a palavra são gramaticalmente aceitas.

Vejamos alguns exemplos de uso desses termos:

  • Ele comeu o sorvete com uma colherzinha.
  • A mãe comprou uma colherinha para alimentar o bebê.
  • Para comer este doce, vou precisar de uma colherinha.
  • Aquela colherzinha caiu no chão. É melhor lavá-la antes de usar novamente.

É importante ressaltar que a forma colherzinha é a mais aceita e, por isso, é recomendável usá-la em lugar de colherinha.

Continue reading

Chapeuzinho x Chapéuzinho – tem acento?

O correto é chapeuzinho ou chapéuzinho? A palavra tem acento? Neste artigo, vamos resolver essa questão e mostrar a grafia correta. Vamos lá!

Sílaba tônica

Para solucionar essa dúvida, é fundamental relembrar as classificações das palavras de acordo com a sílaba tônica:

  • Oxítona – Sílaba tônica é a última da palavra. Ex: café, chulé, chapéu.
  • Paroxítona – Sílaba tônica é a penúltima da palavra. Ex: caráter, difícil, médio.
  • Proparoxítona – Sílaba tônica é a antepenúltima da palavra.
    Ex: oxítona, trigésimo, última.
Continue reading

Cafezinho x Cafézinho – qual a forma correta?

Por que café tem acento e cafezinho não tem? Neste artigo, vamos resolver essa questão e mostrar a regra de acentuação que se aplica a esse caso. Vejamos!

Sílaba tônica

Antes de avançarmos, é fundamental relembrar as classificações das palavras conforme a sílaba tônica:

  • OXÍTONA – Sílaba tônica é a última da palavra. Ex: café, chulé, chaminé.
  • PAROXÍTONA – Sílaba tônica é a penúltima da palavra. Ex: caráter, difícil, médio.
  • PROPAROXÍTONA – Sílaba tônica é a antepenúltima da palavra.
    Ex: oxítona, médico, penúltima.

Identificar corretamente a sílaba mais forte é essencial para utilizar bem os acentos.

Continue reading