Por Pedro Valadares

Tag: particípio

Bem-feito, bem feito e benfeito – quando usar cada um?

Bem-feito, bem feito e benfeito: as três formas estão corretas, mas cada uma deve ser utilizada em um contexto específico. Neste artigo, vamos mostrar quando e como usar cada termo. Vejamos!

Benfeito

De acordo com o Vocabulário Oficial da Língua Portuguesa (Volp), benfeito, junto e sem hífen, é um substantivo, sinônimo de benfeitoria e de benefício. Vejamos alguns exemplos de uso dessa palavra:

  • O benfeito da administração contribuiu para o bem-estar dos moradores do bairro.
  • Para recuperar essa praça, a prefeitura terá que fazer muitos benfeitos.
  • Esse benfeito vai deixar a fachada do prédio muito mais bonita.
Continue reading

Chego x Chegado – qual a forma correta?

A grafia correta é chegado. A palavra chego não existe e não pode ser usada como particípio do verbo “chegar”. Neste artigo, vamos explicar por que somente a primeira forma é aceita. Vejamos!

Particípio

Antes de continuar, vamos lembrar o que é o particípio. Trata-se de uma das formas nominais do verbo. Ela indica uma ação já finalizada e apresenta, normalmente, terminação “-ado” ou “-ido”.

Muitas vezes, o particípio assume função de adjetivo ou advérbio. 

ex: imprimido, morrido, pagado, chegado, partido, comprado, etc.

Particípio regular x Particípio irregular

Os verbos podem ter dois tipos de particípio: regular e irregular. Também podem ser verbos abundantes (possuem os dois tipos de particípio).

particípio regular é terminado em “-ado” ou “-ido”. A maior parte dos verbos apresenta esse tipo de particípio, como vimos acima.

Em contrapartida, o particípio irregular, em geral, é formado pelo radical do verbo e pelos sufixos “-to” e “-so”.

ex: escrito, pago, visto, feito, coberto.

Ademais, os verbos abundantes são aqueles que têm os dois tipos de particípio.

ex: morrido x morto, pago x pagado, salvado x salva, impresso x imprimido .

Chegado

Nesse contexto, vale dizer que chegar não é um verbo abundante. Dito de outra forma, ele possui apenas uma forma de particípio, que é o particípio regular chegado. Assim, vejamos alguns exemplos de uso desse termo:

  • Antes da festa começar, ele já tinha chegado.
  • Se até às 16h eu ainda não tiver chegado, vocês podem começar a reunião sem mim.
  • A essa hora, já era para João ter chegado.

Gênero

Vale ressaltar que o particípio pode ser utilizado como adjetivo ou substantivo. Nesse âmbito, ele apresenta flexão de gênero e de número:

  • Chegada a hora, estávamos preparados para o desafio.
  • Era chegada a oportunidade de mudarmos o rumo dessa história.

Quando usar “chego”?

A palavra chego é a conjugação do verbo “chegar” na primeira pessoa do singular do presente do indicativo:

  • Sempre que eu chego em algum lugar, gosto de cumprimentar todas as pessoas.
  • Eu chego cedo todo dia na academia.
  • Hoje eu chego na hora marcada. Pode confiar.

*

Gostou do texto? Então, vale a pena ler também os seguintes artigos:

“Eu tinha trazido” ou “Eu tinha trago”?

A forma correta é “eu tinha trazido“. A palavra trago não pode ser usada como particípio do verbo “trazer”. Neste artigo, vamos explicar por que somente a primeira grafia está certa. Vejamos!

Particípio

Antes de avançar, vamos relembrar o que é o particípio. Trata-se de uma das formas nominais do verbo. Ela indica uma ação já finalizada e apresenta, normalmente, terminação “-ado” ou “-ido”. Em muitos casos, o particípio assume função de adjetivo ou advérbio. 

ex: trazido, chegado, pagado, transcorrido, partido, amado, etc.

Continue reading

Aposto: 7 tipos que você precisa conhecer

A imagem mostra um caderno sobre uma mesa. Em cima, há uma tarja na qual está escrito: aposto - o que é, tipos e exemplos.
Aprenda quando utilizar cada tipo de aposto.

Um aposto é um termo usado junto a outro com valor substantivo ou pronominal para explicá-lo ou especificá-lo melhor.

Neste artigo, vamos explicar os 7 tipos que existem. Também vamos te mostrar quando utilizar cada um. Vamos lá!

1 – Aposto resumidor ou recapitulativo

Resume uma sequência de termos, usando os pronomes indefinidos “tudo”, “nada”, “nenhum”.

Deve-se usar pontuação antes do pronome indefinido.

Ex1: Falei com Márcia, Rafaela e Daniel, todos estavam bem.

Ex2: Bebida, festas, viagens, nada me alegrava.

Continue reading

Inserto x Incerto – qual a diferença?

Apesar de terem grafias parecidas, as palavras incerto e inserto têm significados diferentes. Neste artigo, vamos explicar quando utilizar cada uma. Vamos lá!

Incerto

Escrito com C, o adjetivo masculino significa algo que não é certo, que não se pode confirmar.

ex1: O retorno de Rui era incerto, pois ele tinha muitas mágoas quando saiu de casa.

ex2: A previsão dos economistas mostrava um futuro incerto para os trabalhadores.

Continue reading

Incluso x Incluído

incluso x incluído

As palavras não são sinônimas.

Muita gente pensa que as palavras incluso e incluído  são sinônimas. Isso, no entanto, não é correto.

Os termos possuem diferentes funções morfológicas. Incluso é um adjetivo e incluído é o particípio do verbo “incluir”.

Ex¹: O redator tinha incluso o preço do serviço no orçamento. (ERRADO)

Ex²: O redator tinha incluído o preço do serviço no orçamento. (CORRETO)

incluso pode ser utilizado na formação da voz passiva ou ocupando o papel de predicativo nas construções com o verbo “ser”. Veja:

Ex¹: O bilhete está incluso no pacote. (CORRETO)

Ex²: O bilhete foi incluso  no cinema. (ERRADO)

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na línguahttp://eepurl.com/b5exUr

Veja mais no nosso canal do Youtubehttps://goo.gl/VhBR7o

Curta nossa página no Facebookhttps://www.facebook.com/portuguesdicas/

 

O que são as formas nominais de um verbo?

Gerúndio-participio-infinitivo

As formas nominais do verbo são: gerúndio, particípio e infinitivo. Elas apresentam algumas características especias:

  1. Não apresentam flexão de modo e tempo;
  2. Podem exercer o papel de substantivo, adjetivo e advérbio.

Neste artigo, vamos detalhar cada uma delas e mostrar quando e como usá-las. Vejamos!

Infinitivo

O infinitivo representa a ação em si, sem conjugação alguma. Ele é o “nome” do verbo. Dependendo do final, pode ser classificado como 1ª, 2ª ou 3ª conjugação.

  • Terminação “AR” – 1ª conjugação (ex: amar);
  • Terminação “ER” – 2ª conjugação (ex: correr);
  • Terminação “IR” – 3ª conjugação (ex: sorrir).

Continue reading

O que é locução verbal?

Uma locução verbal é o encontro de dois verbos desempenhando a função de apenas um. Elas são formadas pela união de um verbo auxiliar e um principal. Neste artigo, vamos detalhar melhor esse conceito. Vejamos!

Flexão

Nas locuções verbais, o verbo auxiliar sofre a flexão para indicar tempo, modo, número e pessoa verbal.  Já o verbo principal aparecerá em uma das formas nominais: gerúndio, particípio ou infinitivo:

  • Ele estava chegando, mas teve de retornar por conta de um imprevisto. (verbo auxiliar ‘estava’ + verbo principal no gerúndio ‘chegando’).
  • Quando cheguei, ele havia partido. (verbo auxiliar ‘havia’ + verbo principal no particípio ‘partido’).
  • Pode acontecer tudo hoje. (verbo auxiliar ‘pode’ + verbo principal no infinitivo ‘acontecer’).

Locução verbal e tempos compostos

As locuções verbais formadas com os verbos auxiliares “ter” e “haver” combinadas com o particípio formam os chamados tempos compostos. Vejamos alguns exemplos:

  • Eles tinham saído mais cedo hoje.
  • Amanhã pela manhã, eu já terei terminado essa tarefa.
  • Quando cheguei em casa, minha esposa já havia feito o jantar.

Principais verbos auxiliares das locuções verbais

Na língua portuguesa, os verbos auxiliares usados com mais frequência em uma locução verbal são:

  • Ir: “Vou passear”
  • Estar: “Estou estudando”
  • Poder: “ Pode acontecer”
  • Haver: “Havia feito”
  • Ter: “Tinha falado”
  • Fazer: “Fiz acontecer”

*

Gostou do texto? Então, vale a pena ler também os seguintes artigos:

© 2021 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑