Afinal, a forma correta é “eu te amo”, “te amo” ou “amo-te”? Neste artigo, vamos tirar essa dúvida e mostrar qual a regra de colocação pronominal correta. Vejamos!

A expressão “Te amo” está correta?

Apesar de nos depararmos frequentemente com as palavras: “te amo”, a maioria das pessoas não sabem, de fato, a maneira correta de escrevê-la. Então, vamos à explicação.

De acordo com a gramática da Língua Portuguesa, é incorreto iniciar uma oração com pronomes pessoais do caso oblíquo, aqueles que são acompanhados ou não de preposição. Confira abaixo quais são eles:

Pronomes pessoais oblíquos átonos: 

  • 1ª Pessoa – Me (no singular), nos (no plural);
  • 2ª Pessoa – Te (no singular),  vos (no plural);
  • 3ª Pessoa – Se, lhe, o, a (no singular), se, lhe, os, as (no plural).

Os pronomes pessoais oblíquos átonos não precisam ser acompanhados por nenhuma preposição para que seu sentido seja compreendido. Eles exercem a posição de complemento da oração.

Pronomes pessoais oblíquos tônicos:

  • 1ª Pessoa – Mim, comigo (no singular), conosco (no plural);
  • 2ª Pessoa – Ti, contigo (no singular), convosco (no plural);
  • 3ª Pessoa – Si, consigo, (no singular), si, consigo (no plural).

Os pronomes pessoais oblíquos tônicos precisam, em regra, ser acompanhados por preposição para que o seu enunciado seja entendido. 

De acordo com a explicação acima, percebemos que a expressão “te amo” gramaticalmente falando, está errada, pois não devemos começar uma oração fazendo o uso do pronome pessoal.

Porém, é algo ainda muito discutido, pois, apesar da norma nos indicar o erro, algumas expressões, com o passar do tempo, podem se tornar consagradas pelo uso, por facilitarem a comunicação entre os falantes.

Contudo, o correto, de acordo com a gramática normativa, é o uso da ênclise, ou seja, do pronome após o verbo: “Amo-te”.

É correto dizer: “Eu te amo”? 

Já esclarecemos que a forma “te amo” está incorreta segunda a norma culta. Mas a frase “Eu te amo” está certa? Antes de responder essa pergunta, vamos conferir alguns exemplos:

  • Eu te amo! Você é a razão da minha vida;
  • Eu te amo! Tu és a razão da minha vida;
  • Eu te amo! Você é tudo o que eu preciso;
  • Eu te amo! Tu és tudo o que eu preciso.

Nas frases destacadas acima, podemos notar duas maneiras diferentes de colocação da frase “Eu te amo”. Embora pareçam iguais, o uso juntamente com o pronome de tratamento na 3ª pessoa do singular “você” configura um erro de coesão. 

A utilização da frase “Eu te amo” não está errada, desde que concordemos com o pronome “tu”, utilizado na  2ª pessoa do singular. Em outras palavras, o emprego do pronome “te” deve fazer referência à 2ª pessoa do singular “tu”.

Caso o pronome utilizado pelo interlocutor seja “você”, devemos usar: o, a, os, as, lhe, lhes. Logo, teremos: “eu a amo” ou “eu o amo”. Atente-se aos exemplos:

  • Eu a amo tanto, que até dói.
  • Eu o amo de corpo e alma.
  • Eu a amo mais que tudo.
  • Eu o amo com todo o meu coração.

Eu te amo ou amo-te?

Neste caso, as duas formas estão corretas, só devem ser empregadas de maneiras diferentes para a coerência gramatical. 

Como já mencionamos “Eu te amo” pode ser usado normalmente, desde que se respeite a pessoa verbal , ou seja, contanto que se aplique de forma correta, o seu uso está liberado e correto. 

“Amo-te” segue regra semelhante. Está escrito da maneira certa, com a aplicação do pronome indicativo de 2ª pessoa “te”. Entenda melhor com os exemplos abaixo:

  • Amo-te como nunca amei ninguém.
  • Amo-te de forma absurda e incomparável.
  • Amo-te demais e sempre amarei.
  • Amo-te mais do que a mim mesmo.

Nos exemplos mencionados acima, as orações estão todas corretas, já que o verbo “amo” está flexionado e seguido do pronome enclítico. 

Há algumas outras formas, também corretas, de se expressar usando o verbo “amo”. São elas:

  • Eu o amo;
  • Eu a amo;
  • Eu te amo;
  • Eu amo você;
  • Eu amo-o;
  • Eu amo-a. 

Em todos os casos, empregando os pronomes corretamente e fazendo a junção com o modo verbal, não têm como errar. Confira:

  • Juliana, eu a amo.
  • Tadeu, eu o amo.
  • Luciana, eu amo-a.
  • Jorge, eu amo-o.
  • Lucas, eu amo você!
  • Fabiana, eu te amo!

Nas frases acima, temos exemplos do emprego correto da flexão do verbo “amar”.

*

Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português.