Clube do Português

Língua portuguesa para produtores de conteúdo

Interrogativa geral x Interrogativa parcial – qual a diferença?

Existem dois tipo de entoação interrogativa: a geral e a parcial. Neste artigo, vamos explicar a diferença e quando utilizar cada uma. Vamos lá!

Interrogação geral

De acordo com o mestre Evanildo Bechara, em seu livro “Lições de Português pela análise sintática”, a interrogativa geral é aquela em que a resposta se resume a “sim” ou “não”.

Ex1: Você vai na festa a amanhã?

Ex2: Vai chover amanhã?

Ex3: A loja abre aos domingos?

Normalmente, quando utilizamos esse tipo de pergunta, buscamos respostas curtas e factuais. Não há uma preocupação de se aprofundar muito no tema.

Essas interrogativas normalmente sugerem uma conversa rápida. Por isso, quando essa expectativa é quebrada, gera-se um incômodo.

Por exemplo, se você pergunta se a padaria estará aberta amanhã, fica implícito que não deseja receber uma resposta longa e detalhada.

Continue reading

Coronavírus ou coronavirus – tem acento?

Infelizmente, essa palavra se popularizou rapidamente. E com esse crescimento no uso do termo, surge a dúvida se ele tem ou não tem acento (o certo seria coronavírus ou coronavirus?). Neste artigo, vamos tratar dessa questão. Vamos lá!

Um lembrete

Identificar corretamente a sílaba tônica é meio caminho andado para utilizar bem os acentos. Por isso, vamos relembrar rapidamente alguns conceitos importantes:

OXÍTONA – Sílaba tônica é a última da palavra. ex: picolé, chulé, chaminé.
PAROXÍTONA – Sílaba tônica é a penúltima da palavra. ex: caráter, difícil, médio.
PROPAROXÍTONA – Sílaba tônica é a antepenúltima da palavra.
ex: oxítona, médico, penúltima.
Continue reading

O Que é Estrangeirismo e quais as palavras mais adotadas no nosso vocabulário?

A imagem mostra um quadro com vários nomes em inglês, como workshop, motivation, success, results, etc.
Imagem: Unist

A língua portuguesa teve suas origens no latim, assim como o italiano, francês, romano, espanhol e outras. E ela evoluiu ao longo dos anos juntamente com seus falantes. E podemos dizer, através de uma metáfora, que toda língua é um organismo vivo que está sujeito a constantes mudanças e adaptações.

Basta olhar registros de falantes de décadas ou centenas de anos atrás para perceber o caráter mutável e o fenômeno da transformação. E uma das formas que potencializam essas mudanças é a entrada de outras palavras através de falantes de outras línguas.

Esse fenômeno conhecido como estrangeirismo não é recente. Desde sempre as línguas se beneficiaram de palavras advindas de outros idiomas.

O Brasil, particularmente, agregou milhares de termos de línguas estrangeiras através da cultura e das pessoas que chegavam ao nosso país, fazendo com que o português falado no Brasil tivesse nuances que acabam por diferenciá-lo daquele falado em Portugal. E esses “empréstimos linguísticos” acabaram por acrescentar termos que enriqueceram nossa forma de se comunicar, apesar de alguns linguistas tradicionais olharem com cautela tal fato.

Um dos idiomas que mais contribuíram e ainda contribuem para a construção do nosso vocabulário é a língua inglesa. E apesar de existirem algumas diferenças entre o português e o inglês, nós incorporamos várias expressões utilizadas comumente em diversas áreas.

Isso se dá porque o inglês é a mais influentes das línguas faladas no mundo, sendo considerada a linguagem universal, assim como o francês já foi um dia.

As palavras e expressões são utilizadas em diversas áreas comuns: alimentação, hábitos, moda, comportamento, tecnologia e informática, comunicação e marketing, dentre outras.

Continue reading

Povo x População – qual a diferença?

A imagem mostra um mapa e, em cima dele, há um boneco de um homem com uma mala com a mala levantada.
Os dois conceitos são ou não são sinônimos?

Muita gente usa os termos povo e população como sinônimos, mas será que eles têm o mesmo significado? Neste artigo, vamos explicar a diferença entre esses dois conceitos. Vamos lá!

População

As distinções entre essas duas palavras vêm mais do mundo jurídico do que do dicionário em si.

Segundo a professora Nathália Masson, população é um conceito numérico. Nesse sentido, ele indica a quantidade de pessoas que vivem em determinado território.

Assim, é irrelevante se o indivíduo é ou não um nacional daquela localidade. A população abrange aqueles que nasceram naquele local, mas também todos os outros estrangeiros que vieram de outros destinos, mas que lá estão naquele momento.

Continue reading

Regra da feiura – o que é isso?

O certo é feiura ou feiúra?

Neste artigo, vamos falar com você sobre a regra da feiura. Essa técnica vai te ajudar a entender uma das normas de acentuação da Reforma Ortográfica. Vamos lá!

Uma palavra, uma regra

A melhor forma de decorar as mudanças do Acordo Ortográfico é escolher uma palavra conhecida que represente cada regra.

É exatamente o que acontece com o vocábulo feiura.

Segundo a reforma, as letras “u” e “i” dos hiatos que vêm logo após um ditongo não são mais acentuadas nas palavras paroxítonas.

ex: feiura, baiuca, feiume.

Continue reading

Polímata x Diletante – você sabe o que significa essas palavras?

A imagem mostra Leonardo da Vinci. Ao lado, está escrito: "polímata x diletante - qual a diferença?"
Leonardo da Vinci foi o polímata mais famoso da história.

Hoje vamos falar de duas palavras incomuns que se referem ao conhecimento, mas que têm significados bem distintos. Você vai entender quando usar cada um dos vocábulos. Vamos lá!

Polímata

Trata-se de uma palavra que vem do grego polymathēs e significa aquele que aprendeu demais.

Um polímata é alguém que tem conhecimento aprofundado em várias áreas. Um bom exemplo é Leonardo da Vinci. O famoso pintor italiano também era um especialista em outros campos, como matemática, física e escultura.

Vale dizer ainda que este é um substantivo comum de dois gêneros, ou seja, pode ser usado tanto para o feminino quanto para o masculino.

A diferenciação é feita pelo uso do artigo em um dos gêneros.

ex1: Da Vinci era um polímata.

ex2: Cleopátra era uma polímata.

Continue reading

A mão x À mão – qual a forma correta?

Um homem de barba faz crochê.
Tem ou não tem crase?

A mão ou à mão? A expressão leva ou não leva crase? Neste artigo, vamos resolver essa dúvida. Vamos lá!

Semântica x Sintaxe

Essa questão é um pouco polêmica. A crase com “à mão” é mais semântica, que sintática.

Na língua portuguesa, convencionou-se usar a crase nas locuções adverbiais formadas por palavras femininas. É exatamente o caso de “à mão”.

Há, no entanto, uma corrente minoritária de gramáticos que defende que não se deve usar o acento grave. Eles argumentam que não há um encontro entre a preposição “a” com o artigo feminino “a”.

Continue reading

Crase: 5 casos em que você não deve usá-la

A crase é, sem sombra de dúvidas, um dos temas que mais geram dúvidas. Por isso, neste artigo, vamos falar de 5 casos em que ela não deve ser usada. Vamos lá!

O que é a CRASE?

Antes de tudo, vamos relembrar o que é a crase e como e quando devemos usá-lo. Trata-se do encontro de vogais iguais => A + A = À. Acontece, em geral, em três casos:

  1. Encontro da preposição A com os artigos definidos A ou AS;
  2. Encontra do pronome demonstrativo A com a preposição A;
  3. Encontro dos pronomes demonstrativos aquele, aquela e aquilo com a preposição A.

1) Antes de verbo

Verbos não aceitam artigo preposto. Por isso, não é possível haver o encontro entre preposição e artigo feminino.

ex: Ele começou a caminhar diariamente este ano.

2) Antes de cujo e cuja

Não é possível colocar artigo antes dos pronomes relativos cujo e cuja. Assim, a preposição sempre estará sozinha e não teremos o encontro de duas letras “a”.

ex: Esse é o trabalho a cuja autora eu elogiei.

Vale lembrar que os pronomes cuja e cujo também não aceitam artigo depois deles.

Continue reading

Infinitivo: 3 regras definitivas de conjugação

Infinitivo: 3 regras para conjugação

Sim. O infinitivo pode ser conjugado. Essa forma nominal do verbo pode ser pessoal (conjugável) ou impessoal.

Neste artigo, vamos te ensinar 3 regras práticas para acabar com todas as suas dúvidas sobre a conjugação do infinitivo. Vamos lá!

#1 – Como verbo principal

Quando é o verbo principal da oração com sujeito expresso, o infinitivo pode concordar com o núcleo do sujeito.

ex: É fundamental vocês estudarem a língua portuguesa.

Continue reading

Banho maria x Banho-maria – tem hífen?

O correto é banho maria ou banho-maria?

O processo de cozinhar um alimento sem deixar que a panela tenha contato direto com o fogo é conhecido como banho-maria. Ou seria banho maria?

Neste artigo, vamos ver se a expressão tem ou não tem hífen. Vamos lá!

Sentido completo

Quando a combinação de dois termos que possuem sentido próprio der origem a uma outra palavra com significado próprio, devemos usar o hífen.

É exatamente o caso da expressão banho-maria. O termo tem um sentido totalmente diferente das palavras que o compõe (“banho” e “maria”).

ex1: Márcia fez aquele pudim em banho-maria.

ex2: Banho-maria é uma ótima técnica para fazer doces.

Continue reading
« Older posts