Língua Portuguesa e Literatura

Tag: numeral

Como se escreve 18 por extenso?

A forma correta de escrever o número 18 por extenso é dezoito, com “z”. Neste artigo, vamos explicar por que a palavra não é escrita com “s” e faremos uma análise deste termo. Vejamos!

Z ou S

Em geral, quando a letra “s” está no meio de duas vogais, ela tem som de “z”. É por isso que muita gente pensa que a forma correta é “desoito”.

Para desfazer essa confusão, precisamos ir à origem da palavra. Dezoito vem da construção “dez e oito”, ou seja, é o designativo cardinal formado de dez mais oito.

Essa é a razão de o termo ser escrito com “z”, e não com “s”. Vale destacar que essa regra se aplica a outros numerais derivados de “dez”:

  • 16 – dezesseis
  • 17 – dezessete
  • 18 – dezoito
  • 19 – dezenove
Continue reading

Como se escreve 3: três, treis, trez, treiz ou trêz?

A maneira correta de escrever o numeral 3 por extenso é três, com acento circunflexo e com “s” no final. As formas treis, trez, treiz e trêz não existem na língua portuguesa e, por isso, não devem ser utilizadas. Neste artigo, vamos analisar melhor essa palavra. Vejamos!

Numeral

Três faz parte da classe gramatical chamada de numeral. Mais especificamente, ele compõe o grupo dos numerais cardinais, que são usados, em geral, para realizar a contagem de coisas.

ex: Ele tinha três carros na garagem, mas preferia andar de ônibus.

ex: Havia três formas de resolver aquele problema e João escolher exatamente a mais difícil.

Vale destacar, no entanto, que, quando acompanhado de artigo, o termo deixa de ser um numeral e passa a ser um substantivo.

ex: O três é um número primo.

Acentuação

O vocábulo três recebe o acento por ser um monossílabo tônico terminado em “es”. A mesma regra se aplica a mês, crês e vês.

Vale ressaltar que o uso do acento circunflexo faz com que a vogal “e” tenha som fechado, diferentemente do que ocorre quando usamos o acento agudo, que traz o o som aberto, como nas palavras pé, fé e ré.

Tres

O termo tres existe em nossa língua como prefixo latino. Nesse contexto, ele possui pode ser usado de duas formas distintas:

  1. Como sinônimo de tri-, indicando algo que acontece três vezes: tresdobrar, tresdobrado, tresdobro.
  2. Como sinônimo de trans-, indicando uma posição ou um movimento além de: trespassar, tresladar, trespassado.

Avô, avó e avo – quando usar cada um?

As palavras avô, avó e avo existem na língua portuguesa. Contudo, elas possuem significados diferentes. Neste artigo, vamos explicar quando e como utilizar cada um dos termos. Vejamos!

Avô

Avô é um substantivo masculino que indica o pai da mãe ou pai do pai de alguém. O termo vem do latim aviolus.

Trata-se de uma palavra com duas sílabas (a-vô), sendo a última a tônica. Nesse sentido, ela recebe o acento circunflexo por ser uma oxítona termina com a letra “o”. Vejamos alguns exemplos de uso dessa expressão:

  • Meu avô materno mora em outro estado.
  • Eu sou muito próximo do meu avô paterno.
Continue reading

Uma única – essa expressão é um pleonasmo vicioso?

A expressão uma única configura um pleonasmo vicioso? Neste artigo, vamos tirar essa dúvida e explicar se é ou não possível utilizar essa combinação de palavras. Vamos lá!

Numeral x Artigo

O termo uma pode ter função tanto de numeral, quanto de artigo indefinido. Vejamos:

ex1: Ele tinha uma casa no campo e outra na praia.

Perceba que aqui uma funciona com numeral, pois indica quantidade. Para se certificar, basta trocar por outro número: “ele tinha duas casas no campo e outra na praia”.

ex2: Quando entrei em casa, ouvi uma barulheira estranha na cozinha.

Nesse exemplo, uma age como artigo indefinido. Trata-se de uma barulheira que não consigo precisar.

LEIA MAIS: Há crase antes de artigo indefinido?

Continue reading

Antes de numeral, tem crase?

crase

Quando utilizar crase antes de numeral?

Antes de numeral tem ou não tem crase?  Em regra, não se usa o acento grave antes de números, mas há algumas exceções. Neste artigo, vamos detalhar todos os casos. Vamos lá!

PAUSA: Antes de continuar a leitura, vale dar uma olhada no artigo que escrevemos com seis dicas sobre o uso da crase. Leia e volte aqui. Seu estudo ficará muito mais completo.

Sem artigo

Há duas possibilidades de crase:

  1. Preposição ‘a’ + artigo feminino ‘a’;
  2. Pronome demonstrativo ‘aquele’ ou ‘aquela’ + preposição ‘a’.

De maneira geral, os numerais não possuem gênero e também não são acompanhados por artigos (exceto um e dois e os números terminados em entos – trezentos x trezentas). Dessa forma, não há os encontros acima citados.

ex¹: Maria contou de 1 a 20 para não perder a calma.

ex²: Pulei as 10 primeiras páginas do livro e fui direto ao que interessava.

Continue reading

O que é adjunto adnominal?

O que é adjunto adnominal?

Adjunto adnominal é o termo que explica, especifica ou determina um substantivo. Trata-se de uma função sintática exercida por adjetivos, locuções adjetivas, artigos, pronomes adjetivos e numerais adjetivos.

Ex¹: O homem jovem comprou dois pomposos ternos.

O primeiro passo para identificar os adjuntos adnominais é encontrar os substantivos da oração. Vejamos:

Ex²: O homem jovem comprou dois pomposos ternos.

O artigo “o” e o adjetivo “jovem” estão ligados ao substantivo “homem”, agindo, assim, como adjunto adnominal.

O mesmo ocorre com numeral “dois” e o adjetivo “pomposos”, que se conectam ao substantivo “ternos”.

Adjunto adnominal x Complemento nominal

De maneira geral, o adjunto adnominal refere-se ao substantivo. Já o complemento nominal refere-se a nomes de forma ampla (substantivos, adjetivos e advérbios).

Ademais, o adjunto adnominal tem função ativa, enquanto o complemento nominal tem função passiva. Para deixar mais clara essa distinção, vamos observar a frase abaixo:

  • O ataque dos Estados Unidos ao Iraque foi terrível.

Veja que o termo “dos Estados Unidos” exercem um papel ativo em relação ao substantivo “ataque” (os Estados Unidos atacaram o Iraque). Por isso, a expressão é classificada como adjunto adnominal.

Em contrapartida, o termo “ao Iraque” ocupa um papel passivo em relação a “ataque” (o Iraque foi atacado). Assim, a expressão é classificada como complemento nominal.

Vale ressaltar ainda que o adjunto adnominal pode indicar posse, agente ou espécie.

Adjunto adnominal x Predicativo

Uma outra dúvida possível é como diferenciar o adjunto adnominal do predicativo do sujeito. Para resolver essa questão, basta substituir o sujeito por um pronome.

Se, com essa substituição, o termo desaparecer, estamos diante de um adjunto adnominal. Para compreender melhor esse processo, vejamos um exemplo:

  • A recente descoberta de vacinas beneficia os pacientes graves.
    • Sujeito: A recente descoberta de vacinas
    • Predicado: beneficia os pacientes graves.
  • Substituindo o sujeito pelo pronome “ela”:
    • Sujeito: Ela
    • Predicado: beneficia os pacientes graves.

Como com a substituição os termos que acompanham o substantivo “descoberta” desaparecem, os termos “a”, “recente” e “de vacinas” são classificados como adjunto adnominal.

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua.