À toa, a toa e atoa: as três expressões estão corretas e existem na Língua Portuguesa. Porém, elas possuem significados e funções diferentes, mas relacionados.

Neste artigo, vamos entender o sentido e quando usar cada um dos termos. Vejamos!

1) À toa

Trata-se de um locução adverbial ou adjetiva que significa desocupado ou a reboque.

ex1: Ele passava o dia todo à toa e não estudava.

ex2: Ele é um à toa. Não faz nada o dia inteiro.

É interessante notar que, antes do Acordo Ortográfico, a locução adjetiva era escrita com hífen (à-toa). Contudo, após a implantação da reforma, o sinal foi abolido e a grafia passou a ser a mesma da locução adverbial: à toa.

Crase

Na língua portuguesa, a crase é obrigatória em todas as locuções com núcleo feminino. É o caso de à toa.

Outros exemplos de crase que seguem a mesma regra: à mão, à caneta e à vista.

2) A toa

A expressão “a toa” é formada pelo artigo definido feminino “a” e pelo substantivo feminino “toa“.

ex: Nos portos, as embarcações são puxadas usando a toa.

Toa, segundo o dicionário Aulete, é uma corda ou um cabo de aço usado para rebocar navios (veja na imagem abaixo).

A imagem mostra uma toa, corda de aço usada para rebocar navios.

3) Atoa

Por fim, atoa é a conjugação do verbo atoar na terceiro pessoa do singular do presente do indicativo.

ex: O comandante atoa navios o dia todo.

O verbo indica o ato de rebocar um navio utilizando uma toa, como você pode ver na foto abaixo:

a imagem mostra um navio sendo atoado.

Gostou do texto? Então, vale muito a pena conferir o nosso Guia Completo da Crase. Lá você vai poder aprofundar seus estudos e dominar todos os casos em que devemos usar o acento grave.