A forma correta é vaga-lume, com hífen. A grafia vagalume, sem hífen, não é mais aceita na língua portuguesa. Neste artigo, vamos explicar melhor essa situação. Vejamos!

Acordo Ortográfico

Antes da Reforma Ortográfica, a forma vagalume, sem hífen, era considerada correta. Contudo, com a entrada em vigência do Novo Acordo Ortográfico, a grafia certa passou a ser a com hífen: vaga-lume.

Assim, o termo passou a seguir a regra geral dos nomes composto formados pela união de um verbo e de um substantivo, como acontece em porta-bandeira, bate-boca e saca-rolha, por exemplo.

Significado de vaga-lume

Vaga-lume é um substantivo composto formado por justaposição. Isso quer dizer que, na união dos dois termos, ambos se mantiveram intactos, sem perdas de letras.

Ademais, trata-se de um substantivo uniforme, porque só pode ser usado no masculino.

Esse termo, segundo o dicionário Dicio, dá nome aos insetos, pertencentes à família dos lampirídeos e dos fengodídeos, caracterizados por possuírem órgãos que emitem raios luminosos e que se localizam na parte mais alta de seus abdomes.

Vale destacar que esse inseto também é chamado de pirilampo.

Qual o plural de vaga-lume?

Nos substantivos compostos formados pelo união de um verbo e um substantivo, apenas o segundo termo deve ir para o plural. Assim, o plural de vaga-lume é vaga-lumes.

ex: Os vaga-lumes iluminam a noite.

Caga-lume

Uma curiosidade interessante é que o nome original do inseto era caga-lume, pois ele era visto como aquele que caga (defeca) lume (forma culta de dizer fogo, luz).

Contudo, por pudor linguístico e para tomar a palavra mais palatável, o termo foi alterado para vaga-lume.

*

Gostou do texto? Então, vale a pena ler também: