A polissemia é um aspecto da semântica que trata da pluralidade de significação de um mesmo vocábulo. Em outras palavras: é a possibilidade de uma palavra adquirir mais de um sentido no idioma.

Exemplos de palavras polissêmicas

a) Peça:

  • O mecânico disse que meu carro precisa de uma peça nova.
  • Assisti a uma incrível peça de teatro ontem.
  • Comprei a peça de carne mais cara para o churrasco.
  • Ele pregou uma peça de mau gosto com os avós.

b) Ponto:

  • Mesmo olhando para o espelho retrovisor, o motorista atropelou o ciclista, pois este encontrava-se em um ponto cego.
  • Na noite passada, vândalos quebraram o ponto de ônibus da rua da escola do bairro.
  • O ponto de ebulição da água, ao nível do mar, é 100°C.
  • O ponto central da reunião da semana será a necessidade de demissões em massa.

c) Grave:

  • O filho descobriu que está com uma doença grave.
  • Ela tem uma voz grave, por isso se destaca dos demais cantores.
  • Acento grave é aquele que indica a crase.
  • Palavra grave é o outro nome possível para palavra paroxítona.

Perceba que, nos exemplos acima, por mais que mudemos o contexto e o sentido das palavras polissêmicas “peça”, “ponto” e “grave”, todas elas mantiveram a sua classe gramatical. “Peça” e “ponto” são substantivos em todos os exemplos, bem como “grave” é adjetivo em todos os exemplos também.

Outros exemplos de palavras polissêmicas

  • Gato(a) (substantivo): animal mamífero, pessoa bonita, instalação ilegal de energia etc.
  • Pregar (verbo): pregar um sermão, pregar um prego, unir com pontos de costura etc.
  • Mão (substantivo): parte do corpo humano, via de trânsito, pequena quantidade (punhado) etc.
  • Cabo (substantivo): parte de um objeto, posto na hierarquia militar etc.
  • Bolo (substantivo): comida, um amontoado de itens etc.

Polissemia x Homônimos Perfeitos

É muito normal que haja confusão entre os conceitos de polissemia e homônimos perfeitos.

Os homônimos perfeitos são palavras que apresentam grafia e pronúncia iguais, porém sentido, origem e classe gramatical diferentes.

Como nem sempre é fácil descobrir a origem de uma palavra, a melhor forma de diferenciar os homônimos perfeitos das palavras polissêmicas é pela análise da classe gramatical.

Quando os vocábulos em questão apresentam a mesma classe gramatical, são polissêmicos; quando apresentam classes diferentes, são homônimos perfeitos, como nos exemplos abaixo:

a) Casa: 

  • quando sinônimo de moradia, é substantivo: Vamos comprar uma casa nova.
  • ou pode ser a 3ª pessoa do singular do verbo casar: Ela se casa amanhã com meu irmão.

b) Livre:

  • quando sinônimo de liberdade, é adjetivo: Este é um animal livre.
  • ou pode ser forma do verbo livrar: Livre-se desse vício para o seu bem.

c) Real: 

  • como moeda, é substantivo: O real é a moeda oficial da República Federativa do Brasil.
  • quando sinônimo de realidade, é adjetivo: A versão real da história foi divulgada hoje.
  • sendo relativo à realeza, é adjetivo: A família real britânica e o parlamento inglês governam o Reino Unido.

Importante:

Nos dois últimos casos, mesmo apresentando a mesma classe gramatical, ainda assim não podemos dizer que temos polissemia, pois a origem de cada palavra diverge. “Real”, sinônimo de realidade, vem do latim realis, enquanto “real”, relativo à realeza, vem do latim regalis.

*

Gostou do texto? Então, inscreva-se para fazer parte do clube de português gratuitamente e receber dicas para te deixar afiado na língua (link para um nova página do site) .