Os vícios de linguagem são desvios das normas gramaticais ocasionados por desconhecimento ou má assimilação da norma culta por parte de quem fala ou escreve.

Neste artigo, vamos falar sobre 12 vícios de linguagem que você deve evitar. Vejamos!

Índice do artigo:

Ambiguidade (Anfibologia)

Também chamada de anfibologia, a ambiguidade consiste na dupla possibilidade de interpretação de um enunciado. Popularmente, esse vício de linguagem recebe o nome de “duplo sentido”.

– Visitou a amiga e depois saiu com seu namorado. (O namorado é de quem?)

– A filha quer o intercâmbio logo, mas a mãe não quer. (Não quer o intercâmbio ou não quer que seja logo?)

Arcaísmo

O arcaísmo é o uso de palavras ou construções que já caíram em desuso na nossa língua.

Se parece sempre igual o aspecto do caminho, em compensação mui variadas se mostram as paisagens em torno.”  (mui = muito)

(Inocência, Visconde de Taunay)

 “Os três dias de nojo tinham passado.” (nojo = pesar, luto)

(A Capital, Eça de Queirós)

Barbarismo

São barbarismos os erros de escrita e de pronúncia. Eles dividem-se em:

a) Cacografia: erro na grafia ou na flexão da palavra.

– excessão (em vez de exceção)

– mindingo (em vez de mendigo)

– quizer (em vez de quiser)

– interviu (em vez de interveio)

b) Silabada: alteração na prosódia.

brica (em vez de rubrica)

íbero-americana (em vez de ibero-americana)

– uter (em vez de ureter)

bel (em vez de nobel)

Cacofonia (Cacófato)

Chamamos de cacofonia ou de cacófato o som desagradável, por vezes cômico, provocado pela união de duas ou mais palavras numa frase.

– Nunca gaste mais do que recebe. (nunca gaste = cagaste)

Como ela está linda! (como ela = com moela)

– Há dez vagas no ensino superior por cada mil habitantes. (por cada = porcada)

– A boca dela não sai do meu pensamento. (boca dela = cadela)

Colisão

A colisão é o efeito sonoro desagradável resultante da repetição de fonemas consonantais iguais ou semelhantes (aliteração).

– Era necessário que vo permitisse que a Clarice fizesse por você. (repetição do fonema /s/)

Eco

O eco é o efeito sonoro desagradável resultante da repetição de fonemas iguais no fim das palavras.

– Naquele armazém ninguém o conhecia também.

– Realizaram uma sessão para tratar da organização da nomeação da comissão.

Estrangeirismo

O estrangeirismo é o uso de palavras ou expressões próprias de outros idiomas. Este vício divide os gramáticos, pois para alguns mais puristas, todo estrangeirismo é, na verdade, um barbarismo; enquanto para outros, só é vício de linguagem aquele que não possui um equivalente em português.

– Hoje, a nossa call será às 16h. (em vez de ligação ou chamada)

– Amei as t-shirts da nova coleção! (em vez de camisetas)

– Nos falamos no coffee break. (em vez de intervalo ou horário do café)

– Para superar os obstáculos, você precisa desenvolver um mindset de crescimento. (em vez de mentalidade)

Hiato

O hiato já é o efeito sonoro desagradável resultante de uma sequência de palavras com os mesmos fonemas vocálicos.

– Vou à aula disposta a ajudá-la.

Ou ouçoo ou mandoo ouvir-me.

Pleonasmo vicioso (tautologia)

Também conhecido como redundância, o pleonasmo vicioso é o uso de palavras ou expressões desnecessárias, as quais repetem uma ideia já expressa no enunciado.

dez anos atrás, saí da casa de meus pais.

Entrou dentro de casa correndo para não ser atacado pelo cachorro.

– Fizeram uma surpresa inesperada no meu aniversário.

– Aquilo era apenas um pequeno detalhe.

Preciosismo

Preciosismo é o rebuscamento desnecessário da linguagem, o que torna a comunicação artificial.

– O desvirtuamento de recursos é a óbice da nação. (em vez de “A corrupção é o problema da nação.”)

– Minha progenitora tem doença crônica baseada em adiposidade. (em vez de “Minha mãe tem obesidade.”)

Plebeísmo

Por outro lado, o plebeísmo é o uso de gírias e demais palavras e expressões muito informais. Em alguns casos, pode soar como linguajar vulgar.

Tá me tirando, irmão?

– Vamos meter o louco na festa!

– Esse troço caro pra burro.

Peguei ranço e que se dane!

Solecismo

Solecismo é o desvio sintático relativo à concordância, regência ou colocação pronominal.

a) solecismo de concordância: 

Haviam muitos manifestantes pelas ruas. (em vez de Havia)

b) solecismo de regência:

– Vamos assistir o Fla x Flu juntos. (em vez de assistir ao)

c) solecismo de colocação:

Não tinha-se ideia do que fazer por lá. (em vez de Não se tinha)

Vícios de linguagem x licença poética

Na literatura, a licença poética consiste na liberdade do escritor de transgredir a norma culta para transmitir mais facilmente o que deseja. Nesses casos, portanto, não se trata de desvios linguísticos, como os vícios de linguagem, mas, sim, de recurso estilístico.

*

Leia também:

Infográfico

Para resumir todos os pontos trabalhados neste artigo, criamos um infográfico completo com todos os vícios de linguagem para você usar como material de consulta:

Infográfico – vícios de linguagem