A vogal temática (VT) é um morfema que tem a função de ligar o radical à desinência de número ou aos sufixos, dando origem ao tema. Neste artigo, vamos abordar os seguintes tópicos:

Classificação

Tanto os verbos quanto os nomes apresentam vogais temáticas. Por isso, elas podem ser classificadas em nominais e verbais. Vejamos abaixo as características de cada grupo.

Vogais temáticas nominais

As vogais temáticas nominais estão presentes nos substantivos e dividem-se em três grupos:

  • A vogal “a”: substantivos terminados em “a”, por exemplo, mata, escola e mala.
  • A vogal “o”: substantivos terminados em “o”, por exemplo, sapo, cabresto e livro.
  • A vogal “e”: substantivos terminados em “e”, por exemplo, controle, corte e mote.

É importante destacar que as vogais temáticas nominais se encontram no final das palavras e são sempre átonas. Elas unem-se à desinência indicadora de plural:

ex: escolas, livros e cortes.

Nesse sentido, as palavras terminadas com “a”, “e” e “o” tônicos não apresenta vogal temática: café, cipó, manjá.

Vale ressaltar que as vogais temáticas são diferentes das desinências indicadoras de gênero (feminino [pata] e masculino [pato]). Assim, no caso de “pata”, a letra “a” não funciona com vogal temática. 

Vogais temáticas verbais

As vogais temáticas verbais indicam a conjugação do verbo. Na Língua Portuguesa, existem três grupos de conjugações verbais:

  • 1ª conjugação é o “a”: cantar, amassar, falar.
  • 2ª conjugação é o “e”: vencer, comer, reter.
  • 3ª conjugação é o “i”: sair, cobrir, subir.

Palavras atemáticas

Palavras atemáticas são aquelas que não possuem uma vogal temática. Como mostramos antes, os termos terminados em vogais tônicas, como mocotó, cipó, chalé, etc., não possuem tema, pois a vogal final faz parte do radical da palavra. 

Os nomes  terminados em consoante também são atemáticos. Nesses casos,  a vogal temática aparece apenas no plural (mar, mares; cartaz, cartazes; mal, males). 

Aqui é importante esclarecer que, para o gramático Evanildo Bechara, na forma singular dos nomes terminados em consoante, a vogal temática existe de forma latente, enquanto no plural ela existe de forma patente.

Com relação aos verbos, é importante dizer que não há vogal temática na 1ª pessoa do singular do presente do indicativo e em nenhuma pessoa do presente do subjuntivo.

Por exemplo, em “eu amo”, a letra “o” não é vogal temática verbal, mas sim uma desinência número-pessoal. A mesma situação ocorre com “que ele volte”. Nesse caso, a vogal “e” também atua com desinência, e não como temática.

Vogal temática x Vogal de ligação

É fundamental saber diferenciar a vogal temática da vogal de ligação. Diferentemente da VT, a vogal de ligação não é um morfema. Ela é apenas uma letra, que tem como função ajudar na pronúncia de algumas palavras.

ex: bananeira, gasômetro, frutífero.

Vogal temática x Tema

Tema e vogais temáticas são conceitos distintos. Como dito anteriormente, as vogais temáticas são um tipo de morfema que conecta o radical com as desinências e com os sufixos.

Por sua vez, o tema, segundo a gramática Amini Boainain Hauy, é o radical ampliado por uma vogal temática, pronto para receber outro elemento mórfico, como uma desinência ou um sufixo.

ex: livro (tema) = livr (radical) + o (VT)

Elementos Mórficos

Para finalizar, vamos relembrar a lista de elementos mórficos da língua portuguesa:

  • Radical
  • Raiz
  • Tema
  • Afixos (prefixos e sufixos)
  • Desinências (nominais e verbais)
  • Vogais temáticas (nominais e verbais)
  • Vogal ou consoante de ligação

Você pode conferir o conceito e a função de cada um dos elementos no nosso artigo completo sobre estrutura das palavras.

*

Preparamos um mapa mental direto e prático para te ajudar a fixar o conceito trabalhado neste artigo:

mapa mental sobre vogal temática