Clube do Português

Por Pedro Valadares

Qual o plural de curta-metragem?

Afinal, qual é o plural de curta-metragem? Neste artigo, vamos mostrar qual a forma correta de fazer a flexão de número desse substantivo composto. Vejamos!

Adjetivo + Substantivo

Nos substantivos compostos formados pela combinação de um adjetivo com um substantivo, ambos os termos devem ir para o plural na flexão de número. Logo, o plural de curta-metragem é curtas-metragens.

Vejamos alguns exemplos de uso desse termo:

  • O Festival de Cinema de Canela premia muitos curtas-metragens todos os anos.
  • Os filmes que mais gosto são os curtas-metragens.
  • No mercado de animação, há muitos curtas-metragens de qualidade.

Destaca-se que essa regra também é válida para o termo longa-metragem, cujo plural é longas-metragens.

Continue reading

Polissemia: o que é e exemplos

A polissemia é um aspecto da semântica que trata da pluralidade de significação de um mesmo vocábulo. Em outras palavras: é a possibilidade de uma palavra adquirir mais de um sentido no idioma.

Exemplos de palavras polissêmicas

a) Peça:

  • O mecânico disse que meu carro precisa de uma peça nova.
  • Assisti a uma incrível peça de teatro ontem.
  • Comprei a peça de carne mais cara para o churrasco.
  • Ele pregou uma peça de mau gosto com os avós.

b) Ponto:

  • Mesmo olhando para o espelho retrovisor, o motorista atropelou o ciclista, pois este encontrava-se em um ponto cego.
  • Na noite passada, vândalos quebraram o ponto de ônibus da rua da escola do bairro.
  • O ponto de ebulição da água, ao nível do mar, é 100°C.
  • O ponto central da reunião da semana será a necessidade de demissões em massa.

c) Grave:

  • O filho descobriu que está com uma doença grave.
  • Ela tem uma voz grave, por isso se destaca dos demais cantores.
  • Acento grave é aquele que indica a crase.
  • Palavra grave é o outro nome possível para palavra paroxítona.

Perceba que, nos exemplos acima, por mais que mudemos o contexto e o sentido das palavras polissêmicas “peça”, “ponto” e “grave”, todas elas mantiveram a sua classe gramatical. “Peça” e “ponto” são substantivos em todos os exemplos, bem como “grave” é adjetivo em todos os exemplos também.

Continue reading

Quiuí x Kiwi – qual a forma correta?

A forma correta na língua portuguesa é quiuí. A grafia kiwi é a original da língua inglesa. Neste artigo, vamos fazer uma análise completa da palavra. Vejamos!

Oficial

O Vocabulário Oficial da Língua Portuguesa (Volp) da Academia Brasileira de Letras registra somente a forma quiuí.

Vale registrar, contudo, que alguns dicionários, como o Aulete, o Priberam e o Michaelis, trazem as duas grafias: quiuí e kiwi. Esta segunda forma é tratada sempre como um estrangeirismo.

Continue reading

Oxítona – o que é, como identificar e exemplos

Uma palavra oxítona (também chamada de aguda) é aquela em que o acento tônico recai sobre a sua última sílaba. Vejamos alguns exemplos:

– a (a-)

– vo (vo-)

– rapaz (ra-paz)

– condor (con-dor)

– vintém (vin-tém)

– vata (va-ta-)

– urubus (u-ru-bus)

– pontapés (pon-ta-pés)

– armazéns (ar-ma-zéns)

Como identificar uma palavra oxítona

Perceba que, nas oxítonas listadas acima, temos tanto exemplos com acento gráfico quanto exemplos sem acento gráfico. No caso das palavras que possuem esse acento, fica mais fácil identificar sua sílaba tônica, pois ela sempre será a mesma sílaba onde se encontra o acento gráfico, o qual pode ser agudo ou circunflexo.

No caso das palavras sem o acento gráfico, é imprescindível que nos atentemos à pronúncia de cada uma delas, isto é, que nos atentemos aos seus respectivos acentos tônicos. O acento tônico é o mesmo que sílaba tônica, ou seja, é a sílaba que se pronuncia com mais intensidade numa palavra. Dessa forma, está relacionado à fonologia, parte da gramática que se preocupa com a emissão sonora das palavras.

Continue reading

Artigo: definição, classificação e uso

O artigo é um termo que acompanha o substantivo, definindo seu número (singular x plural) e seu gênero (masculino x feminino). Essa classe gramatical se divide em dois grupos: artigos definidos e artigos indefinidos.

Neste texto, vamos detalhar esses conceitos e mostrar sua classificação e seu uso. Vejamos!

Artigo definido

Os artigos definidos são: a, as, o e os. Segundo Celso Cunha e Lindley Cintra, eles indicam que algo ou alguém é uma coisa ou um ser já conhecido do leitor ou do ouvinte, seja por ter sido mencionado antes, seja por ser objeto de um conhecimento de experiência.

Vamos analisar dois casos de uso do artigo definido:

  • Ele chegou ao colégio cedo hoje.

O uso do artigo definido “o” mostra que se trata de um colégio já conhecido pelo falante ou pelo ouvinte.

  • Naquele momento, uma bela moça entrou no salão. A mulher era deslumbrante e atraiu os olhares de todos no recinto.

Veja que o uso do artigo definido “a” trata de um ser que já havia sido previamente mencionado.

Continue reading

Alfabeto oficial da Língua Portuguesa

O alfabeto da língua portuguesa tem origem no alfabeto latino, que também é chamado de alfabeto romano. Trata-se de um dos sistemas mais utilizados no mundo.

Quantas letras tem o alfabeto?

Antes da Reforma Ortográfica, o alfabeto do português contava com 23 letras. Contudo, com o advento do Acordo Ortográfico, nosso alfabeto passou a ter 26 letras, com a incorporação das letras y, w e k.

Como ler as letras?

As letras são lidas da seguinte maneira:

  • a (á)
  • b (bê)
  • c (cê)
  • d (dê)
  • e (é)
  • f (éfe)
  • g (gê)
  • h (agá)
  • i (i)
  • j (jóta)
  • k (cá)
  • l (éle)
  • m (ême)
  • n (êne)
  • o (ó)
  • p (pê)
  • q (quê)
  • r (érre)
  • s (ésse)
  • t (tê)
  • u (u)
  • v (vê)
  • w (dáblio)
  • x (xis)
  • y (ípsilon)
  • z (zê)

Vogais e consoantes

O alfabeto do português contava originalmente com cinco vogais e 18 consoantes. Contudo, com a entrada das três novas letras, passamos a ter o seguinte cenário:

  • A letra “y” é considerada uma vogal;
  • A letra “w” é considerada vogal quando tem som de “u” e consoante quando tem som de “v”;
  • A letra “k” é considerada uma consoante.

Sistemantizando, temos:

Vogais: a, e, i, o, u, y, w;
Consoantes:
b, c, d, f, g, h, j, k, l, m, n, p, q, r, s, t, v, w, x, z.

Continue reading

Como pontuar diálogos corretamente?

Os diálogos são parte fundamental dos textos narrativos. Contudo, muita gente se confunde na hora de pontuar esse tipo textual. Por isso, neste artigo, vamos mostrar as principais regras de pontuação dos diálogos. Vejamos.

O que são os diálogos?

Os diálogos são a representação do discurso direto e indicam a fala real dos personagens. Eles se diferem dos discurso indireto, quando o narrador expressa a fala dos personagens com suas próprias palavras.

Os diálogos interrompem a narração. Nesse sentido, é fundamental marcar essas interrupções de forma clara por meio da pontuação.

Antes de avançarmos, é importante destacarmos uma característica fundamental dos textos narrativos, que é o uso dos verbos dicendi. Esses verbos são aqueles que indicam o ato de fala de um sujeito (ex: dizer, falar, narrar, reclamar, concordar, exclamar, gritar, ralhar, etc.).

Saber identificá-los é fundamental para usar corretamente a pontuação nos diálogos.

Continue reading

Dois-pontos (:) quando usar esse sinal de pontuação?

Os dois-pontos são um sinal de pontuação que marca, na escrita, uma pausa moderada na leitura de uma frase ainda não concluída.

Esse sinal tem como finalidade enfatizar a informação que virá logo em seguida, a qual costuma expressar uma causa, uma consequência, uma análise, uma síntese, uma exemplificação.

Quando utilizar os dois-pontos?

Na prática, esta pontuação é utilizada nos seguintes casos:

1) Introduzir uma citação:

– Uma das frases mais famosas de “O Pequeno Príncipe” é: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”.

– Já dizia Walt Disney: “Se podemos sonhar, também podemos tornar nossos sonhos realidade”.

Continue reading

Qual o plural de ermitão?

Afinal de contas, qual o plural da palavra ermitão? Neste artigo, vamos resolver essa dúvida. Vejamos!

Três plurais

O substantivo ermitão, segundo o dicionário Aulete, possui três formas de plural distintas: ermitões, ermitães e ermitãos. Vejamos exemplos de uso dessas três palavras:

  • Os ermitões são pessoas que vivem isoladas.
  • Na minha vida, nunca tive contato com ermitães.
  • Naquela ermida, vivem muitos ermitãos.

Esse fenômeno, em que uma mesma palavra possui diferentes grafias, é chamado de formas gráficas variantes ou formas variantes

Isso ocorre em decorrência do processo de formação da língua e do contexto social. Apesar de haver sempre uma grafia mais recorrente, todas as formas estão certas e de acordo com a ortografia do idioma.

Continue reading

Aliteração: o que é e quando usar?

A aliteração é um tipo de figura de linguagem fônica – também chamada de figura de som – e consiste na repetição de fonemas consonantais iguais ou semelhantes. Essa repetição ocorre, normalmente, no início de palavras de um verso ou de uma frase.

Veja a seguir um exemplo de aliteração com a repetição do fonema consonantal /v/:

Viola violeta violenta violada

Obvia vertigem…”

(Adélia Prado)

Agora, veja com os fonemas /p/, /d/ e /t/, que não são iguais, mas possuem uma semelhança fonética que realça a musicalidade do verso:

“Esperando, parada, pregada na pedra do porto”

(Chico Buarque)

O uso da aliteração

Esse recurso estilístico, apesar de ser muito mais utilizado nos poemas, também pode ser encontrado nos textos em prosa, nos provérbios e nos trava-línguas. No clássico livro “O burrinho pedrês”, de Guimarães Rosa, podemos encontrar exemplo de aliteração em prosa:

Boi bem bravo, bate baixo, bota baba, boi berrando… Dança doido, dá de duro, dá de dentro, dá direito… Vai, vem, volta, vem na vara, vai não volta, vai varando…”

(Guimarães Rosa)

Importante enfatizar que o que deve ser levado em consideração, portanto, é a pronúncia da palavra, e não a sua escrita. Para ilustrar, veja um exemplo com letras diferentes, mas que representam o mesmo fonema, o fonema /ʒ/:

“Toda gente homenageia Januária na janela.”

(Chico Buarque)

Perceba que o principal efeito causado por essa figura de linguagem é o reforço do ritmo que o autor pretende incutir à frase. Além disso, ela ajuda a enfatizar o significado central do texto, como no trava-língua a seguir:

“O rato roeu a roupa do rei de Roma.”

A aliteração em R enfatiza o a mensagem do texto, por exemplo, pois sugere o som do ator de roer.

Continue reading
« Older posts

© 2021 Clube do Português

Theme by Anders NorenUp ↑