Clube do Português

Língua portuguesa para produtores de conteúdo

Mexer x Mecher – qual a forma correta?

Segundo as regras ortográficas da língua portuguesa, a forma correta de escrita da palavra é mexer, com a letra x. A grafia mecher está em desacordo com a gramática normativa e não deve ser utilizada na escrita.

Continue reading

No que tange a x No que tange à

O correto é no que tange a ou no que tange à? Tem ou não tem crase? Neste artigo, vamos acabar de vez com essa dúvida. Vamos lá!

Verbo tanger

Para começar nossa análise, vamos entender melhor a transitividade do verbo tanger.

Ele é transitivo direto, o que significa que não pede preposição entre o verbo e o objeto.

ex: Há prédios tão altos que quase tangem o céu.

O termo tem sentido de encostar, roçar, atingir.

Então, quer dizer que não precisamos da crase? Não! Há um detalhe que muda tudo. É o que veremos no próximo tópico.

Continue reading

Companhia ou compania – qual a forma correta?

Por Escrever Certo

O certo é companhia ou compania? Neste artigo, vamos te mostrar a maneira correta de grafar a palavra. Vamos lá!

Com NH ou sem NH?

Embora na pronúncia corrente da língua portuguesa os falantes tendam a dizer compania, a forma correta é companhia, com o NH.

A palavra compania, escrita sem a letra h, não existe no vocabulário da língua portuguesa e, portanto, não deve ser utilizada.

Significado

O vocábulo companhia é de origem latina e refere-se ao ato de acompanhar ou ser acompanhante de alguém, bem como à convivência entre pessoas.

O termo pode significar também uma associação, uma comitiva ou uma firma com vários sócios.

Continue reading

Se quer x Sequer – qual a forma correta?

Se quer ou sequer: qual a maneira certa? As duas expressões existem na língua portuguesa, mas têm significados diferentes. Neste artigo, vamos explicar quando usar cada uma. Vamos lá!

Se quer

Temos aqui o encontro da conjunção se com o verbo quer. A expressão é sinônima de se pretende ou se deseja.

ex1: Se quer ir, vai – disse o pai de Francisco.

ex2: Se quer ter uma aposentadoria tranquila, invista com inteligência desde agora.

Bônus: Conheça todas as funções da palavra se.

Continue reading

Secretaria x Secretária – qual a forma correta?

A imagem mostra uma mulher com um fone de ouvido. Ao lado, está escrito: secretaria x secretária.
Tem ou não tem acento?

Secretaria ou secretária: as duas palavras existem, mas têm significados diferentes. Neste artigo, vamos explicar o sentido de cada um dos e quando utilizá-los. Vamos lá!

Secretaria

A palavra SECRETARIA, sem o acento, significa um setor administrativo. Ela representa um departamento dentro de uma instituição.

ex1: Maria foi na secretaria da escola buscar o boletim do seu filho.

ex2: O documento de liberação da obra deve ser assinado pelas secretarias de infraestrutura e de meio ambiente.

Continue reading

3 benefícios da escrita para sua vida profissional

Muita gente ignora a importância da escrita no dia a dia profissional. Isso é um baita erro.

Por isso, hoje quero falar sobre três benefícios que escrever bem pode trazer para o seu trabalho.

Aprendi essas dicas em um artigo da Julia Clavien.

1) Precisão

Quando coloca suas ideias no papel, você tende a ser muito mais específico na forma de se expressar.

Isso passa para outras pessoas a imagem de alguém que pensa claramente.

É como diz William Zinsser, “escrever organiza e clarifica nossos pensamentos e nos permite descobrir o que sabemos – e o que não sabemos”.

Continue reading

Gerundismo: evite esse vício de linguagem

Gerúndio: usado por muitos, odiado por vários.Essa forma nominal do verbo sofre de mau uso. Por isso, acaba por levar uma fama que não merece.

Quando usar o gerúndio?

O gerúndio deve ser utilizado para indicar atividades contínuas. O problema é que muita gente o usa para expressar ações que não têm essa característica.

Um caso clássico é o telemarketing.

Atire a primeira pedra que nunca ouviu um “vou estar transferindo sua ligação”.

O correto aqui seria um simples e efetivo “vou transferir sua ligação”. Mais prático impossível.

Uma dica matadora sobre o gerúndio é: empregue essa forma verbal com significado adverbial.

Mas que diabo é isso, Pedro? Calma, eu explico.

Use o gerúndio para mostrar a forma como determinada ação é praticada.

Ex1: Paulo vai para casa caminhando.

Ex2: O pintor trabalha assobiando.

Continue reading

Queísmo: 5 dicas práticas para não repetir o “QUE”

O queísmo é uma vício de linguagem que empobrece seu texto. Confira 5 dicas práticas para fugir dele.

Hoje quero falar com você sobre um vício que estraga bons textos: o queísmo. Essa partícula é a erva daninha da escrita. É só você se distrair e logo seu conteúdo está infestado de “que” pra todo lado.

Por isso, vou compartilhar 5 técnicas para eliminar essa praga.

1) Use a oração reduzida de infinitivo

Ex: Planeje-se para que não haja prejuízo.

Agora, com o infinitivo.

Ex: Planeje-se para não haver prejuízo.

2) Use a oração reduzida de particípio passado

Ex: O chefe quer que as obras recomecem.

Vejamos como fica com o particípio.

Ex: O chefe quer as obras recomeçadas.

Continue reading

3 elementos essenciais de textos irresistíveis

Um texto é composto de três elementos essenciais.

Ignorar qualquer um deles pode prejudicar sua comunicação e criar ruído. E ruído gera mal-entendidos.

Então, vamos falar de cada um deles para você não cair nessa armadilha.

O post é um pouco mais longo, mas te garanto que, se você ler tudo, sua visão sobre produção de conteúdo vai se transformar radicalmente.

1) Quem fala

Você é parte ativa da sua mensagem. Os leitores sempre vão avaliar sua formação e sua experiência para julgar seu conteúdo.

Quando eu digo que fiz um pós-graduação em revisão de texto e que já corrigi milhares de páginas, isso passa mais credibilidade para o que eu falo.

Pelo menos no início da conversa.

A forma como você se comporta também influencia a percepção do seu texto.

De nada adianta criar um conteúdo de primeira linha se você for alguém detestável.

Isso, com certeza, fará as pessoas se afastarem de você.

Continue reading

Colocação pronominal: quando usar próclise, ênclise e mesóclise?

Hoje vou falar de um tema que sempre gera muitas dúvidas: colocação pronominal.Quando o pronome deve vir antes do verbo? Quando deve vir depois? Quando deve vir no meio?

Neste artigo, vou detalhar todos os casos para você dominar de vez esse tópico. O texto é mais longo, mas se você ler até o fim, garanto que não vai mais escorregar nessa questão.

Já adianto uma estratégia bem efetiva: na dúvida, use o pronome antes do verbo.

Próclise

É a mais famosa e recorrente de todas. É quando o pronome vem antes do verbo.

O segredo aqui é se lembrar dos fatores de próclise. São termos que atraem o pronome para perto deles:

a) Pronomes relativos: que, o/a qual, cujo, onde, quem, etc.

ex: Fui eu que lhe dei aquele presente.

b) Pronomes interrogativos: quem, quando, como, etc.

ex: Quem te ligou?

c) Pronomes indefinidos: alguém, algum, vários, muitos, etc.

ex: Alguém me disse que amanhã teremos uma reunião.

d) Advérbios ou locuções adverbiais: sempre, talvez, ontem, etc.

ex: Sempre se diz que a prática leva à perfeição.

e) Conjunção subordinativa (aquelas que ligam as orações subordinadas à principal): quando, embora, assim que, visto que, etc.

Embora se saiba que exercício faz bem para saúde, há ainda muitas pessoas sedentárias.

f) Em + pronome + gerúndio: em se tratando de, em se falando de, etc.

ex: Em se tratando de escrita, a prática diária é fundamental.

g) Negação: não, nem, nunca, etc.

ex: Não a vi hoje o dia inteiro.

Continue reading
« Older posts