Imagem do disco

O disco Sobrevivendo no Inferno, do grupo de rap brasileiro Racionais MC`s, foi lançado em 1997 e marcou a sociedade brasileira de várias formas. Por esse motivo, desde 2019, o álbum passou a fazer parte do rol de obras obrigatórias do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), uma das principais do país.

Para te ajudar, neste artigo, vamos fazer uma análise dos vários contextos que envolvem essa obra (social, político, econômico, religioso e cultural). Vejamos!

Contexto social

Os Racionais são um grupo criado em 1988, formado por quatro integrantes: Mano Brown, Ice Blue (oriundos da Zona Sul da Cidade de São Paulo), KLJ e Edi Rock (vindos da Zona Norte da capital paulista).

O trabalho do grupo emergiu e se concentrou no Capão Redondo. Essa região pobre e favelizada de São Paulo, assim como outras localidades com características similares, surgiu na época do êxodo rural de pessoas do interior do estado de São Paulo e, principalmente, da Região Nordeste. Esse movimento foi marcado pela ocupação irregular de terras.

Essas pessoas vinham para a capital paulista em busca de melhores condições de vida, tentando aproveitar o impulso econômico trazido pelo processo de industrialização.

Esses migrantes foram se estabelecendo em áreas periféricas da cidade, mais afastadas do centro econômico. Como nesses locais quase não havia presença do Estado e de políticas públicas, surge uma espécie de “Estado paralelo”, que é o crime organizado.

Com o crescimento da criminalidade, o Estado começa a chegar a essas regiões, mas somente com a polícia militar, sem se preocupar com a prestação de serviços sociais para a população carente. Ademais, a repressão policial quase sempre atingia indiscriminadamente toda a população local, e não somente os criminosos de fato.

É nesse contexto social, de exclusão e violência, que é produzido o disco Sobrevivendo no Inferno.

Continue reading