Começar um texto. Essa é uma dificuldade tão recorrente, que recebeu até um nome: síndrome da folha em branco.

William Zinsser, no seu excelente livro “Como escrever bem”, diz que essa trava inicial se deve ao fetiche do produto final.

Antes mesmo de começarmos a escrever, já idealizamos um conteúdo pronto e acabado.

Essa abstração – aos poucos – consome nossa confiança.

Começamos a acreditar que não somos capazes de criar aquele texto maravilhoso que está na nossa cabeça.

Como começar um texto?

Para vencer essa barreira, podemos usar uma técnica chamada outline.

É uma espécie de esqueleto do texto. Uma estrutura de tópicos simplificada. Funciona da seguinte forma:

1) Defina o tema central;
2) Crie subtemas;
3) Liste 3 ideias-chaves para cada subtema.

Outline na prática

Vejamos um exemplo:

TEMA CENTRAL: Violência nas escolas

SUBTEMA 1: A escola como espaço de socialização.

Ideias-chaves: a) A escola recebe estudantes com valores diferentes: b) A diferença de valores pode gerar conflitos; c) Os professores se veem no papel de mediadores.

SUBTEMA 2: Escola como parte da sociedade.

Ideias-chaves: a) Não podemos enxergar a escola como um ambiente isolado; b) O ambiente onde a escola está inserida influência a vida escolar; c) Conflitos externos podem se refletir no ambiente interno da escola

SUBTEMA 3: Possíveis soluções para a violência nas escolas.

Ideias-chaves: a) Envolver a comunidade e os pais na gestão da escola; b) Promover ações para incentivar a paz nas escolas; c) Desenvolver atividades que fortaleçam os laços entre os estudantes.

Pronto! Agora temos um caminho claro de como construir o conteúdo.

Basta conectar os subtemas e as ideias-chaves e teremos um texto coeso e bem estruturado.

Gostou do texto? Então, vale a pena assistir ao vídeo no qual falo sobre como escrever o parágrafo perfeito:

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua (link para um nova página do site) .

Matricule-se agora no nosso curso “Português para produtores de conteúdo” (link para um novo site).

Compartilhe este texto: