A imagem mostra um caderno sobre uma mesa. Em cima, há uma tarja na qual está escrito: aposto - o que é, tipos e exemplos.
Aprenda quando utilizar cada tipo de aposto.

Um aposto é um termo usado junto a outro com valor substantivo ou pronominal para explicá-lo ou especificá-lo melhor.

Neste artigo, vamos explicar os 7 tipos que existem. Também vamos te mostrar quando utilizar cada um. Vamos lá!

1 – Aposto resumidor ou recapitulativo

Resume uma sequência de termos, usando os pronomes indefinidos “tudo”, “nada”, “nenhum”.

Deve-se usar pontuação antes do pronome indefinido.

Ex1: Falei com Márcia, Rafaela e Daniel, todos estavam bem.

Ex2: Bebida, festas, viagens, nada me alegrava.

2 – Aposto enumerativo

Apresenta pontuação, em especial, o sinal de dois pontos. Em regra, enumera dois ou mais itens.

Ex1: Ela me deu dois presentes: um sapato e uma camisa.

Ex2: Na feira, Marcos encontrou tudo que procurava: queijo, alface, maça e carne de frango.

3 – Aposto explicativo

Apresenta pontuação (vírgula, duas vírgulas, dois pontos e travessões).

Ex1: Encontrei com Marcos ontem – rapaz educado.

Ex2: Encontrei com Marcos ontem: rapaz educado.

Ex3: Encontrei com Marcos ontem, rapaz educado.

4 – Aposto distributivo

Apresenta pontuação e faz uso dos pronomes demonstrativos “este”,  “esse”, “aquele”, “outra”, “aquilo”, etc. 

Utiliza-se esse tipo de aposto para retomar elementos do texto.

Ex1: Pedro e Maria são meus amigos: aquele conheci na escola, já esta na faculdade.

Ex2: Ambos trabalham na empresa, um na área de tecnologia e o outro na área comercial.

5 – Aposto especificativo

Em geral, é um nome próprio e é usado para individualizar um termo. Ele não é separado do nome que especifica por pontuação.

Ex1: Admiro o escritor Graciliano Ramos.

Ex2: O presidente Donald Trump tem causado muitas polêmicas.

6 – Aposto oracional

Apresenta pontuação, geralmente os dois pontos. Há um verbo dentro do aposto. Por essa razão, é chamado de oracional.

Em regra, é introduzido pela conjunção integrante “que”, mas também pode aparecer sem o conectivo.

Ex1: Tenho uma meta: que minhas dificuldades com a língua portuguesa acabem de vez.

Ex2: Juca não tinha feito suas tarefas escolares, fato que aborreceu bastante sua mãe.

7 – Aposto comparativo

Serve, como o nome indica, para comparar um termo da frase com alguma coisa. Deve ser separado por algum sinal de pontução.

Ex1: A noite, esse oceano que banha de sombra um mundo de sol, é muito fria nos meses de inverno.

Ex2: A criança, um adulto em formação, deve ser educada para a cidadania.

Vocativo x Aposto

vocativo é termo que faz um chamamento. Sua função na frase é estilística. Ele pode ser deslocado na oração sem gerar alteração de sentido.

O vocativo pode ser retirado da frase sem gerar perda de informação-chave alguma.

Ex1: Ó meu Deus, como estou feliz com essa notícia.

Ex2: Como estou feliz, ó meu Deus, com essa notícia.

Ex3: Como estou feliz com essa notícia.

Já o aposto tem a função de acrescentar, detalhar, resumir ou descrever um outro termo. A omissão do aposto acarreta perda de informação-chave.

Além disso, o aposto não pode ser deslocado na oração.

Ex: Manuel Bandeira, escritor brasileiro, obteve muito destaque com suas obras.

Particípio

O termo também representa o particípio do verbo apor, que significa “colocar junto” ou “colocar sobre”.

Ex: O documento estava aposto ao relatório.

Vale destacar, por fim, que o termo tem origem no latim appositus, particípio de passado de appono.

Gostou do texto? Então, vale a pena assistir ao vídeo que fizemos sobre substituição gramatical: