A forma correta é “eu tinha trazido“. A palavra trago não pode ser usada como particípio do verbo “trazer”. Neste artigo, vamos explicar por que somente a primeira grafia está certa. Vejamos!

Particípio

Antes de avançar, vamos relembrar o que é o particípio. Trata-se de uma das formas nominais do verbo. Ela indica uma ação já finalizada e apresenta, normalmente, terminação “-ado” ou “-ido”. Em muitos casos, o particípio assume função de adjetivo ou advérbio. 

ex: trazido, chegado, pagado, transcorrido, partido, amado, etc.

Particípio regular x Particípio irregular

Os verbos podem ter particípio regular e/ou irregular ou podem ser verbos abundantes (possuem os dois tipos de particípio).

O particípio regular é aquele terminado em “-ado” ou “-ido”. A maioria dos verbos apresenta esse tipo de particípio, como vimos acima.

Em contrapartida, o particípio irregular, em geral, é formado pelo radical do verbo e pelos sufixos “-to” e “-so”.

ex: pago, feito, coberto, visto, escrito.

Por fim, os verbos abundantes são aqueles que apresentam os dois tipos de particípio.

ex: pago x pagado, impresso x imprimido, salvado x salva, morrido x morto.

Trazido

Diante do exposto, vale dizer que trazer não é um verbo abundante. Em outras palavras, ele possui apenas uma forma de particípio, que é o particípio regular trazido. Nesse sentido, vejamos alguns exemplos de uso desse termo:

  • Ele tinha trazido a sobremesa para a festa.
  • Eu não estou encontrando a pasta que eu tinha trazido para cá ontem.
  • Era para Marta ter trazido o relatório para esta reunião?

Gênero

É importante ressaltar que o particípio pode ser utilizado como adjetivo ou substantivo. Nesse contexto, ele pode apresentar flexão de gênero e de número:

  • O empresário permitiu que a carga fosse trazida para o Brasil de navio.
  • As novas propostas trazidas para essa reunião precisam ser discutidas com cautela.
  • Esses vinhos foram trazidos por um convidado da festa.

Quando usar “trago”?

A palavra trago é a conjugação do verbo “trazer” na primeira pessoa do singular do presente do indicativo:

  • Eu sempre trago uma caneta no meu bolso.
  • Eu trago sempre um lanche para o trabalho.
  • Sempre que venho aqui, trago um presente para meu sobrinho.

Gostou do texto? Então, vale a pena assistir ao vídeo sobre quando usar as palavras devia e deveria: