Língua Portuguesa e Literatura

Tag: pronome oblíquo

Eu te amo, te amo ou amo-te – qual a forma correta?

Afinal, a forma correta é “eu te amo”, “te amo” ou “amo-te”? Neste artigo, vamos tirar essa dúvida e mostrar qual a regra de colocação pronominal correta. Vejamos!

A expressão “Te amo” está correta?

Apesar de nos depararmos frequentemente com as palavras: “te amo”, a maioria das pessoas não sabem, de fato, a maneira correta de escrevê-la. Então, vamos à explicação.

De acordo com a gramática da Língua Portuguesa, é incorreto iniciar uma oração com pronomes pessoais do caso oblíquo, aqueles que são acompanhados ou não de preposição. Confira abaixo quais são eles:

Pronomes pessoais oblíquos átonos: 

  • 1ª Pessoa – Me (no singular), nos (no plural);
  • 2ª Pessoa – Te (no singular),  vos (no plural);
  • 3ª Pessoa – Se, lhe, o, a (no singular), se, lhe, os, as (no plural).

Os pronomes pessoais oblíquos átonos não precisam ser acompanhados por nenhuma preposição para que seu sentido seja compreendido. Eles exercem a posição de complemento da oração.

Continue reading

5 classificações do vocábulo “a”

O vocábulo “a” pode exercer diferentes funções na língua portuguesa. Neste artigo, vamos detalhar as 5 classificações que esse termo pode ter. Vejamos!

1) Artigo

Quando é usado para determinar o substantivo, o “a” atua como artigo definido feminino. Vejamos alguns exemplos:

  • A casa foi vendida no mês passado.
  • Passei o presente para a menina.
  • Você pode abrir a porta, por favor?
Continue reading

Guia do pronome: relativo, indefinido, reto, oblíquo, adjetivo e substantivo

Pronome

Os pronomes são termos que substituem ou acompanham um substantivo. No primeiro caso, eles são classificados como de pronome substantivo; no segundo, de pronomes adjetivos. Veja o exemplo abaixo:

Ex: Paulo saiu de casa hoje cedo. Ele esqueceu sua chave em cima da mesa.

O pronome ele é substantivo, pois substitui Paulo. Já o pronome seu é adjetivo, porque acompanha o substantivo chave.

Os pronomes ainda podem ter outras classificações. Vejamos algumas abaixo:

1) Pronomes relativos

Utilizados para retomar substantivo citado anteriormente e introduzir uma oração adjetiva. Portanto, o pronome relativo é utilizado para criar coesão textual, além de evitar a repetição excessiva de palavras.

Veja quais são os pronomes relativos:

  • O que, qual e suas variações;
  • Quem;
  • Cujo;
  • Onde;
  • Quanto.

OBS: existem situações nas quais os pronomes quando e como terão papel de pronome relativo. Com o uso da palavra quando, o termo anterior terá ideia de tempo. Como a utilização da palavra como, o termo antecedente passará a ideia de maneira, forma de fazer.

.

Pronomes relativos: o que são, quando usá-los e exemplos

2) Pronomes pessoais

Pronomes pessoais são aqueles que tomam o lugar dos substantivos que representam as pessoas do discurso. Os tipos de pronomes pessoais se dividem em retos e oblíquos.

2) Pronomes pessoais do caso reto

As funções sintáticas dos pronomes pessoais do caso reto são de sujeito ou predicativo do sujeito. Veja exemplos:

  • ELA cortou os cabelos ontem;
  • As responsáveis por essa decisão são ELAS. 

Veja agora quais são os pronomes retos: 

  • Eu (1ª pessoa do singular);
  • Tu (2ª pessoa do singular);
  • Ele/ela (3ª pessoa do singular);
  • Nós (1ª pessoa do plural);
  • Vós (2ª pessoa do plural);
  • Eles/elas (3ª pessoa do plural).

2) Pronomes pessoais do caso oblíquo

Os pronomes do caso oblíquo funcionam como complementos nominais, objeto direto e objetivo indireto. Além disso, são divididos entre átonos e tônicos. Os pronomes átonos não são precedidos de preposição, mas os tônicos são. 

Conheça os pronomes oblíquos com a lista abaixo:

  • Tônicos: mim, comigo, ti, contigo, ela, ele, conosco, nós, convosco, vós, elas, eles.
  • Átonos: me, te, a, o, lhe, nos, vos, as, os, lhes.

Pronome do caso reto x pronome do caso oblíquo

Continue reading

EU e MIM – como usar um e outro?

Eu-x-mimQuem nunca sofreu (ouvindo ou falando) falando mim no lugar de eu? Esse é um dos equívocos mais comum na língua portuguesa. Então, vamos desfazer essa confusão.

Quando usar “eu”?

“Eu” é um pronome pessoal do caso reto. Segundo as regras gramaticais, ele deve sempre ser usado como sujeito das orações, indicando quem realiza a ação. Vejamos alguns exemplos:

  • Eu fui ao colégio ontem à tarde.
  • Isso é para eu fazer ou para você fazer?
  • Se fosse eu, não iria à essa festa.

Quando usar “mim”?

Já “mim” é classificado como um pronome pessoal do caso oblíquo. Dessa forma, ele aparecerá nas orações na função de complemento nominal ou de objeto indireto, o que significa que sempre virá precedido de uma preposição.

Vamos conferir alguns casos de uso desse termo:

  • Você sentiu muito falta de mim quando viajou?
  • Para mim, é importante que todos estudem com disciplina.
  • Suas palavras doeram em mim.

Para eu ou para mim?

As duas formas são possíveis na língua portuguesa, mas devem ser utilizadas em situações diferentes. Vamos analisar cada caso.

Quando usar “para eu”?

Nesse caso, você deve se lembrar da seguinte regra: pronome oblíquo não conjuga verbo, ou seja, quando estivermos indicando o sujeito de um verbo, devemos utilizar “eu”, porque “mim não faz coisa alguma.

Uma dica preciosa é ficar de olho nos verbos no infinitivo, aqueles terminados em -ar, -er, -ir, -or:

  • Para eu fazer isso, é preciso que você me ajude.
  • Para eu ir bem  na prova, eu preciso resolver muitas questões.
  • Isso é para eu lembrar de nunca dormir tarde em semana de prova.

Quando usar “para mim”?

Usamos “para mim”, quando o pronome oblíquo for complemento de um termo que pede a preposição “para”:

  • Márcio comprou um presente para mim.
  • Juca escreveu uma carta para mim.

Note que a expressão “para mim” pode vir deslocada quando ocorre alguma inversão da ordem direta em uma frase:

  • Para mim, é fundamental chegar cedo no trabalho.

Colocando a frase na ordem direta, temos: “Chegar cedo no trabalho é fundamental para mim.”

Continue reading

Te x Lhe – você, tu e o uso do pronome oblíquo

TE-x-LHE

Pergunta do leitor: Quando utilizar ‘te’ e ‘lhe’?

Quando usar os pronomes oblíquos te e lhe? Neste artigo, vamos resolver essa dúvida e mostrar quando utilizar cada um dos termos. Vejamos!

3ª pessoa x 2ª pessoa

É mais comum do que parece a confusão entre os pronomes pessoais do caso reto (eu, tu, ele, nós, vós, eles) e seus correspondentes oblíquos (o,a, te, lhe, vos, os, as).

Vemos frases como: “Ontem encontrei com você e te convidei para jantar”.

Perceba que “você” é um pronome de 3º pessoa e “te” de 2ª pessoa. Logo, a frase anterior deveria ser reescrita das seguintes maneiras:

“Ontem encontrei contigo e te convidei para jantar”.

Ou

“Ontem encontrei você e o convidei para jantar”.

Continue reading

Macete de menino: como identificar a função sintática do pronome oblíquo?

Como descobrir qual a função sintática do pronome oblíquo? Neste artigo, vamos apresentar um macete muito simples para resolver essa dúvida.

Vale lembrar que o pronome oblíquo é aquele que, na sentença, exerce a função de complemento verbal, ou seja, de objeto direto ou de objeto indireto.

O menino

Para identificar a função sintática do pronome oblíquo, basta substituí-lo pela expressão “o menino” e, então, analisar a função dela na oração.

Ex.: A mãe maltratava-o muito.

Substituindo: A mãe maltratava o menino muito.

Quem maltrata, maltrata alguém. Logo “maltratar” é verbo transitivo direto e “o menino” é o objeto direto.

Pronto! Agora já sabemos que pronome oblíquo “o” tem função de objeto direto.

Fácil, né?

Pronome oblíquo

Os pronomes oblíquos são divididos entre átonos e tônicos. Confira abaixo a lista de pronomes oblíquos átonos:

  • Singulares: me, te, lhe, o, a, se;
  • Plurais: nos, vos, lhes, os, as, se.

Agora confira a lista de pronomes oblíquos tônicos:

  • Singulares: mim, comigo, ti, contigo, ele, ela, si, consigo;
  • Plurais: nós, conosco, vós, convosco, eles, elas, si, consigo, eles, elas, si, consigo.

É importante destacar que o pronomes átonos não são acompanhados de preposição. Já os tônicos sempre devem ser precedidos pela preposição.

ex1: Ele entregou o presente para mim. (tônico)

ex2: Ele me entregou o presente. (átono)

Gostou do texto? Então, vale a pena assistir ao vídeo que fizemos sobre a pronúncia correta da palavra RUBRICA:

Inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua (link para um nova página do site) .