Língua Portuguesa e Literatura

Tag: pleonasmo

“Grande maioria” é pleonasmo vicioso?

A expressão “grande maioria” não é considerada um pleonasmo vicioso. Neste artigo, vamos explicar por que o uso dessa construção é totalmente legítimo na língua portuguesa. Vejamos!

Toda maioria é grande?

A palavra maioria é um substantivo feminino que indica a maior parte de um grupo. Um ponto importante a se observar é que existe uma gradação no tamanho de uma maioria.

Para entender melhor essa situação, vamos imaginar uma eleição com dois candidatos. No primeiro cenário, o eleito conquistou 51% dos votos e o perdedor ficou com os outros 49%.

Perceba que estamos diante de uma diferença de apenas dois pontos percentuais. Isso significa que o vencedor recebeu o apoio de uma pequena maioria.

Agora vamos supor que, nesse mesmo pleito, o candidato eleito recebesse 95% dos votos, contra apenas 5% do opositor. Aqui podemos afirmar, sem medo, que o vencedor teria conquistado uma grande maioria.

Percebeu como o uso do adjetivo “grande” não é redundante. Ele acrescenta uma informação importante ao substantivo “maioria”, que nos permite captar detalhes da situação descrita.

Continue reading

Elo é sempre de ligação

Elo

Todo elo é de ligação

O pleonasmo é a figura de linguagem que indica o uso de palavras redundantes para reforçar uma ideia. Contudo, quando essa repetição é desnecessário, temos o chamado pleonasmo vicioso. É muito comum encontrarmos, por exemplo, a expressão “elo de ligação”.

Continue reading

“Como, por exemplo” é um pleonasmo vicioso?

Pergunta da leitora : Em frases do tipo “É preciso reconhecer os principais problemas, como tempo de casa e hora trabalhada, por exemplo”. Ou “como, por exemplo, tempo de casa e hora trabalhada”. É correto usar como e por exemplo em uma mesma frase? Já ouvi dizer que é redundante. O certo é colocar só como ou só por exemplo. Confere? Ou não tem problema usar os dois juntos?

Resposta:

As expressões como e por exemplo podem ser usadas na mesma frase? Neste artigo, vamos analisar essa questão e mostrar se os termos podem ou não aparecer juntos. Vejamos!

Estilo x Erro

Os termos como e por exemplo  transmitem ambos a ideia de exemplificação. Isso quer dizer que a construção “como, por exemplo” configura um pleonasmo.

Esse fato não configura um erro em si, pois a redundância trazida pelo pleonasmo pode ocorrer por dois motivos.

Por um lado, o uso de expressões com o mesmo significado pode representar um erro do autor. Nesse caso, estaríamos diante de um pleonasmo vicioso.

Por outro, o uso de termos que possuem sentido semelhantes pode funcionar como estratégia de realce de ideias (pleonasmo de estilo). Nesse sentido, seu uso é legítimo.

Feita essa contextualização, voltemos ao exemplo trazido pela leitora:

ex: É preciso reconhecer os principais problemas, como tempo de casa e hora trabalhada, por exemplo.

Nesse período, o uso conjunto de “como” e “por exemplo” está correto, porque a repetição de sentidos reforça a ideia de que “tempo de casa” e “hora trabalhada” são apenas dois dentre vários “problemas”.

Continue reading